[ editar artigo]

Difamação de médicos nas redes sociais: saiba como lidar com pacientes que fazem isso

Difamação de médicos nas redes sociais: saiba como lidar com pacientes que fazem isso

Com aumento do uso das redes sociais para fins pessoais e profissionais, tem crescido de forma exponencial os casos de pacientes descontentes que se utilizam desses espaços para difamar e ofender a honra de profissionais médicos e de saúde.  

Neste contexto ,surgem diversas dúvidas sobre a difamação: a conduta do paciente é legal?  É livre exercício da liberdade de expressão? Como fica a imagem do médico após a devastação ocasionada por estas condutas ?

Como início, devemos ter em mente a expressão:

“O direito de um acaba quando começa o direito do outro”.

Embora o paciente, como todo cidadão, tenha direito à liberdade de expressão, tal direito é limitado.  Isso quer dizer que no exercício de seu direito de se expressar, o paciente não pode ofender outros direitos igualmente previstos na Constituição, como  a honra e imagem de terceiros.

Assim, o paciente que ofende e lesa a imagem do médico ou do profissional de saúde, difamando-o, deve ser sancionado.

A conduta do paciente é abusiva e considerada ilícita, fere direitos fundamentais e da personalidade do médico, que se encontram respaldados na Constituição Federal (art. 5º, V e X), no Código Civil Brasileiro (arts. 12, 20 e 21) e no Código Penal (arts. 139 e 140). 

O direito à imagem e à honra são direitos da personalidade, consagrados constitucionalmente. Sendo assim, os titulares detêm o direito de buscar a tutela jurisdicional competente, para fazer cessar seu uso indevido e desautorizado, assim como requerer indenização em razão do ilícito cometido.

Frise-se que a conduta do paciente ao denegrir a imagem do médico é ilícita, podendo configurar os crimes de difamação e injúria.  

CONDUTAS A SEREM ADOTADAS PELO MÉDICO NESSES CASOS 

 • Se houver divulgação de ofensas em redes sociais: imprima/fotografe/tire ”print” das postagens, comentários, compartilhamentos e curtidas;

• Registre imediatamente uma “ata notarial” junto ao cartório de títulos e documentos – esse documento vai conservar a prova no caso de exclusão das postagens pelo ofensor;

•Procure com urgência um advogado especialista em direito médico/digital, através do qual será possível propor ação penal e cível para reparação dos danos morais sofridos, retratação e criminalização da conduta do ofensor;

•Através da ação cível, poderá ser requerida ao juízo uma medida urgente para que cesse a lesão aos seus direitos, através da exclusão do conteúdo ofensivo da postagem nas redes sociais;

• Em todos os casos, é importante que o profissional médico não aceite passivamente as ofensas, pois podem gerar um ciclo vicioso dos pacientes e/ou pessoas mal intencionadas.

Artigos relacionados

• Ética em mídias sociais para médicos

Selfies, autopromoção e exibicionismo dentro dos hospitais

Tratamento de dados (sensíveis) da saúde na Lei Geral de Proteção de Dados

Quer escrever para a comunidade?

Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade que conta com mais de 219 mil médicos, acadêmicos, pesquisadores ,profissionais da saúde e profissionais com atuações relacionadas. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!

 

Academia Médica
Débora Spagnol
Débora Spagnol Seguir

Advogada Especialista em Direito Médico e da Saúde Assessoria Jurídica para profissionais da saúde, clínicas e hospitais Assessoria Extrajudicial perante Conselhos Profissionais

Ler conteúdo completo
Indicados para você