[ editar artigo]

Especialidade médica: você já escolheu a sua?

Especialidade médica: você já escolheu a sua?

O que você vai ser quando crescer? Essa é uma pergunta típica de quando somos crianças. Na faculdade de medicina, depois da clássica, "você já mexeu com cadáveres?", a pergunta que vem em seguida é: "Você já sabe qual especialidade médica vai fazer?"

O caminho a ser seguido é muito vasto. São 54 opções reconhecidas pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Listamos abaixo algumas das especialidades médicas mais procuradas pela população, com uma breve descrição sobre o que faz parte de seu dia-a-dia.

Emergência

Um médico emergencista foca na decisão imediata e no próximo passo para evitar a morte e as possíveis sequelas graves. Tanto no atendimento pré-hospitalar, quanto na sala de emergência, este profissional é o líder da equipe multidisciplinar, cabendo a ele as decisões e a organização do atendimento. O médico emergencista providencia reconhecimento imediato, avaliação, cuidado e estabilização. Atende uma população variada, que vai desde crianças até idosos, passando por doenças agudas, agravamento de patologias crônicas e lesões decorrentes de um trauma. Nesse tipo de carreira, o profissional sempre atuará estando de plantão, em turnos que variam de 6h a até o quanto ele aguentar (alguns fazem 24, 36, 48 ou até 72 horas de plantão). Vale lembrar que isso não é prudente, mas é o que acontece na realidade prática. Os locais de atuação são diversos, podendo atuar nas ambulâncias, nos hospitais e nos centros de triagem dos serviços de urgência/emergência.

Medicina de Família e Comunidade

Um médico de família e comunidade se preocupa com a saúde integral do indivíduo e da família. É treinado para atender, diagnosticar e tratar uma variedade de doenças em todas as idades. O profissional recebe uma ampla gama de formação, incluindo medicina interna, pediatria, ginecologia e obstetrícia, psiquiatria e geriatria. Tem ênfase para a prevenção e para os cuidados primários de toda a família, utilizando, para isso,  as consultas e recursos da comunidade (quando necessário). Ele tem a necessidade de entender muito bem de epidemiologia e indicadores populacionais para assim poder atuar de forma adequada na comunidade onde está inserido.

Medicina Interna 

O especialista em medicina interna desenvolve um papel central no processo de diagnóstico das doenças e agravos atendidos em hospitais, fornecendo a longo prazo um atendimento integral, no consultório e no hospital, manejando tanto doenças comuns, como complexas em adolescentes, adultos e idosos. Intensivistas são treinados pra diagnosticar câncer, infecções, doenças no coração, sangue, rins, articulações, e nos sistemas digestivo, respiratório e vascular. Também são treinados nos cuidados primários de medicina interna, o que incorpora a compreensão de prevenção de doenças, bem-estar, abuso de substâncias, saúde mental, e tratamento efetivo de problemas comuns nos olhos, orelhas, pele, sistema nervoso e órgãos reprodutores.

Ginecologia e Obstetrícia

Especialidade médica que utiliza as habilidades clínicas e cirúrgicas para abordar aspectos específicos da saúde da mulher durante o ciclo de vida feminino, incluindo os estágios pré-puberais, reprodutivos e pós-menopausa. Os Ginecologistas-Obstetras cuidam das mulheres em todas as idades e com varias condições de saúde, atendendo tanto no consultório, como no ambulatório. Atuam ao longo do pré-natal, parto e dos cuidados pós-parto, executando também procedimentos cirúrgicos necessários para os cuidados com a saúde da mulher, assim como procedimentos necessários para emergências obstétricas e doenças ginecológicas. Essa especialidade médica oferece flexibilidade de plantões e horários de trabalho, assim como variedade de estilos de práticas, incluindo trabalhar parte do tempo no consultório, ou nos cuidados com os pacientes no hospital, trabalhos em grupo, e até mesmo, na universidade. Existem diversas oportunidades de sub-especialidades:

Ginecologia Oncológica: trata de cânceres no sistema reprodutor feminino, abrangendo as áreas de cirurgia, terapia adjuvante e cuidados paliativos.

Medicina Pélvica Feminina e Cirurgia Reconstrutiva: foca nos problemas gênito-urinários e defeitos no suporte pélvico.

Endocrinologia Reprodutiva: visa aliviar os problemas hormonais e de infertilidade através da utilização de tecnologias em reprodução humana.

Especialistas em Medicina Materno-Fetal: se concentram nos cuidados de obstetrícia de alto-risco, complicações médicas da gravidez, diagnóstico pré-natal e ultrassonografia, assim como procedimentos  intra-útero com o feto. 

Ortopedia

Um cirurgião ortopedista atua na preservação, investigação e restauração da forma e função dos membros, da coluna vertebral e estruturas associadas com procedimentos médicos, cirúrgicos e de fisioterapia. O profissional está envolvido no cuidado com os pacientes que tem problemas musculoesqueléticos, incluindo problemas congênitos, deformidades, traumas, problemas degenerativos da coluna espinhal, mãos, pés, joelhos, quadril, ombros e cotovelos, em crianças e adultos. Além disso, quem atua nessa área também está preocupado com problemas musculares  primários e secundários e seus efeitos em lesões no sistema nervoso central e em nervos periféricos.

Pediatria

Pediatras fornecem prevenção e promoção em saúde e cuidados médicos para aqueles que estão seria ou cronicamente doentes. São experts em avaliação emocional e comportamental, podendo ser conciliadores muito eficientes com crianças e adolescentes de temperamento difícil. São também os primeiros e melhores defensores de crianças que sofrem sequelas do crescimento, da prevalência de morbidades psicossociais, como não ter moradia, violência familiar e abuso de substâncias. No cuidado com a saúde física das crianças, o profissional diagnostica e trata infecções, lesões, problemas genéticos, câncer, e muitos tipos de doenças e disfunções orgânicas. Trabalham para reduzir a mortalidade perinatal e infantil, controlar doenças infecciosas, promover estilos de vida saudáveis e aliviar problemas diários de crianças e adolescentes com doenças crônicas.

Psiquiatria

É um especialista em prevenção, diagnóstico, e tratamento de transtornos mentais, emocionais e vícios, como esquizofrenia e outros transtornos psicóticos, transtornos de humor, de ansiedade, relacionados ao abuso de substâncias, problemas com a identidade sexual e de gênero, e problemas de adaptação. O profissional está habilitado para compreender os componentes biológicos, psicológicos e sociais da doença, para então, de forma específica, tratar da pessoa como um todo. 

Cirurgia

Um cirurgião maneja um largo espectro de condições cirúrgicas que afetem qualquer área do corpo. Responsável por determinar o diagnóstico e prover os cuidados pré, trans e pós-operatórios para pacientes cirúrgicos, sendo, usualmente, responsável pela gestão global da vítima de trauma e de pacientes cirúrgicos críticos. O profissional usa uma variedade de técnicas diagnósticas para observar estruturas internas, além de usar instrumentos especiais durante os procedimentos operatórios. É esperado de um cirurgião geral que ele seja familiarizado com as principais características das outras especialidades cirúrgicas, a fim de reconhecer os problemas nessas áreas e saber quando encaminhar um paciente para outro especialista.

Essas são apenas 8 das 54 especialidades que a Medicina oferece. E você? Já decidiu qual especialidade médica vai seguir? Gostaria de ver outras especialidades aqui na Comunidade? Conte aqui pra gente nos comentários!

 

Fonte: http://forum.facmedicine.com/threads/tips-before-choosing-your-medical-specialty.16159/

 

 

 

 

Academia Médica
Fernando Carbonieri
Fernando Carbonieri Seguir

Inovação é sua forma de exercer a medicina. Em 2012 criou a Academia Médica, comunidade dedicada a "FALAR O QUE A FACULDADE ESQUECEU CONTAR". Membro Comissão do Médico Jovem do CFM, especialista em Bioética

Ler matéria completa
Indicados para você