[ editar artigo]

Por que o Caduceu de Hermes não é o verdadeiro símbolo da medicina?

Por que o Caduceu de Hermes não é o verdadeiro símbolo da medicina?

Com o objetivo de acabar com a propagação da desinformação, a Academia Médica foi atrás dos motivos que o Caduceu erradamente ainda é visto por muitos como símbolo da medicina.

Muitas organizações médicas utilizam o símbolo de um bastão alado com duas cobras enroladas como símbolo da medicina. Tal símbolo trata-se do Caduceu ou a "varinha mágica" do Deus grego Hermes (Mercúrio para os romanos), mensageiro dos deuses, inventor dos encantamentos, condutor dos mortos e protetor dos mercadores e ladrões.

É interessante ver que a maioria das organizações que utilizam este símbolo ou são relativas ao comercio, ou são militares, ou são americanas.

O link entre o Caduceu de Hermes e a medicina pode ter surgido por volta do século VII depois de Cristo, quando Hermes era adorado pelos alquimistas. Os alquimistas eram os mestres da mistura dos elementos e usavam sua sabedoria para tentar curar quem recorria a seus serviços.

O Caduceu de Hermes

O Caduceu era a ferramenta de Hermes, Deus do comércio, da eloquência, inventividade, viajantes, ladões e símbolo dos Arautos e comerciantes, não da medicina. A palavra "caduco" implica em temporalidade, perecibilidade e serenidade, enquanto a profissão médica inspira renovação, vitalidade e saúde.

A origem mítica das duas serpentes mágicas presentes no Caduceu é descrita na história de Tiresias, Poulenc na "Les Mamelles de Tiresia" (Os seios de Tiresias). A obra conta como Tiresias - um vidente que foi tão inútil para a família de Oepidus - encontrou duas cobras copulando, e separou-as enfiando seu cajado entre elas. Imediatamente Tiresias foi transformado em uma mulher, e assim permaneceu por 7 anos, até poder repetir sua ação, e tornar-se novamente homem. O poder transformador por trás desta história que demonstra força suficiente para inverter as polaridades entre homem e mulher, vem da união de duas serpentes através de um cajado. O cajado de Tiresias , com as duas serpentes, foi passado posteriormente a Hermes... ( história doida não?)

Conexão oculta com Hermes

Uma descrição oculta do Caduceu de Hermes demonstra que as serpentes representam as forças positivas e negativas que movem-se pelos chakras e em torno da espinha dorsal (a barra) para a cabeça, onde comunicam-se com a mente através da compreensão, o domínio de Mercúrio (asas).

O caduceu é um antigo símbolo, cuja imagem pode ser vista na taça do rei Gudea de Lagash, 2.600 anos a.C., e sobre as tábuas de pedra denominadas, na Índia, nagakals. Esotericamente, está associado ao equilíbrio moral, ao caminho de iniciação e ao caminho de ascensão da energia kundalini. A serpente da direita é chamada Od, que representa a vida livremente dirigida; a da esquerda Ob, vida fatal e o globo dourado no cimo Aur, que representa a luz equilibrada.

Essa "varinha mágica" era vendida em lojas de bruxaria na idade média com descrições do tipo: " é uma barra fálica que representa o potencial masculino, rodeado pela contorção, e pelas energias de Shatki de duas serpentes copulando". A barra também representa a espinha [sushumna] enquanto as serpentes conduzem as correntes espirituais [pranas] ao longo dos canais de Ida e Pingala num padrão de dupla hélice, do chakra presente na base da espinha até a glândula pineal.

Ainda de acordo com os Ocultistas, o corpo possui três canais principais: A coluna vertebral [sushumna] que é por onde as forças vitais transitam e por onde elas entram e saem do corpo; Ida (renovação e estimulação do espírito) e Pingala que é associada a força do desejo.

O Caduceu como símbolo médico

O link entre Hermes e seu caduceu com a medicina, parece proceder do link do Deus com a Alquimia. Os alquimistas eram chamados de filhos de Hermes e praticantes das artes herméticas. No fim do séc. XVI o estudo da alquimia incluía a medicina, farmácia, química, mineração e metalurgia. Apesar do cajado de Asclépio/Esculápio ser reconhecido como único símbolo da medicina, muitos grupos adotaram o uso das serpentes gêmeas como símbolo médico durante os séculos XIX e XX.

Como o cajado de Asclépio, o Caduceu foi associado com a medicina devido a seu uso como marca d'água. Gráficas utilizavam o símbolo pois, como o Deus grego, eram vistas como difusoras das mensagens e do conhecimento. A maior razão que "elevou" o Caduceu a símbolo médico foi protagonizada pelos mal informados militares americanos, que utilizaram esta insígnia para ilustrar o departamento Médico do exército, em 1902.

Esta equivocada herança persiste até hoje, sendo o Caduceu utilizado para representar a medicina, inclusive em universidades espalhadas pelo mundo. Há ainda, pessoas que acabam tatuando o símbolo em suas peles para expor seu "amor" a medicina. Lamentável...

 


Quer escrever?

Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade crescente de mais de 135 mil médicos, acadêmicos, pesquisadores e profissionais da saúde. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!

Academia Médica
Fernando Carbonieri
Fernando Carbonieri Seguir

Empreendedor serial em saúde com cases de transformação digital reais que já impactam milhões de vidas. Crio uma arena de discussões para que o conhecimento seja compartilhado e construído para que a saúde e a medicina evoluam!

Ler conteúdo completo
Indicados para você