[ editar artigo]

Médicos devem ser exemplos de saúde?

Médicos devem ser exemplos de saúde?

“Minha pneumologista fuma e me aconselhou a parar de fumar”

“Meu endocrinologista é obeso e me pediu para emagrecer”

São raciocínios assim que levantam uma discussão acerca do papel social do médico e dos demais profissionais de saúde.

Deveriam todos os profissionais da saúde serem exemplos públicos de como praticar o autocuidado? Por exemplo, nutricionistas sempre com o peso controlado, psicólogos que não se estressam, educadores físicos sempre hipertrofiados.

Caso seja verdadeira a resposta para a pergunta do título, haveria uma busca pela saúde pela inspiração no exemplo de vida, em outras palavras, a consulta ao profissional de saúde seria feita não por um desejo pessoal de mudança hábitos e cuidado próprio, mas, por uma cobiça em replicar um estilo de vida que pertence ao outro. Em resumo, uma procura por um “guru”.

Dessa forma, implicando em uma busca em ser e ter a vida alheia e não aperfeiçoar a própria realidade. Assim, a prática formaria o profissional. Logo, atletas de alto rendimento poderiam substituir profissionais da educação física, nutrição e medicina do esporte, por exemplo, em virtude de serem o suprassumo do cuidado físico e alimentar. Representamos assim, apenas algumas consequências iniciais desse raciocínio.

Caso a resposta seja negativa, abrimos um leque de possibilidades. Podemos entender a responsabilidade envolvida em ambas as partes durante uma consulta ou um tratamento. Aceitamos, talvez, que a fundamentação teórica é responsabilidade do médico e está no campo na nossa responsabilidade como recebemos a informação efetivando-a no nosso cotidiano. Por fim, compreendemos que médicos não são figuras paternas ou maternas, que devem dar sermões e broncas para nossas atitudes, porém, alertar para os riscos envolvidos em certas práticas e orientá-las.

Por vezes questionamos a qualidade do profissional da saúde ou apontamos suas contradições entre vida pessoal e profissional, como, por exemplo, o médico pneumologista que fuma.

Mais uma vez, os médicos não são gurus a serem reverenciados e seguidos. São contraditórios como todos os pacientes também são.

Leia mais


 

Publique suas crônicas na Academia Médica. Clique aqui e saiba como


 

Academia Médica
Medicina em Crônicas - Elomar R. Moura
Medicina em Crônicas - Elomar R. Moura Seguir

Olá! Sou Elomar R. Moura (@medicinaemcronicas), 22 anos, de Aracaju - SE. Estudante de medicina da Universidade Tiradentes (UNIT) - SE. Um apaixonado pela literatura que escreve reflexões sobre a medicina tanto na sua prática, como na sua simbologia.

Ler conteúdo completo
Indicados para você