Academia Médica
Academia Médica
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
VOLTAR

Gripe, Eventos Cardíacos e Vacinação: Análise em pacientes alto risco

Gripe, Eventos Cardíacos e Vacinação: Análise em pacientes alto risco
Academia Médica
set. 14 - 4 min de leitura
000

Fonte: JAMA Netw Open. 2023. doi:10.1001/jamanetworkopen.2023.31284

A associação temporal entre a atividade da doença semelhante à influenza (ILI) ou "sindrome gripal" e eventos cardiovasculares em pacientes com doenças cardiovasculares de alto risco foi explorada em uma análise secundária de um ensaio clínico randomizado, publicado no JAMA Netw Open em 14 de setembro de 2023. O estudo originou-se da observação de que a influenza, ou gripe, tem sido historicamente associada a um aumento do risco de eventos cardiopulmonares, incluindo infarto do miocárdio e insuficiência cardíaca.

O ensaio clínico denominado INVESTED avaliou a eficácia da vacina contra a gripe em alta dose trivalente versus a dose padrão quadrivalente em participantes norte-americanos com doenças cardiovasculares de alto risco durante as temporadas de influenza de 2016 a 2019. Surpreendentemente, a vacina em alta dose não demonstrou ser superior à vacina em dose padrão na prevenção do ponto final primário, que era o tempo até a primeira hospitalização cardiopulmonar ou morte por qualquer causa.

O gráfico abaixo, derivado do estudo, ilustra o risco temporal do desfecho primário.

Fonte: JAMA Netw Open. 2023. doi:10.1001/jamanetworkopen.2023.31284

A análise secundária teve como objetivo investigar se a eficácia do tratamento poderia ser diferente durante períodos de alta atividade de ILI. Ao comparar a atividade ILI definida localmente com os desfechos do ensaio INVESTED, os pesquisadores descobriram que um aumento de 1% na atividade ILI na semana anterior estava associado a um risco aumentado de hospitalização cardiopulmonar e morte, assim como hospitalizações cardiovasculares.

No entanto, a alta dose da vacina contra influenza não se mostrou superior à dose padrão, mesmo durante os períodos de alta atividade ILI. Assim, a associação temporal entre a atividade ILI e os eventos cardiovasculares permaneceram, independentemente da dosagem da vacina recebida.

Um aspecto interessante do estudo foi a observação de que meses mais quentes, como julho, agosto e setembro, estavam associados a um menor risco de eventos, mesmo após ajustes para a atividade ILI. Isso sugere que outros fatores sazonais, além da influenza, podem desempenhar um papel na variação sazonal dos eventos cardiovasculares.

Na figura abaixo, é possível obsevar o risco temporal do desfecho primário por mês independente da atividade da doença semelhante à influenza.

Fonte: JAMA Netw Open. 2023. doi:10.1001/jamanetworkopen.2023.31284

Já, a figura a seguir, expressa a associação das probabilidades semanais de desfechos primários e secundários com a atividade da doença semelhante à influenza (ILI)

Fonte: JAMA Netw Open. 2023. doi:10.1001/jamanetworkopen.2023.31284

Em resumo, a análise secundária do ensaio INVESTED revelou que, em pacientes com doenças cardiovasculares de alto risco, a atividade ILI estava temporalmente associada a hospitalizações cardiopulmonares e cardiovasculares. No entanto, uma dose mais alta da vacina contra a gripe não reduziu significativamente o risco cardiovascular temporal em comparação com a dose padrão. Fica claro que mais estudos são necessários para entender plenamente a interação entre a influenza e os eventos cardiovasculares e para avaliar novas estratégias de mitigação dos riscos associados.



Leia também: 


Referência:

Hegde SM, Claggett BL, Udell JA, et al. Temporal Association Among Influenza-Like Illness, Cardiovascular Events, and Vaccine Dose in Patients With High-Risk Cardiovascular Disease: Secondary Analysis of a Randomized Clinical Trial. JAMA Netw Open. 2023;6(9):e2331284. doi:10.1001/jamanetworkopen.2023.31284


Denunciar publicação
    000

    Indicados para você