[ editar artigo]

A aspirina é efetiva em diminuir a mortalidade em pacientes internados pela Covid-19?

A aspirina é efetiva em diminuir a mortalidade em pacientes internados pela Covid-19?

Vários estudos científicos  ganharam destaque na pandemia da Covid-19, entre eles um ensaio clínico chamado RECOVERY, que buscou analisar se a aspirina ajuda a aumentar a sobrevida em pacientes hospitalizados com tal doença. Descubra a seguir uma brevidade dos resultados obtidos.

 

O que é o RECOVERY?

O ensaio clínico chamado RECOVERY trata-se de uma pesquisa randomizada a fim de testar uma gama de potenciais tratamentos para pacientes hospitalizados pela Covid-19. 

 

De onde parte a dúvida em relação ao estudo?

A Covid-19 gera um estado de hipercoagulabilidade, aumentando o risco para formação de trombos nos vasos sanguíneos, aumentando o risco para Tromboembolismo Pulmonar. 

 

Quando o estudo aconteceu?

Entre novembro de 2020 e março de 2021 o estudo RECOVERY incluiu aproximadamente 15.000 pacientes hospitalizados pela Covid-19 na avaliação dos efeitos da aspirina, droga usada amplamente a fim de reduzir a formação de trombos em outras doenças.

 

Metodologia do estudo

7.351 pacientes foram randomizados para receber 150 mg de aspirina uma vez ao dia, enquanto que 7.541 pacientes foram randomizados para receber o cuidado usual isoladamente. 

 

Resultados

Não houve evidência que a aspirina tenha reduzido a mortalidade, não houve diferença significativa entre o desfecho primário, a mortalidade no 28º dia (17 % para o grupo aspirina e 17% para o tratamento usual) com um risco relativo de 0,96 e um intervalo de confiança de 95% entre 0,89 e 1,04 para um p 0,35. Os resultados foram consistentes com todos os subgrupos pré-especificados de pacientes.

 

Outros desfechos analisados no estudo

Os desfechos secundários, ou seja, aqueles que não eram objetivo do estudo analisar foram a duração da hospitalização, o número de pessoas em ventilação mecânica, além disso também foi comparado o risco de sangramento em relação às pessoas que tiveram evento tromboembólico, segundo Peter Horby, professor de doenças infecciosas emergentes no Departamento de medicina de Nuffield, na universidade de Oxford e Investigador chefe do grupo que está realizando o estudo clínico RECOVERY.

Os dados mostram que em pacientes hospitalizados com a Covid-19, a aspirina não esteve relacionada com a redução da mortalidade em 28 dias, assim como não esteve relacionada com o risco de progredir para ventilação mecânica ou morte. Embora a aspirina estivesse associada com um pequeno aumento na probabilidade de sair vivo do hospital, no entanto isso não parece ser uma evidência sólida para ser aplicada em pessoas hospitalizadas com a Covid-19.

Para acessar o artigo na íntegra, clique aqui.

 

Artigos relacionados


 


Escrito por Yan Kubiak Canquerino - Colaborador da Academia Médica


 

Referências

RECOVERY trial finds aspirin does not improve survival for patients hospitalised with COVID-19 — RECOVERY Trial. Acesso em 05/08/2021.

Aspirin in patients admitted to hospital with COVID-19 (RECOVERY): a randomised, controlled, open-label, platform trial | medRxiv. Acesso em 05/08/2021.

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você