[ editar artigo]

Hospitais e sustentabilidade em unidades de alimentação e nutrição

Hospitais e sustentabilidade em unidades de alimentação e nutrição

 

Práticas simples como presença de sistema de iluminação adequado, realização do controle de temperatura dos alimentos, do aproveitamento integral de alimentos e do controle de resto podem não ser adotadas em unidades de alimentação e nutrição de hospitais, refletindo na promoção da sustentabilidade ambiental.

Katrina Skolove Silva, do Departamento de Nutrição da Universidade Federal de Juiz de Fora (MG), juntamente com equipe, ressalta a necessidade de o tema sustentabilidade ambiental ser abordado de maneira mais frequente na formação do nutricionista.

A observação está no artigo Environmentally sustainable practices in hospital foodservices (Práticas ambientalmente sustentáveis em unidades de alimentação e nutrição hospitalares, em tradução livre), publicado por Katrina e equipe no periódico Brazilian Journal of Food Technology.

O estudo acompanhou Unidades de Alimentação e Nutrição de Hospitais de Governador Valadares, no estado mineiro, verificando que apesar de realizarem algum tipo de ação para promover a sustentabilidade ambiental, foram identificadas também ações que não são sustentáveis, mostrando a necessidade de intensificar ações relacionadas a estrutura física, aquisição e recepção de insumos, além de gestão de resíduos. 

As ações estruturais menos prevalentes nos estabelecimentos foram as relacionadas a energia e iluminação (25%), e ventilação (38%). Aproximadamente, 93% das ações durante o planejamento de cardápio eram realizadas pelos estabelecimentos, porém 25% dos estabelecimentos não possuíam fichas técnicas de preparação.

Apenas 35% das ações eram realizadas pelas unidades durante a aquisição e o armazenamento de insumos, sendo que nenhuma utilizava alimentos da agricultura familiar ou alimentos orgânicos.

Durante o preparo, a distribuição e o consumo das refeições, 75,0% das ações realizadas se relacionaram ao aproveitamento integral dos alimentos. O controle de temperatura durante a distribuição de refeições foi a ação menos prevalente (50%).

As unidades realizavam, em média, 93,8% das ações relacionadas aos procedimentos de higienização. Em relação a geração, coleta, armazenamento e destinação de resíduos, em média, 50% das ações eram adotadas.

Participaram do estudo quatro das seis unidades de alimentação e nutrição de hospitais do município de Governador Valadares. A coleta de dados foi realizada utilizando questionário online composto por 73 questões estruturadas sobre práticas de sustentabilidade ambiental.

Referências

Silva, K. S., Carneiro, A. C. L. L., & Cardoso, L. M. (2022). Environmentally sustainable practices in hospital foodservices. Brazilian Journal of Food Technology, 25, e2020091.
https://doi.org/10.1590/1981-6723.09120
 

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você