Academia Médica
Academia Médica
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
VOLTAR

Como as Mudanças Climáticas Influenciam a Resistência aos Antibióticos

Como as Mudanças Climáticas Influenciam a Resistência aos Antibióticos
Academia Médica
jan. 8 - 3 min de leitura
000

Um artigo publicado na revista Nature, em 08 de janeiro de 2024, aborda uma preocupação crescente na saúde global: a interseção entre mudanças climáticas e a resistência aos antibióticos. Esse vínculo foi exemplificado pelo caso de Acra, Gana, onde a microbiologista Adwoa Padiki Nartey enfrentou uma infecção bacteriana resistente a antibióticos, agravada pelas condições climáticas locais. O relato de Nartey é um exemplo preocupante de como as alterações climáticas estão afetando diretamente a saúde pública.

Conforme destaca a publicação, estudos liderados por cientistas como Pamela Yeh, da Universidade da Califórnia em Los Angeles, estão investigando a relação entre essas duas ameaças significativas à saúde. A Organização Mundial da Saúde (OMS) já emitiu alerta sobre o aumento de infecções causadas por bactérias resistentes, transformando rotinas diárias em potenciais riscos mortais.

A resistência aos antibióticos, um fenômeno complexo exacerbado pelo uso inadequado desses medicamentos em humanos, animais e plantas, é agravada pelas mudanças climáticas, que favorecem a proliferação bacteriana e a disseminação de genes de resistência. Além disso, condições extremas, como inundações e secas, reduzem o acesso à água potável e elevam o uso de antibióticos.

Pesquisadores como Lianping Yang, da Universidade Sun Yat-sen, na China, identificaram uma correlação entre o aumento da temperatura e a resistência a antibióticos específicos, como os carbapenêmicos – uma classe de antibióticos de amplo espectro utilizados como última linha de defesa contra várias infecções graves. Eles descobriram que um aumento de 1°C na temperatura média do ar está ligado a um aumento na resistência ao carbapenem em cepas de K. pneumoniae.

Temperaturas extremas podem também induzir alterações genéticas nas bactérias, fortalecendo sua resistência. Estudos indicam que tanto o calor quanto alguns antibióticos podem alterar de maneira similar a expressão gênica bacteriana.

Diante deste desafio, a comunidade científica aponta a necessidade de uma ação global coordenada, inspirando-se em iniciativas contra as mudanças climáticas. A OMS já deu início a esforços com o GLASS (Sistema Global de Vigilância da Resistência aos Antimicrobianos), mas estratégias mais abrangentes são essenciais.

Melhorar o acesso à água limpa e às instalações sanitárias, bem como intensificar a educação sobre o uso apropriado de antibióticos, são medidas cruciais. Um exemplo notável de sucesso vem do Líbano, onde um programa educacional resultou na redução significativa do uso de carbapanêmicos em um hospital.

Este panorama sublinha a relação intrincada entre saúde global, mudanças climáticas e políticas públicas. À medida que as temperaturas globais continuam a subir, torna-se cada vez mais vital compreender e abordar a interconexão entre esses fatores para proteger a saúde pública em todo o mundo.


Leia também: 



Referência: 

Wong, C. (2024, January 8). Antibiotic resistance is a growing threat — is climate change making it worse? Nature. Retrieved from https://www.nature.com/articles/d41586-023-04077-0



Estar atualizado sobre as últimas descobertas e inovações nas ciências médicas faz sentido pra você? Se sim, inscreva-se em nossa newsletter e receba nossos conteúdos diretamente em sua caixa de e-mail!




Denunciar publicação
    000

    Indicados para você