[ editar artigo]

Saliva de carrapato tem efeito anticoagulante importante, segundo estudo do Butantan com Instituto da Tunísia

Saliva de carrapato tem efeito  anticoagulante importante, segundo estudo do Butantan com Instituto da Tunísia

Publicado na revista Toxins, o estudo feito em parceria com o Butantan e o Instituto Pasteur da Tunísia demonstrou que a molécula rDromaserpina, encontrada  nas glândulas salivares do carrapato de camelos do Deserto do Saara, possui uma atividade anticoagulante importante e que pode ajudar no tratamento de doenças cardiovasculares e doenças cancerígenas.

Fisiologicamente, a hemostasia serve para manter a fluidez do sangue dentro das veias e artérias, evitando a perda excessiva de sangue após lesão por formação de coágulos (2). Esse sistema é um conjunto de processos com a atuação de várias enzimas controladas por moléculas endógenas, incluindo inibidores de serina protease (serpinas), que são atingidas pela  rDromaserpina (2).  As serpinas são responsáveis por ativar e desativar moléculas da cascata de coagulação, alternando entre fisiologia normal e patologia, garantindo a função biológica normal ou levando a doenças, respectivamente(2). 

Animais hematófagos, como sanguessugas, mosquitos e carrapatos, usam as serpinas para combater o sistema de defesa do hospedeiro e inativar a cascata de coagulação do animal, a fim de garantir seu alimento, o sangue. Estas espécies representam uma fonte natural atrativa para o desenvolvimento de novas serpinas anti-hemostáticas(2).

Os pesquisadores testaram o efeito da rDromaserpina nas vias de coagulação do sangue e encontraram que, quando associada a trombina, a rDromaserpina tornou o plasma incoagulável. Durante o tempo de incubação, formou-se o complexo covalente e a rDromaserpina impediu que a trombina convertesse o fibrinogênio em fibrina. Então, os cientistas sugeriram que a rDromaserpina provavelmente inibe a(s) protease(s) serina(s) envolvida(s) na via intrínseca e comum da coagulação sanguínea(2).

Na hemostasia, a trombina está envolvida nas últimas etapas da via comum e na ativação da agregação plaquetária. Assim, devido à sua atividade inibitória, os pesquisadores encontraram que a rDromaserpina  reduziu significativamente a agregação plaquetária induzida pela trombina(2). Por ser produzida por um carrapato que se alimenta de sangue de camelo, a molécula anticoagulante é acostumada em atuar sob altas taxas de geração de trombinas, com resistência a altas temperaturas e níveis do fator 8 de coagulação 8x mais que nos humanos, promovendo hipercoagulabilidade(2).

Como inibidor suicida, a rDromaserpina reduziu a atividade enzimática residual da trombina de maneira dose-dependente. Por outro lado, segundo o estudo, a atividade da serpina pode ser aumentada por cofatores, principalmente glicosaminoglicanos(2). 

Em uma análise paralela, os cientistas testaram a atividade da molécula na presença da heparina, um anticoagulante comumente utilizado em hospitais(1).A heparina atua por meio da ativação comum da serpina, é capaz de aumentar a atividade da rDromaserpina em relação à trombina. Para várias serpinas, a heparina interage e modula sua atividade aumentando o nível de inibição em direção às proteases alvo(2). Assim, o artigo encontrou que a rDromaserpina induz a inibição acelerada da trombina na presença de heparina.

Para os cientistas, o próximo passo para a continuidade do trabalho é investigar a atividade da Dromaserpina em células (testes in vitro), usando modelos como inflamação e câncer, onde a trombina, seu principal alvo, pode atuar. Caso os resultados sejam positivos, os testes em animais devem começar no próximo ano(1).

Artigos relacionados 

Novas terapias anti-inflamatórias poderão ter proteínas da saliva de carrapato

Você se lembra dos mecanismos da coagulação?

Anticoagular precocemente pode salvar o seu paciente com COVID-19

Referências 

  1. Instituto Butantan. Molécula encontrada em saliva do carrapato pode ajudar a tratar distúrbios da coagulação, presentes em doenças cardiovasculares e câncer, aponta estudo do Butantan. Fev 2022. Disponível em: https://butantan.gov.br/noticias/molecula-encontrada-em-saliva-do-carrapato-pode-ajudar-a-tratar-disturbios-da-coagulacao-presentes-em-doencas-cardiovasculares-e-cancer-aponta-estudo-do-butantan. Acesso em março de 2022.

  2. AOUNALLAH, Hajer et al. rDromaserpin: a novel anti-hemostatic serpin, from the salivary glands of the hard tick Hyalomma dromedarii. Toxins, v. 13, n. 12, p. 913, 2021. Disponível em:https://www.mdpi.com/2072-6651/13/12/913. Acesso em março de 2022.

 

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você