[ editar artigo]

O Caminho de Héracles para a Residência Médica nos Estados Unidos

O Caminho de Héracles para a Residência Médica nos Estados Unidos

Todos sabem que fazer residência médica nos Estados Unidos é difícil. Alguns programas de residência médica são de tal forma exigentes que chega a ser cômico. Por isso, muita gente pergunta se vale a pena entrar em um desses programas. Vou tentar responder a essa questão.

Como eu disse em outro artigo, o candidato a médico nos Estados Unidos deve fazer três testes, a saber:

  1. USMLE step 1 sobre aplicação de ciência básica à prática médica.
  2. USMLE step 2 Clinical Knowledge (CK) sobre teoria da clínica médica.
  3. USMLE step 2 Clinical Skills (CS) sobre clínica prática. Esse último exame mede três habilidades, Communication and Interpersonal Skills (CIS), Spoken English Proficiency (SEP) e Integrated Clinical Encounter (ICE).

Os dois primeiros exames fornecem um score ou pontuação. Tendo feito medicina no Brasil, você é classificado como International Medical Graduate ou IMG, for short. Um IMG precisa obter scores maiores do que um U.S. Medical Graduate. Por exemplo, um americano pode obter 240 no step 1 e 250 no step 2 CK e ser convidado para entrevistas em excelentes programas. Um brasileiro precisa de 250+ no step 1 e 260+ no step 2 CK.

O Brasil todo está acompanhando a trajetória de Matheus Simonato, jovem estudante da UNIFESP, que obteve 272 no step 1 e 276 no step 2 CK. A nota de Matheus no step 1 foi tão alta que, como disse Mariana Marques, nem há percentil na curva de Gauss para classificar Matheus. A propósito, Mariana Marques também obteve excelentes resultados, com 254 no step 1 e 277 no step 2 CK.

Com os resultados dos steps, o candidato a médico nos Estados Unidos entra com informações em uma plataforma denominada Electronic Residency Application Services (ERAS).

Em geral, os programas valorizam notas altas no step 1, Letters of Recomendation (LoRs) obtidas em experiência clínica nos Estados Unidos e publicações em periódicos. Os programas convidam os melhores estudantes para entrevistas de emprego e classificam esses estudantes em um ranking. O estudante também classifica os programas, onde foram entrevistados. Na terceira sexta feira do mês de março,  um algoritmo de match escolhe o hospital escola onde você vai fazer residência. O ritual de espera dos resultados do match é emocionante.


Forças especiais

Você já deve ter visto filmes sobre forças especiais do exército, da marinha e da polícia. Um desses filmes é Tropa de Elite, que mostra o treinamento extremamente rigoroso do Batalhão de Operações Policiais Especiais, ou BOPE. Há vários filmes americanos sobre o mesmo tema, como Rambo, baseado no livro "First Blood" de David Morrell. Pois bem, há programas de residência médica que são tão exigentes que parecem treinamento de forças especiais.

Alguns desses programas foram, de fato, fundados por ex-membros de forças especiais. Tal é o caso de Carl Icahn, que criou o Mount Sinai Health System e fez uma doação tão generosa para a School of Medicine at Mount Sinai que essa escola de New York mudou o nome para Icahn School of Medicine.

Você já deve ter lido sobre Carl Icahn, talvez quando ele foi obrigado a renunciar ao posto de Special Advisor to the President on Regulatory Reform sob uma chuva de acusações de conflito de interesses. Ou talvez você tenha lido as reportagens sobre os suicídios em programas de residência médica administrados por Carl Icahn. Várias dessas reportagens foram publicadas na Refinery29, uma revista feminina de estilo de vida.

Quero observar que suicídios de residentes não ocorrem apenas no Mount Sinai Health System. De fato, no começo do ano de 2018, a comunidade médica ficou chocado com a trágica morte de Andrea Liu, uma residente em radiologia da New York University. Andrea Liu enforcou-se apenas 5 dias depois de uma colega da mesma universidade.

Minha opinião:

Embora essas perdas de jovens talentos sejam trágicas, a medicina precisa de suas forças especiais.

Aliás, as forças armadas americanas têm uma tropa de elite de medicina: U.S. Public Health Service Commissioned Corps (PHSCC).


Surgeon General of the United States

Você já deve ter notado que os maços de cigarro americanos contêm um aviso nos seguintes termos:

  • SURGEON GENERAL'S WARNING: Smoking Causes Lung Cancer, Heart Disease, Emphysema, and May Complicate Pregnancy.

Quem é esse Surgeon General? Os oficiais do Public Health Service Commissioned Corps recebem títulos da marinha. Então, na realidade, o Surgeon General é um almirante. Atualmente, o cargo é ocupado pelo Vice Almirante Jerome Adams, que é um anestesiologista. Não sei por quais razões, mas o Vice Almirante Adams delegou suas funções para a Contra-almirante Sylvia Trent-Adams.


Carl Icahn

Nos Estados Unidos, para entrar em um curso de medicina, é preciso fazer uma faculdade antes. A maioria dos candidatos cursa faculdades de Science, Technology, Engineering and Mathematics, ou STEM. Entretanto, Carl Icahn recebeu o grau de Bacharel em Filosofia pela Princeton University.

Carl cresceu em uma família de judeus no Queens, um bairro elegante de New York. Fez o curso secundário na Far Rockaway High School, de onde saíram três ganhadores do prêmio Nobel: Richard Feynman (Física),  Burton Richter (Física) e Baruch Samuel Blumberg (Medicina).

Feynman falava português e era um grande amigo do Brasil, onde todo ano tocava tamborim em uma escola de samba do Rio de Janeiro. Quanto a Baruch Samuel Blumberg, esse cientista recebeu o prêmio Nobel de Medicina por seus trabalhos sobre a hepatite B.

O pai de Carl Icahn era um cantor de ópera fracassado, que tornou-se um hazzan, a pessoa encarregada da música em sinagogas. Entretanto, por ser ateu dogmático, o pai de Carl abandonou o trabalho na sinagoga e tornou-se professor substituto. A mãe de Carl também era professora. Aqui está o link para essas informações.

Depois do bacharelado em Filosofia por Princeton, Carl Icahn foi admitido na New York University School of Medicine. Contudo, abandonou a medicina no terceiro ano para juntar-se às forças armadas. A partir de 1978, Carl Icahn assumiu o controle de várias empresas e conglomerados, como  a Phillips Petroleum, Texaco, Marvel Comics, Time Warner, entre outras.

De importância especial para o tema do presente artigo é o fato de que Carl Icahn é o presidente da board of trustees do Mount Sinai Health System, uma rede hospitalar associada à Icahn School of Medicine.

Nos Estados Unidos, os grandes hospitais e universidades não têm fins lucrativos.

Filantropos ricos não só fazem polpudas doações para essas instituições, mas participam da mesa administrativa para manter a saúde financeira do hospital. Além da Icahn School of Medicine e do Mount Sinai Health System, Carl Icahn ajuda várias outras instituições ligadas à área médica e ao combate ao câncer.

Convidado para a tropa de elite da medicina

O que fazer se um programa de residência médica de elite convidar você para uma entrevista? Meu conselho é que você se comporte como um soldado que foi convocado para a Delta Force: Sinta-se honrado pelo convite. Mesmo que não aceite, você terá oportunidade de visitar hospitais com alta tecnologia e serviços intensos.

Vamos ver o que espera por você, caso faça match em um programa de residência médica nos Estados Unidos, como aqueles mantidos por Carl Icahn. Para começar, a jornada de trabalho é de 100 horas por semana, como você deve ter lido no artigo da Refinery29. As condições dos alojamentos deixam a desejar, para dizer o mínimo. O aluguel do apartamento é alto, e os salários são baixos.

https://www.refinery29.com/en-us/2018/02/192118/mount-sinai-st-lukes-hospital-physician-suicides-rent-increase

Para compensar tudo isso, o treinamento é completo e orientado por grandes médicos. Os laboratórios são bem equipados e produzem pesquisa de ponta.

Entrar em um programa de residência médica desses é seguir o caminho de Héracles.


A escolha de Héracles

Em sua Memorabilia, Xenophon conta a história que segue e que traduzi diretamente do grego.

Quando Héracles era adolescente, retirou-se para o deserto, onde o silêncio e a solidão poderiam ajudá-lo a meditar sobre sua carreira. Então, o jovem guerreiro viu duas mulheres altas aproximando-se dele.

Uma das mulheres era nobre e graciosa. Sua beleza era natural e simples. Seus movimentos e comportamento eram cheios de modéstia. Sua roupa era de linho branco e sem bordados.

A outra mulher estava claramente fora de forma devido à falta de exercícios e à má alimentação. Compensava a ausência de beleza natural por meio de cosméticos e roupas extravagantes. Quando viu Héracles, correu em direção ao herói, enquanto sua companheira continuava no mesmo passo comedido. A mulher extravagante disse:

- Querido Héracles, esse caminho aqui leva ao meu centro de treinamento. Lá você terá todo o conforto de uma escola reservada para a nobreza. As inquietudes da paz e da guerra não terão o poder de perturbar sua juventude. A cama é macia, os alojamentos são limpos e amplos, as refeições são deliciosas e os concertos musicais ocorrem com frequência.

Héracles quis saber o nome da professora, que respondeu prontamente:

- Meus amigos e todos aqueles que me conhecem bem chamam-me de Felicidade. Por outro lado, tenho vários inimigos que me chamam de Deusa dos Prazeres.

Nesse momento, a outra mulher chegou e começou a falar com voz firme e severa:

- Héracles, ofereço-lhe esta entrevista, porque sei que você é descendente de pais nobres, aplica-se aos estudos próprios à sua idade e dedica-se aos exercícios físicos, conforme mostra sua musculatura bem desenvolvida. Seu currículo traz me esperanças de que venha a ser útil à sociedade e traga reputação para minha escola. Mas antes de convidá-lo para meu círculo de amizades, vou ser franca e sincera com você. Nada que tem valor pode ser adquirido sem esforço e trabalho. Os deuses colocaram um preço alto em cada habilidade, em cada qualificação, em cada competência, em cada coisa valiosa. Se você quiser a admiração de pessoas boas, terá de refinar seus modos e aprimorar suas habilidades. Se você quiser ser honrado por sua pátria, deve preparar-se para servi-la. Enfim, se você quiser ser proeminente na guerra ou na paz, deve tornar-se o mestre de todas as qualificações necessárias para grandes feitos.

A Deusa dos Prazeres interrompeu o discurso da treinadora severa:

- Héracles, essa mulher reconhece que o caminho para as recompensas que promete é longo e difícil. Eu vou mostrar-lhe um atalho curto e bem pavimentado.

A professora severa retrucou com um olhar cheio de compaixão por Héracles e de desprezo pela Deusa dos Prazeres:

- Quais são os prazeres que você propõe? Comer sem estar com fome, apenas pelo gosto do tempero. Beber sem estar com sede. Dormir sem antes ficar cansado pelo trabalho. Você nunca ouviu a mais deliciosa das músicas, que é o elogio a uma obra que você mesmo fez.  Você nunca viu a mais linda obra de arte, que é um objeto construído por suas próprias mãos. Seus seguidores passam a juventude sonhando com coisas que nunca terão, pois nenhum objeto se torna realidade se não for construído por dedos hábeis. Assim, aqueles que seguem caminhos fáceis chegam à velhice deprimidos, angustiados, atormentados, flácidos e cheios de remorso.

ACGME

O Accreditation Council for Graduate Medical Education (ACGME), que regula os programas de residência médica nos Estados Unidos, recomenda que a carga horária dos residentes seja de 80 horas por semana, ou seja, 13 horas e 20 minutos por dia. Apesar disso, muitos programas costumam exigir uma semana de 100 horas seguida por uma semana de 80 horas.

Quatro vezes por mês, o residente é submetido a turnos de 28 horas. Vamos fazer uma rápida discussão sobre como manter a saúde e a sanidade durante os três anos que duram uma residência de Internal Medicine.

Minha sugestão para os estudantes que estão seguindo o Caminho de Héracles é manter uma alimentação saudável e uma rotina de exercícios. Na semana de 100 horas, o residente terá menos de 8 horas para higiene corporal e exercícios físicos. Assim, os exercícios terão de limitar-se a alongamentos ao acordar e antes de deitar-se.

Na semana de 80 horas, garantida pela ACGME, o residente pode fazer um pouco de musculação, de forma a evitar perda muscular. Uma dieta com pouco açúcar na semana de 100 horas pode prevenir obesidade e distrofia adiposa. Na semana de 80 horas, o residente pode consumir chocolate e outros produtos com açúcar antes dos exercícios.

 

Academia Médica
Eduardo Costa
Eduardo Costa Seguir

Eduardo Costa tem interesse em educação médica em países tecnologicamente avançados, como França, Estados Unidos e Índia. Além disso, está trabalhando no desenvolvimento de cancer specific staining e de biosensores para diagnóstico Point of Care.

Ler matéria completa
Indicados para você