[ editar artigo]

Não é uma profissão. É uma Vida!

Não é uma profissão. É uma Vida!

Um dia me falaram que quando nos tornamos médicos nunca mais deixaremos de ser! Diferente da maioria das profissões que você pode abandoná-las, mudar para outra e as pessoa compreendem sua atitude. Na medicina é diferente, pois o que está “em jogo” são vidas em todas as suas complexidades e finitudes. Quando quem amamos adoece, não há como não falar com aquele amigo médico em que confiamos, um tio, um irmão. Sempre queremos mais uma opinião; uma olhadinha no exame.

E quando você toca, escuta, medica e orienta alguém, seja isso agora ou há 3 anos, esse alguém se torna seu paciente. Ainda que "não queira", cria-se a partir daí um elo – a chamada relação médico-paciente! E se souber cuidar e cativar, ele sempre o terá como médico, passe o tempo que passar. Como está escrito no livro O Pequeno Príncipe: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas".  Na medicina também é assim: é se entregar,  se doar, cativar.

É preciso estar muito certo quando se escolhe a medicina. Lembre-se: O PACIENTE É O AMOR DE ALGUÉM!

Portanto, não dá para ser mediano; não dá para fazer mea-culpa, nem ser medíocre em nossas ações, muito menos negligenciar o cuidado. Tem que se entregar, e só se entrega aquele que ama. Apesar de todas as bonanças financeiras que a medicina pode trazer, o fardo pesa demais frente a tantas adversidades diárias, más condições e excesso de trabalho, assim como as perdas e ausências que teremos na vida dos que amamos.

Com o passar do tempo, se não houver entrega, você se tornará um técnico e não mais médico! E deixa eu lhe contar um segredo: há uma grande diferença entre eles...

Portanto, não é uma profissão, é a escolha de uma vida; uma marca que levaremos até o fim de nossos dias (se assim agirmos dentro dos preceitos éticos legais), carregando as respectivas responsabilidades em cada “carimbada” que dermos.

É a convicção que nosso tempo (horas, dias, anos) muitas vezes será subtraído de nossa existência e doado para outrem que muitas vezes nunca vimos ou conhecemos direito. Parece um preço alto, né? Mas sabe, para quem ama o que faz, isso não tem preço! É inestimável salvar alguém, aliviar suas dores, amenizar seu sofrimento! É imensurável o amor que emana deles, a fé, a gratidão, a troca, os laços criados, e isso é que transforma a PROFISSÃO EM ARTE! A MAIS BELA DAS ARTES!

Só o ferido cura, só o AMOR salva!

A imagem que ilustra esse texto é a pintura "O Doutor", de Samuel Luke Fildes, 1891. Galeria Tate (Londres).

Academia Médica
ARTHUR AMARAL DE SOUZA
ARTHUR AMARAL DE SOUZA Seguir

Médico formado pela Universidade Potiguar(UNP) Residente em Clínica Médica pela (SES/DF). Plantonista Hospital Brasília (HoBra)/ Rede Ímpar

Ler conteúdo completo
Indicados para você