[ editar artigo]

Formação médica multipolar: uma demanda latente por saúde integral

Formação médica multipolar: uma demanda latente por saúde integral

O tema “Relação médico-paciente no século XXI: os desafios da tecnologia no atendimento” foi amplamente discutido em um evento da IFMSA Brazil - UFPR, no qual tive a oportunidade de conhecer o Prof. Dr. Celmo Celeno Porto, de repensar a problemática da assimetria relacional do binômio médico-paciente e de antever soluções efetivas para a saúde integral.

Além disso, pude compreender um pouco mais sobre os desafios da educação médica na revolução digital e assimilar a necessidade de uma readequação dos profissionais de saúde em meio a um cenário de automatização de processos. Por isso, a importância de resgatarmos, mais do que nunca, a função social do médico como prestador de serviços e de quebrarmos o dogma da invulnerabilidade médica, pretendendo, assim, garantir a saúde integral da comunidade de igual para igual. 

Com certeza, precisamos da inovação propiciada pelas novas tecnologias, e não apartar os avanços da inteligência artificial, com o intuito de melhorar o tratamento médico. Mas também precisamos reintegrar a humanização como ferramenta para a excelência da medicina. A vanguarda primordial é recolocar a educação médica no plano daquilo que é humano. Precisamos de responsabilidade política, ética e moral, e de compaixão para enxergarmos o outro como guia indispensável para a escolha do tratamento. É preciso dar voz ao paciente. Conferir visibilidade a ele é o mínimo de respeito necessário a sua individualidade. 

Devemos urgentemente incorporar o abecê de que a demanda por saúde é translacional. Assim, além do rompimento com tratamentos cartesianos (isto é, segmentados), precisamos exigir a capacitação médica, por exemplo, quanto ao entendimento de farmacoeconomia — visando ao arrefecimento da toxidade financeira dos tratamentos — e quanto à gestão de leitos e de recursos, pensando na questão de sustentabilidade hospitalar. 

Portanto, trata-se certamente de como o Dr. Porto finalizou a sua fala nesse dia:

“Para ser médico, sê inteiro.” 

 

Academia Médica
Augusto César
Augusto César Seguir

Mineiro. Araxá, 1997. Vivendo em Curitiba. Acadêmico de Medicina da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Jovem Embaixador (2014). Poeta. Tradutor. Foi embaixador do III CBMED/I COEMED-SP (2018).

Ler matéria completa
Indicados para você