[ editar artigo]

A corrida da vacina COVID-19

A corrida da vacina COVID-19

Cientistas de todo o mundo estão trabalhando mais rápido do que nunca para desenvolver e produzir vacinas que podem impedir a disseminação do COVID-19, com 21 vacinas sendo lançadas em países do mundo todo. Aqui está uma visão geral dessas vacinas e desenvolvimentos recentes de candidatos em ensaios clínicos.

ATUALIZAÇÕES RECENTES

  • Em todo o mundo, existem agora 121 vacinas candidatas COVID-19 em testes clínicos e 194 candidatas em desenvolvimento pré-clínico.

  • As vacinas desenvolvidas pela empresa canadense Medicago e pela empresa indiana Biological E. ambas passaram para a fase 3 dos ensaios.

  • TURKOVAC, uma nova vacina candidata desenvolvida pela Turkish Kocak Farma e Health Institutes of Turkey, registrou seu ensaio de fase 2.

Quando as vacinas candidatas chegam aos ensaios clínicos em humanos, elas primeiro passam por testes de fase 1, principalmente para testar a segurança da vacina, determinar as dosagens e identificar quaisquer efeitos colaterais em potencial em um pequeno número de pessoas. 

Os ensaios de fase 2 exploram ainda mais a segurança e começam a investigar a eficácia em grupos maiores. 

Os ensaios de fase 3, aos quais poucas vacinas chegam, são muito maiores, envolvendo milhares ou dezenas de milhares de pessoas, para confirmar e avaliar a eficácia da vacina e testar se há algum efeito colateral raro que só aparece em grandes grupos . 

O estágio final, estudos de fase 4, é conduzido após a aprovação regulatória nacional e envolve monitoramento adicional em uma ampla população por um período de tempo mais longo como uma forma de vigilância pós-comercialização (farmacovigilância). 

No entanto, nem todas as vacinas que foram aprovadas para uso doméstico estão em testes de fase 4. Os reguladores em muitos países têm seus próprios procedimentos e cronogramas individuais para fornecer autorizações de uso de emergência, contando com vários tipos de evidências em diferentes fases de ensaios clínicos. Alguns reguladores nacionais, incluindo aqueles na Rússia e na China, começaram a aprovar vacinas para uso público (limitado ou generalizado) antes mesmo de os ensaios de fase 3 serem concluídos. A Organização Mundial da Saúde (OMS) lista os candidatos em vários estágios dos ensaios clínicos.

Vacinas candidatas que estão nos testes de fase 1 ou além.

Vacina de DNA

Os ensaios de fase 1 em participantes saudáveis ​​começaram a recrutar participantes em dezembro de 2020, envolvendo 36 voluntários na fase inicial.

  • Codagenix/ Instituto de soro da Índia

Os testes de fase 1 desta vacina intranasal, denominada COVI-VAC, começaram na primeira semana de janeiro - assim como as outras vacinas nasais sendo testadas, ela não requer uma injeção, nem precisa de armazenamento ultrarrefecido como algumas vacinas de RNA . 

  • Vaxart(EUA)

Vacina de vetor viral

No início de 2020, Vaxart começou a trabalhar em uma vacina oral para COVID-19 usando um adenovírus chamado Ad5 para entregar parte do vírus no corpo para desencadear uma resposta imunológica. Em outubro de 2020, iniciou os testes de fase 1.

  • Ludwig- Maximilians University of Munich (Alemanha)

Vacina de vetor viral

Em 30 de setembro, o teste de fase 1 para esta vacina de vetor viral não replicante foi aprovado, envolvendo 30 participantes saudáveis ​​com idade entre 18 e 55 anos.

  • City of Hope (EUA)

Vacina de vetor viral

Os ensaios de fase 1 desta vacina com base em uma forma enfraquecida de um vírus chamado "Modified Vaccinia Ankara", ou MVA, para abreviar, começaram em 24 de novembro e iniciaram a fase 2 em julho de 2021.

  • Hospital Universitário Tübingen (Alemanha)

Vacina de Proteínas virais

No início deste ano, pesquisadores da Universidade de Tübingen, na Alemanha, criaram uma vacina feita de proteínas virais, junto com um adjuvante imunoestimulante. Em setembro de 2020, lançou um teste de fase 1. Em junho de 2021, os testes da Fase 1/2 foram lançados com 68 participantes.

  • Imperial College (Reino Unido)

Vacina de RNA

Esta vacina candidata, que usa tecnologia de RNA de autoamplificação (saRNA), foi desenvolvida por pesquisadores do Imperial College London. A pesquisa recebeu £ 41 milhões em financiamento do governo do Reino Unido. Também recebeu £ 5 milhões por meio de doações filantrópicas. O ensaio clínico na fase atual envolverá a administração da vacina de duas doses a 300 indivíduos saudáveis. Os voluntários já começaram a receber a primeira dose da vacina. O Imperial College também criou a VacEquity Global Health, uma empresa social para desenvolver e distribuir vacinas de baixo custo em todo o mundo, inclusive para países de baixa e média renda. Ele começou os testes de fase 1/2 em 15 de junho de 2020. No entanto, em janeiro, o Imperial College anunciou que não haverá mais ensaios de eficácia no Reino Unido, além dos atualmente em andamento, especialmente devido ao número de vacinas já aprovadas e em uso no país. Em vez disso, agora concentrará seus esforços em fazer com que seus candidatos existentes funcionem como poderosas vacinas de reforço contra ameaças de coronavírus emergentes e de longo prazo, incluindo mutações e variantes.

  • SYmvivo (Austrália)

Vacina de DNA

Os testes de fase 1 começaram em novembro para sua vacina candidata de DNA oral.

  • Universidade de Chulalongkorn (Tailândia)

Vacina de RNA

O Chula Vaccine Research Center registrou um ensaio clínico de fase 1 em humanos para testar sua vacina, ChulaCOv19.

  • Entos Pharmaceuticals Inc (Canadá)

Vacina de DNA

Ao contrário da maioria das vacinas baseadas em DNA que carregam o gene para a proteína spike na superfície do vírus, a Covigenix VAX-001 da Entos, com sede no Canadá, carrega o gene da proteína que fica dentro da membrana do vírus. Espera que isso possa oferecer imunidade que dure mais. A empresa lançou um teste de fase 1 no Canadá em outubro de 2020.

  • Admmune Corporation (Taiwan)

Vacina de proteínas virais

A Adimmune lançou um teste de fase 1 em agosto de 2020 com 70 participantes adultos.

  • Instituto Médico Genoimune Shenzhen (China)

Vacina de vetor viral

O Shenzhen Geno-Immune lançou um ensaio de fase 1 com 100 participantes para sua vacina COVID-19 / aAPC em março de 2020.

  • Baqiyatillah University (Irã)

Vacina de proteína viral

Pesquisadores da Universidade Baqiyatallah de Ciências Médicas, no Irã, desenvolveram uma vacina à base de proteína. Em 27 de junho, o Corpo da Guarda Revolucionária Islâmica anunciou que a vacina chamada Noora havia entrado na fase 1 dos testes.

  • Universidade de Sydney (Austrália)

Vacina de DNA

Em fevereiro de 2021, a Universidade de Sydney lançou um ensaio de fase 1 para avaliar a segurança e tolerabilidade de uma nova vacina COVID-19 de duas doses chamada COVIGEN, desenvolvida por uma empresa chamada BioNet-Asia.

  • Providence Therapeutics (Canadá)

Vacina de RNA

A Providence Therapeutics, com sede no Canadá, desenvolveu uma vacina de mRNA COVID-19 chamada PTX-COVID19-B. A empresa acaba de lançar os ensaios de fase 1 para a vacina com 60 participantes adultos.

  • Bharat Biotech International Limited (Índia)

Vacina de vetor viral

A Bharat Biotech lançou os ensaios de fase 1 para sua segunda vacina COVID-19, chamada BBV154, com 175 participantes. Ao contrário da primeira vacina COVID-19 da empresa, que é uma vacina de vírus inativado, o BBV154 é uma vacina de vetor adenoviral fornecida como spray nasal.

  • Glaxosmithkline (Reino Unido)

Vacina de RNA

Em fevereiro, a GlaxoSmithKline lançou um ensaio de fase 1 para sua vacina candidata, a vacina CoV-2 SAM (LNP), que será administrada por via intramuscular a 40 participantes adultos.

  • SK Biocience CO LTD (Coría do Sul)

Vacina de proteína viral

 Em fevereiro de 2021, a SK Bioscience lançou um ensaio de fase 1 e 2 com 50 participantes para sua vacina chamada NBP2001 , que contém fragmentos de proteína spike.

  • Gritstone Oncology(EUA)

Vacina de vetor viral

A Gritstone Oncology lançou um ensaio de fase 1 para testar como suas duas vacinas COVID-19 funcionam juntas, com o adenovírus de chimpanzé (ChAd) servindo como a primeira dose e o RNA autoamplificador como a segunda dose.

  • Walter Reed Instituto de Pesquisa(EUA)

Vacina de Proteína viral

Walter Reed, o maior laboratório de pesquisa biomédica do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, lançou um ensaio de fase 1 para sua vacina candidata, Spike Ferritin Nanoparticle (SpFN). SpFN é uma vacina de nanopartículas contra COVID-19 que implanta proteínas de pico com um adjuvante de formulação lipossomal (ALFQ).

  • Organização de Inovação e Pesquisa Defesiva (Irã)

Vacina Inativada

Em março, a Organização de Inovação e Pesquisa Defensiva, subsidiária do Ministério da Defesa do Irã, lançou um ensaio de fase 1 para a terceira vacina desenvolvida localmente no país, FAKHRAVAC (MIVAC). O FAKHRAVAC, que será testado em duas dosagens diferentes, cada uma injetada como parte de um esquema de duas doses, com intervalo de duas e três semanas, leva o nome de Mohsen Fakhrizadeh, um dos principais cientistas nucleares do Irã que foi morto no final de novembro de 2020.

  • Miessa Vaccines, INC. (EUA)

Vacina viral atenuada

Em março de 2021, a Meissa Vaccines, com sede na Califórnia, lançou um ensaio de fase 1 para sua vacina candidata COVID-19, MV-014-212. Esta vacina viva atenuada é formulada para ser administrada como uma vacina de dose única intranasal, sem adjuvante e sem agulha. MV-014-212 foi gerado usando a plataforma de biologia sintética AttenuBlock da empresa , que estava sendo usada para desenvolver vacinas candidatas ao vírus sincicial respiratório atenuado (RSV) projetado para aumentar a expressão do antígeno e diminuir ou eliminar os genes de expressão que neutralizam a resposta imune. Para aplicar esta plataforma para trabalhar contra COVID-19, as proteínas de superfície RSV foram substituídas pela proteína de pico SARS-CoV-2.

  •  Conselho de Pesquisa Científica e tecnológica da Turquia (Turquia)

Vacina de vetor viral

Em março de 2021, o Conselho de Pesquisa Científica e Tecnológica da Turquia lançou um ensaio de fase 1 para sua vacina de partículas semelhantes a vírus (VLP) COVID-19. Cada uma das partículas semelhantes a vírus na vacina de duas doses carrega quatro das proteínas do coronavírus.

  • Jiangsu Rec-Biotechnology (China)

Vacina de Proteína viral

A Jiangsu Rec-Biotechnology, de Taizhou, lançou um ensaio de fase 1 para sua vacina, conhecida como ReCOV. A vacina candidata é uma vacina COVID-19 recombinante de dois componentes (célula CHO), que adota um conceito de design de vacina baseado em estrutura e guiada por anticorpos neutralizantes avançados . Em comparação com a vacina de vírus inteiro inativado ou a vacina de proteína S completa, espera-se que os recursos imunológicos sejam mais focados e reduza o risco de ADE causado por anticorpos não neutralizantes.

  • Tetherex Pharmaceuticals Corporation  (EUA)

Vacina de vetor viral não replicante

A Tetherex Pharmaceuticals Corporation, sediada em Oklahoma, lançou um ensaio de fase 1 para sua vacina candidata COVID-19, chamada SC-Ad6-1, em abril de 2021.

  • Senais Cimatec (Brasil)

Vacina de RNA

Em abril de 2021, o SENAI CIMATIC, com sede no Brasil, lançou um ensaio de fase 1 com 78 participantes para sua vacina candidata COVID-19 chamada HDT-301, que é formulada como uma nova nanopartícula lipídica-inorgânica. Como uma vacina de mRNA autorreplicante que é administrada por via intramuscular, HDT-301 tem o potencial de permitir as vantagens de economia de dose e, possivelmente, administração como uma dose única, em comparação com algumas outras plataformas de mRNA.

  • Conselho de Pesquisa Científica e Tecnológica da Turquia (TURQUIA)

Vírus inativado

Além de sua vacina COVID-19, conhecida como VLP Vaccine, o Conselho de Pesquisa Científica e Tecnológica da Turquia (TÜBİTAK) também desenvolveu uma vacina que usa coronavírus inativados. A TÜBİTAK registrou um ensaio de fase 1 com 50 participantes em abril de 2021. Em julho de 2021, a TÜBİTAK lançou seu ensaio de Fase 2 com 330 participantes.

  • Moderna INC. (EUA)

Vacina de RNA

A Moderna desenvolveu sua terceira vacina candidata COVID-19 , uma potencial vacina de mRNA estável em geladeira que facilitará a distribuição e administração por profissionais de saúde. A vacina, conhecida como mRNA-1283, será administrada juntamente com outra vacina Moderna, a mRNA-1273, que já recebeu a Lista de Uso de Emergência da Organização Mundial de Saúde e atualmente está sendo oferecida à população em geral.

O ensaio de fase 1 avaliará a segurança e eficácia de três diferentes níveis de dose da vacina candidata de mRNA-1283 dada como uma série de duas doses, 28 dias de intervalo, e um nível de dose de mRNA-1283 dado a adultos saudáveis ​​em uma única dose . Estes serão comparados com uma série de duas doses de mRNA-1273, o nível de dose atualmente autorizado. A empresa espera que o mRNA-1283 seja avaliado em estudos futuros para uso como dose de reforço para indivíduos previamente vacinados ou soropositivos e em uma série primária para indivíduos soronegativos.

  • Laboratoria Avi-Mex (México)

Vírus inativado

Em maio de 2021, o Laboratoria Avi-Mex com sede no México lançou um ensaio de fase 1 com 90 voluntários para sua vacina COVID-19 recombinante, conhecida como Patria, que é baseada no vetor viral, vírus da doença de Newcastle, ou rNDV. O Patria está sendo desenvolvido com tecnologia da Icahn School of Medicine no Mount Sinai em Nova York e uma proteína HexaPro desenvolvida pela Universidade do Texas em Austin. Outras versões da vacina entrarão em ensaios clínicos como injeções no Brasil, Tailândia e Vietnã. De acordo com a empresa , a versão do Avi-mex é a única a ser testada com vírus ativo e também a ser testada tanto em spray intranasal quanto em injeção.

  • Stemirna Therapeutics e o Shanghai East Hospital (China)

Vacina de RNA

A Stemirna Therapeutics e o Shanghai East Hospital lançaram um ensaio de fase 1 para sua vacina COVID-19 baseada em mRNA entre participantes adultos suscetíveis a COVID-19.

  • OSE Immunotherapeutics (France)

SUBUNIDADE DE PROTEÍNA VACINA

OSE Immunotherapeutics lançou um ensaio de fase 1 para sua vacina chamada CoVepiT. A vacina baseada em peptídeos tem como objetivo ensinar o corpo a induzir uma resposta imune (exclusivamente, uma que é mediada por células T CD8 + ) contra 11 proteínas diferentes do coronavírus. A empresa desenvolveu a vacina para atingir as proteínas (Spike, M, N e várias proteínas não estruturais) que cobrem todas as variantes iniciais e emergentes do COVID-19. Eles têm uma baixa chance de sofrer mutação, o que potencialmente torna o CoVepiT uma "prova variante".

  • Vaxform (EUA)

Vacina de protina viral

A VaxForm desenvolveu uma vacina COVID-19 que pode ser tomada por via oral como um líquido. A vacina de duas doses, conhecida como CoV2-OGEN1, foi criada para ser estável à temperatura ambiente e, ao contrário das vacinas injetáveis, não requer administração por profissional médico. Em maio de 2021, a Syneos Health, em colaboração com a US Specialty Formulations, registrou um ensaio clínico de fase 1 para CoV2-OGEN1 com 45 participantes na Nova Zelândia.

  • Unidade de pesquisa MRC/ UVRI e Uganda (Uganda)

Vacina de RNA

ensaio de fase 1, registrado em 22 de junho de 2021, baseia-se na experiência clínica usando a vacina LNP nCOV autoamplificadora de RNA (saRNA) atualmente em avaliação com COVAC1 no Reino Unido. No estudo COVAC1, o Imperial College London está avaliando uma vacina candidata COVID-19 saRNA em doses de 0,1-10ug para indivíduos que são soronegativos para anticorpos contra SARS-CoV-2 no início do estudo. O ensaio COVAC Uganda está alternativamente olhando para o uso da vacina saRNA, conhecida como LNP-nCOV saRNA-02 e avaliando a resposta imune em indivíduos soronegativos e soropositivos para anticorpos contra SARS-CoV-2. Este ensaio, que será conduzido com 42 participantes entre 18 e 42 anos, não está analisando se a vacina é ou não eficaz em termos de proteção.

  • Baiya Phytopharm (Thaylandia)

Vacina de proteína viral

A Baiya Phytopharm registrou um ensaio de fase 1 da vacina Baiya SARS-CoV-2 VAX1 em 7 de julho de 2021. A vacina usa tecnologia baseada em plantas para desenvolver imunidade. O ensaio deve ser realizado em setembro de 2021, com 96 participantes com idades entre 18-50 para grupos de adultos e> 60-75 para grupos de idosos.

  • Bagheiat-Allah University of Medical Sciences (Irã)

Vacina de proteína viral

Em 25 de junho de 2021, um ensaio clínico de fase 1 foi registrado para a vacina recombinante da proteína RBD SARS-CoV-2. O ensaio está recrutando atualmente 70 participantes entre 18 e 50 anos.

  • CyanVac LLC (EUA)

Vacina de Vetor Viral

Os desenvolvedores de vacinas com base nos Estados Unidos, CyanVac LLC, lançaram seu ensaio não randomizado de fase 1 de sua vacina, PIV5, com 80 participantes em julho de 2021.

  • Shanghai Zerun Biotechnology, a Walvax Biotechnology e  CEPI (China)

Vacina de proteína viral

A Shanghai Zerun Biotechnology, a Walvax Biotechnology e a CEPI lançaram os ensaios de fase 1 da vacina 202-CoV com 144 participantes em julho de 2021.

AVALIAÇÕES ABANDONADAS

  • Universidade de Queensland (AUSTRÁLIA)

Vacina de proteína viral

Em dezembro de 2020, a Universidade de Queensland abandonou sua vacina candidata v451 COVID-19 com a CSL Limited, porque as pessoas apresentavam teste positivo para HIV, embora não estivessem infectadas com o vírus. Agora, em colaboração com a Syneos Health e a Coalition for Epidemic Preparedness Innovations (CEPI), a universidade continuou investigando sua vacina COVID-19 Sclamp com adjuvante MF59. A vacina é administrada como uma injeção diretamente no músculo da parte superior do braço de participantes saudáveis. Em abril de 2021, eles publicaram os resultados de seu estudo de Fase 1 abandonado, indicando que o candidato ainda poderia ser eficaz contra COVID-19. Os testes da fase da vacina Sclamp foram suspensos em março de 2021.

  • Altimmune, INC. (MARYLAND, EUA)

Vacina de vetor viral não replicante.

Esta empresa biofarmacêutica sediada em Maryland estava testando uma vacina em spray nasal para COVID-19, que distribui o adenovírus Ad5 para as vias aéreas humanas, mas acaba de interromper os testes após os testes de fase 1 terem mostrado que produziu imunidade substancialmente mais baixa do que outras vacinas COVID-19 em uso.

  • Universidade de Queensland (AUSTRÁLIA)

Vacina de proteína viral

Esta foi a primeira vacina candidata COVID-19 a ser abandonada. Pesquisadores da University of Queensland, em Brisbane, estavam usando uma técnica patenteada de desenvolvimento de vacina chamada 'clamp molecular' que os pesquisadores projetaram para impedir a desnaturação da proteína spike do coronavírus. Como esse grampo é semelhante a uma proteína do HIV, ele fez com que alguns participantes produzissem anticorpos contra o HIV, embora fossem perfeitamente saudáveis. Os pesquisadores lançaram os testes de fase 1 em julho. Em setembro, os fabricantes de vacinas fizeram  um acordo com o governo australiano para entregar 51 milhões de doses, um contrato que agora foi cancelado.

  • Merck / Dohme  / IAVI (EUA)

VIRAL VECTOR VACCINE

A Merck uniu forças com a organização sem fins lucrativos IAVI para produzir uma vacina candidata que usava a tecnologia do vírus da estomatite vesicular recombinante (rVSV) que é a base da vacina contra o vírus Ebola Zaire da Merck, ERVEBO. A vacina do Ebola funcionou tão bem em pessoas mais velhas quanto em adultos jovens e saudáveis. Em 25 de janeiro, a Merck anunciou que estava abandonando seus testes de vacinas porque a vacina falhou em desencadear uma resposta imunológica comparável ao que acontece em uma infecção natural por COVID-19.

  • Merck / Instituto Pasteur (EUA)

Vacina de vetor viralA Merck adquiriu a empresa austríaca Themis Bioscience em junho e também estava trabalhando em uma vacina alternativa desenvolvida originalmente no Institut Pasteur. A vacina usou o vírus do sarampo enfraquecido para transportar material genético para as células. Um ensaio clínico de fase 1  lançado em agosto de 2020, mas foi abandonado neste mês, porque a vacina provocou uma resposta mais fraca do que quando infectada naturalmente com COVID-19.

Estas são as atualizações da semana. 

Em breve mais novidades sobre a corrida das vacinas de COVID-19.

Conteúdo relacionado

 

Referência

GAVI- A corrida da vacina COVID-19 - atualização semanal  https://www.gavi.org/vaccineswork/covid-19-vaccine-race

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você