[ editar artigo]

Por que os médicos rejeitam a tecnologia na saúde?

Por que os médicos rejeitam a tecnologia na saúde?

A medicina tem sido uma das indústrias mais lentas em adotar as novas tecnologias. Durante a última década, médicos em todas as especialidades e ambientes foram bombardeados com apresentações extravagantes, promessas de facilidade de uso e integração e garantias infundadas "baseadas em dados" de resultados melhores para os pacientes, eficiências do fluxo de trabalho e redução de custos. Impressionados com a oportunidade de melhorar o fluxo de sua jornada de trabalho e a saúde dos pacientes, os médicos aderiram a muitas dessas empresas. Isso veio principalmente às suas próprias custas. Os médicos logo, como um grupo, ficaram amplamente desapontados com uma ampla gama desses produtos e seus resultados. Essas decepções só levaram ao abandono do investimento do médico e uma crescente falta de confiança nas pessoas que vendem a gama infinita de soluções de tecnologia, grandes promessas, e melhores resultados de saúde.

Em suma, os médicos foram enganados e agora estão muito relutantes em se envolver.

A desconexão

Desenvolvedores, designers, profissionais de tecnologia e executivos raramente, ou nunca, consultam médicos ao desenvolver seus produtos, muito menos realizam testes de usuário e design com os profissionais de saúde destinados a usar seus produtos todos os dias.

Pouquíssimas empresas de tecnologia da saúde são dirigidas por executivos que claramente se preocupam mais com os resultados e a saúde dos pacientes do que com os lucros. Alguns poucos são administrados por médicos que têm experiência prática com o problema que a solução tecnológica proposta pretende resolver. Em muitos casos, uma solução alternativa é feita com não médicos e executivos do sistema de saúde que não têm experiência prática em como a tecnologia será usada e como ela impactará a tomada de decisões e os resultados. A cara tecnologia pode levantar bilhões de dólares em capital e até mesmo entregar vendas rápidas e enormes retornos aos investidores, mas os usuários médicos se beneficiam pouco no dia a dia. Simplificando, os médicos são tratados como commodities na cadeia de suprimentos que geram lucros, e eles sabem disso.

Um caminho a seguir

A tecnologia atual e futura tem e terá a promessa de melhorar o acesso à saúde, melhorar os resultados e reduzir os custos, ao mesmo tempo que reduz a desigualdade em saúde. No entanto, para que isso funcione, médicos e outro pessoal clínico importante devem estar envolvidos no processo de idealização, desenvolvimento, testar e atuar em posições de liderança nas empresas que estão vendendo essas soluções.

As soluções de tecnologia devem, então, cumprir três objetivos

  1. Primeiro, eles devem fornecer melhores resultados clínicos. As novas empresas podem provar os resultados com base em um modelo analógico já comprovado e criando uma solução de tecnologia escalável.
  2. Em segundo lugar, as empresas de tecnologia devem envolver entidades acadêmicas para realizar pesquisas legítimas revisadas por pares para provar seus resultados. Escrever um artigo sobre um estudo que nunca foi aprovado por algum órgão regulamentador e depois pagar alguns milhares de dólares a um jornal on-line para publicá-lo simplesmente não passa no teste de legitimidade.
  3. Terceiro, as soluções devem agilizar o fluxo de trabalho e reduzir a carga de médicos relacionada à tecnologia. Eu costumava me encolher quando ouvia a frase “nossa tecnologia permite que os médicos sejam médicos” porque presume que os médicos não vão usá-la ou não vão entendê-la. Como CEO de uma empresa de gestão de cuidados maternos com suporte de tecnologia, acredito na construção de soluções que os médicos usarão com base na interação humana e proporcionam uma melhor experiência clínica, uma melhor experiência do paciente e que comprovadamente melhora os resultados.

Os médicos não foram para a faculdade de medicina para aprender a criar tíquetes e ficar ao telefone com um técnico de suporte a milhares de quilômetros de distância, enquanto a empresa descobre seu erro de programação. Os médicos são especialistas na prática da medicina. A maioria não é especialista em gerenciar os testes do sistema, coordenar o atendimento ou solucionar problemas de falhas técnicas. 

Desenvolvedores de tecnologia, especialistas em sistemas de saúde, saúde pública e especialistas em dados devem se unir aos médicos no objetivo comum de melhorar os resultados clínicos para os pacientes.

Então, os médicos vão querer se envolver novamente com o mundo da tecnologia da saúde, e uma verdadeira parceria existirá. Vamos construir uma tecnologia incrível, construir empresas altamente lucrativas e, ao mesmo tempo, reduzir os custos gerais do sistema de saúde e salvar vidas.

 


Quer escrever?
Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade crescente de mais de 215 mil médicos, acadêmicos, pesquisadores e profissionais da saúde. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!


 

O Dr Kenneth A. Levey é obstetra-ginecologista e CEO da Mother Goose Health . Seu texto original pode ser encontrado no blog KevinMD ou clicando aqui. Tradução livre elaborada por Diego Arthur Castro Cabral.

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você