[ editar artigo]

07 médicos brasileiros que fizeram história

07 médicos brasileiros que fizeram história

A Academia Médica separou uma lista com 10 médicos brasileiros que fizeram história e foram importantes na medicina brasileira e mundial. A lista não segue um “ranking” de importância e nem pretende abarcar todos os profissionais que merecem destaque. Nossa intenção é homenagear todos os profissionais médicos e que vocês se sintam homenageados e inspirados por essas 07 personalidades.

Dr. Carlos Chagas

Sem dúvida nenhuma todos nós conhecemos ou já ouvimos falar do carioca Carlos Chagas, o primeiro brasileiro a ser indicado ao prêmio Nobel de Medicina e o único a ser indicado duas vezes, em 1913 e 1921. Era médico sanitarista e identificou e caracterizou todo o ciclo da Malária e da doença de Chagas. Ele foi o primeiro e permanece o único cientista na história da medicina a descrever completamente uma doença infecciosa: o patógeno, o vetor (Triatominae), os hospedeiros, as manifestações clínicas e a epidemiologia.

Dr. Oswaldo Cruz

Todos já se depararam com o nome de Oswaldo Cruz em algum momento, seja pela medicina ou pelos livros de história durante a Revolta da Vacina. O médico paulista que era bacteriologista, sanitarista e epidemiologista teve papel fundamental na medicina ao defender o uso de vacinas no combate às doenças, o que na época era tomado como medida drástica e desacreditada até mesmo pela comunidade médica e por políticos. Seu papel pioneiro de acreditar na ciência e adotar métodos não populares, mas necessários à saúde pública o tornam um grande contribuidor às boas práticas médicas.

Dr. Vital Brazil

O médico mineiro que se especializou nos estudos imunológicos desenvolvendo diversos soros específicos contra venenos de animais peçonhentos. A descoberta da especificidade do binômio soro-veneno segue salvando vidas há centenas de anos e permanece como terapia exclusiva até os dias atuais. Também atuou no combate às epidemias de cólera, varíola e peste bubônica que assolavam o país. Foi o fundador de dois institutos de renome mundial: o Instituto Butantan, que foi criado em 1901 e teve papel fundamental no desenvolvimento de imunizantes e no combate à pandemia do novo coronavírus e a fundação do Instituto Vital Brazil que foi criado em 1919.

Dr. Antônio Cardoso Fontes

Nascido em Petrópolis em 1979, foi médico e pesquisador brasileiro que se tornou destaque na pesquisa contra a tuberculose (que segue sendo uma das maiores causas de morte mundialmente) e que foi indicado ao Nobel de Medicina em 1934. Teve como orientador em seu doutorado ninguém menos que o próprio Dr Oswaldo Cruz e defendeu sua tese que versava sobre “Vacinação e Soroterapia Antipestosas”. Segundo a sua biografia no site da FioCruz a meta científica do médico era provar a filtrabilidade do bacilo da tuberculose (Mycobacterium tuberculosis) e a possível existência de formas filtráveis desse microrganismo. Esses estudos foram realizados primeiro em Manguinhos e depois retomados no Instituto Pasteur de Paris, no laboratório de Calmette. Trabalho esse que lhe rendeu a indicação ao prêmio Nobel em 1934, mesmo ano em que foi nomeado Diretor do Instituto Oswaldo Cruz, em substituição a Carlos Chagas que acabava de falecer.

Dr. Adolfo Lutz

Médico carioca nascido em 1855 que é considerado o Pai da medicina tropical e da zoologia médica no Brasil. Também foi pioneiro em seus estudos epidemiológicos e na pesquisa de doenças infecciosas. Segundo sua biografia on-line: “os experimentos pioneiros realizados pelo sanitarista Emílio Ribas, junto com Adolfo Lutz, confirmaram a transmissão vetorial da febre amarela pelo mosquito “aedes aegypti”.

Dr. José Eduardo Sousa

Médico maranhense que se especializou em cardiologia e se tornou destaque nacional e mundial por seu pioneirismo no campo da cardiologia intervencionista. Foi o primeiro médico a realizar um cateterismo cardíaco no Brasil e é o criador dos stents cardíacos que são utilizados atualmente no mundo inteiro e salvaram incontáveis vidas globalmente, sua própria história de vida se confunde com a história da cardiologia mundial. Recebeu diversos prêmios por suas contribuições, mas segundo sua biografia o que mais o emocionou foi o TCT Career Achievement Award, de 2003, em Washington. “Havia 10 mil médicos do mundo todo e fui o 12º a receber esse prêmio.” Toda a família o acompanhou – a esposa, também cardiologista, os seis filhos e até a mãe. “Fiz questão de levá-la de Pedreiras (a 200 quilômetros de São Luís) para me ver receber o prêmio.”

Dr. José Pedro da Silva: o homem que mudou o mundo

O homem que mudou o mundo.” Foi assim que o americano Joseph Dearani, da Mayo Clinic, um dos mais conceituados centros de pesquisas médicas mundiais, apresentou o brasileiro José Pedro da Silva, no encontro anual da Sociedade de Cirurgiões Torácicos, nos Estados Unidos, em 2012 - segundo informações do O globo. Médico paulista que estudou  na  zona  rural  e,  sem  cursinho,  ingressou,  em  Botucatu,  na  Faculdade  de Medicina  da  Universidade  Estadual  Paulista  Júlio  de  Mesquita  Filho  (Unesp), graduando-se  em  1973. Publicou  no  Journal  of  Thoracic  and  Cardiovascular  Surgery  uma  técnica cirúrgica  inovadora  para  o  tratamento  da  ruptura  do  septo  interventricular,  que  foi adotada  por  outros  cirurgiões  e  é  referência  nos  melhores  livros-textos  americanos  sobre o  assunto. Também teve diversas outras contribuições como o desenvolvimento de filtro arterial que diminuía o AVC como complicação de cirurgia cardíaca, desenvolveu  a  técnica  da  mamária  sequencial,  onde  esta artéria  é  usada para  duas  ou  mais  coronárias,  aproveitando-se  melhor  a  potencialidade  desse  enxerto.

Leia mais

 


Quer escrever? Publique seu artigo na Academia Médica. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!


Referências

‌Bernardo A. Quais brasileiros poderiam ter levado o Prêmio Nobel de Medicina [Internet]. Veja Saúde. Veja Saúde; 2018 [cited 2021 Oct 18]. Available from: https://saude.abril.com.br/medicina/quais-brasileiros-poderiam-ter-levado-o-premio-nobel-de-medicina/ ‌

Wikipedia.org. Fundação Wikimedia, Inc.; 2005 [cited 2021 Oct 18]. Available from: https://pt.wikipedia.org/wiki/Carlos_Chagas 

Redhead SA, Cushion MT, Frenkel JK, Stringer JR (2006). «Pneumocystis and Trypanosoma cruzi: nomenclature and typifications». J Eukaryot Microbiol. 53 (1): 2–11. PMID 16441572. doi:10.1111/j.1550-7408.2005.00072.x

BRAZIL,  Lael Vital.  Vital Brazil:  vida e  obra 1865-1950.  Niterói:  Instituto Vital Brazil, 2001. 56p. (Discurso  proferido  na  solenidade de  comemoração do aniversário de 80  anos do  Instituto Vital  Brasil, 11 set. 2000).

Antônio Cardoso Fontes [Internet]. Fiocruz.br. 2021 [cited 2021 Oct 18]. Available from: http://www.ioc.fiocruz.br/pages/personalidades/AntonioCardosoFontes.htm ‌

Souza-Araujo, H. C. de (1943). «Antonio Cardoso Fontes: 1879-1943» (PDF). Rio de Janeiro. Memórias do Instituto Oswaldo Cruz. 39 (2).

Benchimol, J. L. (2003). Adolpho Lutz: um esboço biográfico. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, 10, 13-83.

Loading... [Internet]. 2021 [cited 2021 Oct 18]. Available from: chrome-extension://efaidnbmnnnibpcajpcglclefindmkaj/viewer.html?pdfurl=https%3A%2F%2Fwww.academiamedicinasaopaulo.org.br%2Fbiografias%2F407%2FBIOGRAFIA-JOSE-PEDRO-DA-SILVA.pdf&clen=737786&chunk=true ‌

Conteúdo elaborado por Diego Arthur Castro Cabral

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você