Academia Médica
Academia Médica
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
VOLTAR

Incidência de câncer de próstata após mudanças na triagem com PSA nos EUA

Incidência de câncer de próstata após mudanças na triagem com PSA nos EUA
Academia Médica
nov. 14 - 5 min de leitura
000


Dezessete de Novembro é tido como Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata. Com o objetivo de avaliar a doença de 2005 a 2018 nos Estados Unidos, um estudo transversal, publicado pelo Journal of the American Medical Association, observou uma diminuição geral na incidência por raça, etnia e estágio e no diagnóstico após mudança da diretriz sobre o rastreio da doença.

Em 2008, a US Preventive Services Task Force (USPSTF) elaborou uma recomendação sobre o rastreamento do câncer de próstata, sendo contra a triagem da doença em pacientes estadunidenses com 75 anos ou mais. Já em 2012, a USPSTF foi contra o rastreamento de câncer de próstata baseado em PSA para a população em geral dos EUA, independente da idade. Assim, pode-se relacionar a diminuição da incidência de câncer de próstata com as diretrizes revisadas após a recomendação do USPSTF. 

O estudo do JAMA usou informações de 14 anos do banco de dados de uso público do US Cancer Statistics. Na análise, os pesquisadores avaliaram idade, raça e etnia, durante três períodos de tempo: antes de 2008, entre 2008 e 2012 e depois de 2012. Uma diminuição na taxa de câncer de próstata ajustada por idade após a mudança das diretrizes de 2008 foi observada em todas as faixas etárias.Com isso, os autores conseguiram identificar como as mudanças na incidência de câncer de próstata após as mudanças nas recomendações das diretrizes diferiram por idade, entre afro-americanos e brancos, e por etnia.

Uma diminuição nas taxas ajustadas por idade foi encontrada para todas as três faixas etárias (idades < 65, 65-74 e ≥75 anos) no diagnóstico, independentemente da raça, semelhante aos dados que avaliam a associação especificamente da recomendação de 2012 com taxas de diagnóstico de câncer. No entanto, a linha do tempo de reduções significativas nas taxas ajustadas por idade variou por raça, etnia e faixa etária.

O artigo traz como exemplo o achado de que, entre homens de 65 a 74 anos, a taxa de câncer de próstata recém-diagnosticado diminuiu aproximadamente 7% ao ano a partir de 2007 para homens brancos, enquanto uma diminuição não ocorreu até 2009 entre afro-americanos e hispânicos. Além disso, os autores identificaram que dentro dos estágios do câncer de próstata, a incidência variou de forma semelhante por raça, etnia e idade, apoiando trabalhos anteriores, que descobriram que a recomendação da USPSTF estava associada a uma aparente migração de estágio para doença de maior risco em homens que foram diagnosticados.

Análise prévia verificou que o rastreamento do PSA diminuiu após a recomendação da USPSTF em 2012. A redução coincidiu com a diminuição da incidência de câncer de próstata, conforme mostrado em outros dados. No entanto, os pesquisadores do artigo do JAMA identificaram que a incidência de câncer de próstata começou a diminuir bem antes da recomendação de 2012, com a diminuição parecendo coincidir mais com a recomendação de 2008. Esta recomendação foi limitada a homens com 75 anos ou mais.

Dessa maneira, os dados encontrados pelos autores sugerem que as diretrizes estão associadas ao atendimento clínico e que, em alguns aspectos, a adoção das diretrizes pode não ter sido tão restrita quanto o pretendido. Enquanto os homens com 75 anos ou mais experimentaram a maior diminuição na incidência a partir de 2005 (e teoricamente associada às recomendações de 2008), homens em todas as faixas etárias apresentaram taxas decrescentes de diagnóstico de câncer de próstata aproximadamente no mesmo ponto de inflexão. Isso é contrário ao que seria esperado com base apenas nas declarações de diretrizes.

A compreensão das diferenças nos resultados por raça e etnia pode elucidar as disparidades subjacentes na prestação de cuidados. Por exemplo, encontramos um atraso temporal entre quando homens brancos (2007) e homens afro-americanos e hispânicos (2009) tiveram uma diminuição na incidência em relação às mudanças nas diretrizes. Algumas diferenças podem ser explicadas por vieses sistêmicos na prestação de cuidados de saúde. Foi estabelecido anteriormente que existem disparidades na incidência e mortalidade em homens afro-americanos em comparação com homens brancos, mas que os determinantes sociais do cuidado podem estar associados a algumas diferenças observadas.

Referência:

Lai S, Keighley J, Garimella S, Enko M, Parker WP. Variations in Age-Adjusted Prostate Cancer Incidence Rates by Race and Ethnicity After Changes in Prostate-Specific Antigen Screening Recommendation. JAMA Netw Open. 2022;5(11):e2240657. doi:10.1001/jamanetworkopen.2022.40657

Leia também:


Campanha da SBU visa conscientizar sobre prevenção do câncer de próstata

Brasileiro recebe "Oscar" da oncologia clínica por pesquisa na área de câncer de próstata

Inteligência artificial para diagnóstico e classificação Gleason do Câncer de Próstata








Denunciar publicação
    000

    Indicados para você