[ editar artigo]

Ex-sistência médica

Ex-sistência médica

A área médica pode se gabar por tanto contribuir com a linguística. Significamos muitos de nossos termos Por meio da semântica. Observem:

Extra-celular (fora da célula); exérese (retirar a parte de um órgão), "ex"... "Ex" parece ser o prefixo de algo que é tirado para fora, ou algo que é retirado de alguém, algo que não mais existe como era antes.

Isso posto, levanto o questionamento, colegas: será que, para algo retirado de nós mesmos, poderíamos denominar "ex-sistência?" 

No dicionário, ''sistência'' é uma palavra que pode ser usada para adjetivar um sujeito como forte e resistente. ''Ex-sistência'' então poderia ser a perda de nossa resistência, ou de nossa força, seja ela física ou mental - o que faz cada vez mais sentido na profissão que escolhemos.

No âmbito médico, temos colecionado "ex-sistência", perda da força coletiva, perda da força vital, temos caminhado para existência fora de nós mesmos.


Cada paciente contribui com uma parcela de sofrimento que não podemos eliminar com o diagnóstico assertivo ou com o bom prognóstico. Nossas mazelas são sociais, nossas dores vêm da dona ''Maria'' que adoeceu por comprometimento do sistema, ou do seu ''João'', falecido por cortes de verba para saúde. A quem recorrer nesse terreno prestes a desabar

''Ex-sistência'' me faz lembrar do colega médico acusado de abusar de pacientes ou do colega médico que negligencia atendimento. O que dizer sobre a deturpação profissional?

''Ex-sistência'' quando vejo a ética médica sendo tratada como dispensável ou até desempregada. Se o sofrimento requer e propaga uma política, há de se admitir que devemos rever nossos conceitos.

''Ex-sistencia'', ''ex-sistema''... 

''ex-austão''. Parece que cheguei em minha palavra chave.

Exaustão médica, síndromes de burnout, transtornos de humor, transtornos depressivos. Eis o mundo médico moderno. Seja você um grande e experiente neurocirurgião ou calouro prestes a fazer os primeiros exames, a síndrome da prática médica moderna vai te rondar e exigir de você, entre tantas coisas, resiliência


Porém, em busca da resiliência nos deparamos com uma cura mascarada. Aceitação diagnóstica não é recuperação. Se vivemos o fenômenos da ''ex-sistência'' devemos não só voltar a resistir, como também ressignificar nossos propósitos.

Transformar o mundo parece distante. Mas transformar a si próprio, apesar de árduo, é possível. Vamos abrir os olhos e tirar as vendas. Aceitar os contratempos pode ser por onde vamos readquirir nossa resiliência. Porém, para tanto, devemos parar de normalizar os absurdos diários e voltar a ter nossa força. 

''Ex-perimente'', tire para fora de si o que permeia a sua mente. Lute pela sua profissão, pelo seu paciente, pela saúde do país.

RESISTA!

 

 

 

Academia Médica
Renata Campos Cadidé
Renata Campos Cadidé Seguir

Médica Tento unir uma paixão antiga por contar histórias à carência de difundir os conhecimentos de pesquisa científica, de forma mais palpável, para à população geral.

Ler conteúdo completo
Indicados para você