Academia Médica
Academia Médica
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
VOLTAR

Benefícios da alimentação com restrição de tempo aliada a exercício de alta intensidade no controle glicêmico a longo prazo

Benefícios da alimentação com restrição de tempo aliada a exercício de alta intensidade no controle glicêmico a longo prazo
Academia Médica
out. 5 - 3 min de leitura
000


A alimentação com restrição de tempo e o treinamento intervalado de alta intensidade (HIIT) mostraram ser mais eficazes no controle glicêmico a longo prazo quando combinados do que quando adotados de forma isolada. É o que demonstra um estudo randomizado publicado na revista Cell Metabolism.

Segundo os pesquisadores, a combinação desses métodos de emagrecimento melhorou o controle glicêmico médio de longo prazo e reduziu cerca de duas vezes mais a massa de gordura e a área de gordura visceral. 

O estudo dividiu os participantes em quatro grupos, sendo dois com apenas uma atividade alimentar com restrição de tempo ou HIIT, um grupo combinando as duas estratégias e um grupo de controle. As 131 mulheres analisadas tinham sobrepeso ou obesidade e fatores de risco para doenças cardiometabólicas, como diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares. 

A alimentação com restrição de tempo foi definida como o consumo de todas as calorias diárias dentro de 10 horas e o HIIT foi definido como exercício realizado a 90% da frequência cardíaca máxima por 35 minutos, três vezes na semana. Os exercícios foram supervisionados pelos professores e as primeiras e últimas calorias do dia foram registradas pelos próprios participantes. 

Durante sete semanas, os pesquisares analisaram a pressão arterial dos participantes, o índice de massa corporal, os níveis de gordura e colesterol no sangue e várias medidas de glicose no sangue e níveis de insulina. 

A combinação das estratégias foi capaz de melhorar o controle glicêmico dos participantes com a medição da hemoglobina glicada, com redução do controle médio de longo prazo. Além disso, houve redução efetiva de gordura e gordura visceral, aumentando aptidão cardiorrespiratória, a qual foi aferida como o pico de consumo de oxigênio.

Apesar dos resultados positivos, a combinação, em comparação com o grupo controle não alterou significativamente os níveis de lipídios no sangue, os hormônios do apetite e sinais citais após as intervenções.

Referência:

Trine Moholdt, Additive Effects of Time-Restricted Eating and Exercise Training on HbA1c and Body Composition in Women with Overweight/Obesity: A Randomized Controlled Trial, Cell Metabolism (2022). DOI: 10.1016/j.cmet.2022.09.003 . www.cell.com/cell-metabolism/f … 1550-4131(22)00393-X

Leia também: 

Saiba quantos passos você deve dar diariamente para manter a saúde

O índice glicêmico realmente importa?

Vitamina D não previne diabetes tipo 2 em adultos de alto risco, diz estudo

A culpa é da melatonina: jantar tarde pode aumentar o risco de Diabetes mellitus tipo 2

Evidências de dietas baixas em carboidratos para adultos com Diabetes tipo 2

Dietas com elevados índices glicêmicos matam mais do que as dietas Low Carb




Denunciar publicação
    000

    Indicados para você