Academia Médica
Academia Médica
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
VOLTAR

A importância da boa comunicação entre médico e paciente na realização de cirurgias bariátrica e metabólica

A importância da boa comunicação entre médico e paciente na realização de cirurgias bariátrica e metabólica
Academia Médica
dez. 20 - 4 min de leitura
000

O estudo de coorte prospectivo publicado no Journal of the American Medical Association (JAMA) analisou dados de 408 pacientes encaminhados para cirurgias metabólica e bariátrica, descobrindo que existe uma associação entre a satisfação do paciente e a relação médico-paciente com a decisão de concluir a cirurgia, independentemente da raça e etnia.

Desses 408 pacientes, 86,6% eram mulheres e 13,4% eram homens. Um total de apenas 124 pacientes completou a cirurgia. Os três fatores mais relatados para a conclusão incluíram qualidade técnica, comunicação, acessibilidade e conveniência.

Atualmente, 41,9% dos adultos nos Estados Unidos têm obesidade (índice de massa corporal ≥30,0). Projeções mostram que metade dos adultos terá obesidade até 2030. As cirurgias metabólica e bariátrica são um tratamento eficaz e seguro para o problema, podendo melhorar  comorbidades relacionadas a ele, como diabetes tipo 2, dislipidemia e hipertensão.

No entanto, os métodos são ferramentas subutilizadas para o tratamento da obesidade, pois apenas cerca de metade dos indivíduos elegíveis e encaminhados para o procedimento o completam. Apesar dos resultados do artigo não encontrarem diferenças nos resultados entre raça e etnia, a literatura citada mostrou que a discriminação racial existe em ambientes de cuidados de saúde.

Pacientes negros não hispânicos e hispânicos/latinos tendem a ter um nível mais baixo de confiança no sistema de saúde do que pacientes brancos não hispânicos. Pacientes negros não hispânicos são mais propensos a ter preocupações sobre privacidade ou o potencial de experimentação prejudicial durante o tratamento. Além disso, os homens costumam ter mais desconfiança do que as mulheres.

No estudo do JAMA, a satisfação do paciente com seu médico foi medida por 7 dimensões (satisfação geral, qualidade técnica, maneira interpessoal, comunicação, aspectos financeiros, tempo gasto com o médico e acessibilidade e conveniência), usando o Formulário Curto do Questionário de Satisfação do Paciente.

Os resultados encontrados com a análise do formulário sugerem que melhorar as relações médico-paciente para todos os grupos raciais e étnicos pode ajudar a melhorar a taxa de utilização de cirurgia bariátrica e metabólica.

Para os pesquisadores, excelentes habilidades de comunicação são um dos componentes mais críticos para permitir a alocação de confiança do paciente ao cirurgião. Melhorar a comunicação não apenas melhorará a satisfação do paciente, mas também os resultados dos cuidados de saúde.

Os autores citam algumas estratégias para melhorar a relação médico-paciente, particularmente no contexto da decisão de prosseguir com a cirurgia. São elas:

1-  Tomada de decisão compartilhada:  é um método eficaz para facilitar o envolvimento do paciente e os resultados dos cuidados de saúde. Essa estratégia tem três etapas principais: introduzir a escolha, descrever as opções e ajudar os pacientes a explorar suas preferências e tomar decisões. Quando os médicos passam tempo adequado com os pacientes ao tomar uma decisão, é mais provável que os pacientes tenham uma melhor satisfação e se submetam à cirurgia.

2- Teoria do apego: afirma que “esquemas cognitivos baseados em experiências anteriores repetidas com cuidadores influenciam como os indivíduos percebem e agem nas relações interpessoais”. Logo, os pacientes desenvolvem apego aos médicos quando sentem-se seguros com eles e se o cuidado prestado for genuíno. Um estudo mostrou que o apego entre pacientes e médicos estava positivamente associado à continuidade das consultas de saúde, uso de serviços de saúde e percepção dos sintomas.

3 - Por fim,  a relação médico-paciente é aprimorada quando os pacientes percebem semelhanças com seus médicos. Assim, apesar da concordância racial ser um dos fatores mais significativos para perceber a similaridade pessoal, para melhorar os resultados dos cuidados de saúde entre uma população diversa de pacientes, pode ser necessário treinar duplas de médico-pacientes racialmente discordantes sobre como melhorar o engajamento, a qualidade da comunicação e centrar-se no paciente, construindo confiança.

Referência:

Luyu Xie et al, Association Between Patient Satisfaction With Their Patient-Physician Relationship and Completion of Bariatric Surgery by Race and Ethnicity Among US Adults, JAMA Network Open (2022).  DOI: 10.1001/jamanetworkopen.2022.47431

Leia mais 

Quais são os efeitos da cirurgia bariátrica na mortalidade e na doença cardiovascular?

Impacto positivo de gastroplastia na perda de peso mantém-se após um ano do procedimento

Excesso de oxigênio em cirurgias e o risco aos pacientes

Então você quer ser um cirurgião? 10 Dicas para ajudá-lo neste caminho





Denunciar publicação
    000

    Indicados para você