[ editar artigo]

Trabalhar demais pode literalmente estar te matando!

Trabalhar demais pode literalmente estar te matando!

Por Yan Kubiak Canquerino - colaborador da Academia Médica

Já ouviu falar que a vida imita a arte?

Você já deve ter ouvido alguém falar ou até você mesmo já deve ter falado: “vou morrer de tanto trabalhar”, e você pode estar com toda a razão. A fala geralmente é jocosa, mas segundo uma notícia pautada em um estudo (sério) e veiculada no dia 17 de maio de 2021 no site internacional da Organização Mundial da Saúde (OMS), você tem toda a razão.

O estudo em questão foi realizado no mundo todo com um n de milhões, com uma metodologia impecável, portanto os resultados são sérios no duplo sentido, por perpassar confiança e por trazer um assunto de extrema urgência para ser discutido, portanto, recomendo a leitura.

De acordo com a OMS e a Internacional Labour Organization, autores do estudo, há uma estimativa de que em 2016, pelo menos 398 000 pessoas morreram de infarto e 347000 de doenças cardíacas resultado(as) por trabalhar mais de 55 horas por semana. Segundo o estudo, entre 2000 e 2016 o número de mortes por doença cardíaca por longas jornadas aumentou em 42% e 19% por infarto.

 

Onde e com quem isso ocorreu?

Esses casos foram mais incisivos em homens (72%) com idade mais avançada, vivendo, principalmente no pacífico oeste, e nas regiões sudeste da Ásia.

Essas pessoas se encontravam mais especificamente em uma faixa etária localizada entre 60 e 79 anos, e trabalharam no mínimo 55 horas por semana durante 19 anos (45 - 74 anos).

A partir de então, mudamos alguns parâmetros em relação ao que sabemos dos riscos psicossociais relacionados ao trabalho, sabemos, portanto, pela ciência que longas jornadas de trabalho são responsáveis por um terço do total dos casos de infarto e passa a ser um fator de risco para o infarto, sendo também a maior causa da doença por risco ocupacional.

 

Quais foram as conclusões do estudo?

Trabalhar 55 horas ou mais por semana está associado com um risco estimado de 35% mais chance de sofrer um infarto ou então a 17% mais chance de morrer por uma doença cardíaca isquêmica, comparado a uma jornada de 35-40 horas por semana.

Esse estudo vem em um momento muito oportuno, pois dados confirmam que as jornadas de trabalho das pessoas vem aumentando, hoje 9% da população está dentro da estatística de risco, podendo gerar mais mortes e/ou debilidades decorrentes do risco laboral.

A fala do diretor geral da OMS, Dr Tedros Adhanom Ghebreyesus demonstra essa preocupação, em tradução livre:

"A pandemia da COVID-19 mudou significativamente a maneira com que as pessoas trabalham, o trabalho remoto se tornou normal em muitas indústrias e companhias, muitas vezes borrando os limites entre a casa e o trabalho. Além disso, muitas empresas têm sido forçadas a reduzir ou desligar funcionários para economizar dinheiro, com isso as pessoas que ficam na empresa acabam por trabalhar mais horas. Nenhum emprego vale o risco de um infarto ou doença cardíaca. O governo, empregadores e trabalhadores necessitam de trabalhar juntos em prol de um acordo para colocar limites e proteger a saúde dos trabalhadores”

Além da fala do diretor geral, a Drª maria Neira, diretora do departamento de meio ambiente, mudanças climáticas e saúde da OMS adiciona (tradução livre):

“Trabalhar 55 horas ou mais por semana é um sério risco à saúde”, “É hora de todos nós, governo, empregadores e empregados acordarmos para o fato de que longas horas de trabalho podem predispor à morte prematura”.

 

Ainda ficam aqui algumas sugestões para gestores, governo ou pessoas interessadas em mudar esse panorama

1º - Governo pode introduzir, implementar e reforçar leis, regulações e políticas que banem a hora extra obrigatória e definir limites máximos de jornadas de trabalho

2º - Podem haver acordos entre empregados e empregadores a fim de ajustar as jornadas de trabalho para serem mais flexíveis e ao mesmo tempo acordar para um número máximo de horas a serem trabalhadas

3º - Empregados(as) poderiam manter públicas as horas trabalhadas para garantir que o número de horas não passassem de 55 por semana.

 

Você tem trabalhado ou conhece alguém que trabalha mais que 55 horas por semana?

 

Referências

https://www.who.int/news/item/17-05-2021-long-working-hours-increasing-deaths-from-heart-disease-and-stroke-who-ilo. Acesso em: 18/05/2021

https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0160412021002208. Acesso em 18/05/2021





 

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você