Por que o Caduceu de Hermes não é o verdadeiro símbolo da medicina?
[editar artigo]

Por que o Caduceu de Hermes não é o verdadeiro símbolo da medicina?

Por que o Caduceu de Hermes não é o verdadeiro símbolo da medicina?

Com o objetivo de acabar com a propagação da desinformação, o Academia Médica foi atrás dos motivos que o Caduceu erradamente ainda é visto por muitos como símbolo da medicina.

Muitas organizações "médicas" utilizam o símbolo de um bastão alado com duas cobras enroladas como símbolo da medicina. Tal símbolo trata-se do Caduceu ou a "varinha mágica" do Deus grego Hermes (Mercúrio para os romanos), mensageiro dos deuses, inventor dos encantamentos, condutor dos mortos e protetor dos mercadores e ladrões.

É interessante ver que a maioria das organizações que utilizam este símbolo ou são relativas ao comercio, ou são militares, ou são americanas.

O link entre o Caduceu de Hermes e a medicina pode ter surgido por volta do século VII depois de Cristo, quando Hermes era adorado pelos alquimistas. Os alquimistas eram os mestres da mistura dos elementos e usavam sua sabedoria para tentar curar quem recorria a seus serviços.

O Caduceu de Hermes:

O Caduceu era a ferramenta de Hermes, Deus do comércio, da eloquência, inventividade, viajantes, ladões e símbolo dos Arautos e comerciantes, não da medicina. A palavra "caduco" implica em temporalidade, perecibilidade e serenidade, enquanto a profissão médica inspira renovação, vitalidade e saúde.

A origem mítica das duas serpentes mágicas presentes no Caduceu é descrita na história de Tiresias, Poulenc na "Les Mamelles de Tiresia" (Os seios de Tiresias). A obra conta como Tiresias - um vidente que foi tão inútil para a família de Oepidus - encontrou duas cobras copulando, e separou-as enfiando seu cajado entre elas. Imediatamente Tiresias foi transformado em uma mulher, e assim permaneceu por 7 anos, até poder repetir sua ação, e tornar-se novamente homem. O poder transformador por trás desta história que demonstra força suficiente para inverter as polaridades entre homem e mulher, vem da união de duas serpentes através de um cajado. O cajado de Tiresias , com as duas serpentes, foi passado posteriormente a Hermes... ( história doida não?)

Conexão oculta com Hermes:

Uma descrição oculta do Caduceu de Hermes demonstra que as serpentes representam as forças positivas e negativas que movem-se pelos chakras e em torno da espinha dorsal ( a barra ) para a cabeça, onde comunicam-se com a mente através da compreensão, o domínio de Mercúrio ( asas ).

caduceu é um antigo símbolo, cuja imagem pode ser vista na taça do rei Gudea de Lagash, 2.600 anos a.C., e sobre as tábuas de pedra denominadas, na Índia, nagakals. Esotericamente, está associado ao equilíbrio moral, ao caminho de iniciação e ao caminho de ascensão da energia kundalini. A serpente da direita é chamada Od, que representa a vida livremente dirigida; a da esquerda Ob, vida fatal e o globo dourado no cimo Aur, que representa a luz equilibrada.

Essa "varinha mágica" era vendida em lojas de bruxaria na idade média com descrições do tipo: " é uma barra fálica que representa o potencial masculino, rodeado pela contorção, e pelas energias de Shatki de duas serpentes copulando". A barra também representa a espinha [sushumna] enquanto as serpentes conduzem as correntes espirituais [ pranas] ao longo dos canais de Ida e Pingala num padrão de dupla hélice, do chakra presente na base da espinha até a glândula pineal.

Ainda de acordo com os Ocultistas, o corpo possui tres canais principais: A coluna vertebral [sushumna] que é por onde as forças vitais transitam e por onde elas entram e saem do corpo; Ida (renovação e estimulação do espírito) e Pingala que é associada a força do desejo.

O Caduceu como símbolo médico

O link entre Hermes e seu caduceu com a medicina, parece proceder do link do Deus com a Alquimia. Os alquimistas eram chamados de filhos de Hermes e praticantes das artes herméticas. No fim do sec XVI o estudo da alquimia incluia a medicina, farmácia, química, mineração e metalurgia. Apesar do cajado de Asclépio / Esculápio ser reconhecido como único símbolo da medicina, muitos grupos adotaram o uso das serpentes gêmeas como símbolo médico durante os séculos XIX e XX.

Como o cajado de Asclépio, o Caduceu foi associado com a medicina devido a seu uso como marca d'agua. Gráficas utilizavam o símbolo pois, como o Deus grego, eram vistas como difusoras das mensagens e do conhecimento. A maior razão que "elevou" o Caduceu a símbolo médico foi protagonizada pelos mal informados militares americanos, que utilizaram esta insígnia para ilustrar o departamento Médico do exército, em 1902.

Esta equivocada herança persiste até hoje, sendo o Caduceu utilizado para representar a medicina, inclusive em universidades espalhadas pelo mundo. Há ainda, pessoas que acabam tatuando o símbolo em suas peles para expor seu "amor" a medicina. Lamentável...

 

Fernando Carbonieri
Fernando Carbonieri Seguir

Inovação é sua forma de exercer a medicina. Em 2012 criou a Academia Médica, comunidade dedicada a "FALAR O QUE A FACULDADE ESQUECEU DE NOS CONTAR". Membro Comissão do Médico Jovem do CFM, Palestrante, Hacking Health Curitiba e Brasil

Continue lendo!

Cadastre-se gratuitamente e tenha acesso
aos conteúdos exclusivos.

Entrar
Indicados para você