[ editar artigo]

Associação Canadense de urologia publica novo Guideline para o tratamento da disfunção erétil

Associação Canadense de urologia publica novo Guideline para o tratamento da disfunção erétil

A Associação Canadense de Urologia publicou no mês de agosto de 2021 a sua versão mais recente de seu guideline sobre tratamento e manejo da disfunção erétil. O documento está publicado em inglês e está disponível gratuitamente para download no site do jornal da associação.

Mas como é definida a disfunção erétil?

Segundo o ministério da saúde a disfunção  erétil (DE) (ou impotência sexual)  –  é  a incapacidade persistente em obter e manter uma ereção suficiente que permita uma atividade sexual satisfatória. Está associada com

  • a idade:  apenas 1 em cada 50 homens até 40 anos apresenta disfunção erétil,  enquanto 1 em cada 4 com 65 anos apresenta este problema.  

Embora seja uma desordem benigna,  pode afetar  a saúde física e psicológica e ter um impacto significativo sobre a qualidade de vida dos portadores e seus(as) parceiros(as).

O documento afirma que uma avaliação focada na identificação de fatores subjacentes reversíveis e irreversíveis é recomendada para pacientes que apresentam DE. Por meio de um modelo  estruturado de tomada de decisão compartilhada, o objetivo do tratamento da DE é melhorar os resultados funcionais e aumentar a satisfação sexual, minimizando os efeitos adversos associados ao tratamento. Nós trazemos abaixo um resumo das recomendações presentes no guideline.

Leia mais: Urologia: COVID e disfunção erétil

01. Entre os pacientes com disfunção erétil, o uso da tadalafila diária deve ser prescrito de maneira preferencial em vez da tadalafila sob demanda?

O guideline se posiciona contra o uso da tadalafila diária em vez de tadalafila sob demanda para pacientes com disfunção erétil

02. Entre os pacientes com disfunção erétil, a terapia por ondas de choque de baixa intensidade deve ser recomendada em vez de nenhum tratamento?

O guideline não sugere o uso de terapia por ondas de choque de baixa intensidade para pacientes com disfunção erétil.

03. Entre os pacientes com disfunção erétil e baixo nível de testosterona, a reposição de testosterona deve ser usada como monoterapia em comparação com nenhum tratamento?

O documento se posiciona contra o uso de testosterona como monoterapia para pacientes com disfunção erétil e nível de testosterona compatível com hipogonoadismo ou com sinais e sintomas da síndrome da deficiência da testosterona.

04. Entre os pacientes com disfunção erétil, o aumento da atividade física melhora a função erétil em comparação com a atividade normal?

Os autores sugerem aumentar os níveis de atividade física, em vez da atividade normal, entre pacientes com disfunção erétil. Existe uma relação linear entre a atividade física e o estado geral de saúde, e a atividade física regular é uma estratégia comprovada de prevenção primária e secundária em várias condições médicas, muitas das quais também estão associadas à disfunção erétil.

05. Entre os pacientes com DE pós-prostatectomia, a reabilitação peniana com administração de inibidores da fosfodiesterase 5 (PDE5) programada deve ser usada em vez de nenhuma intervenção?

Com base na evidência disponível, o painel se posiciona contra a reabilitação peniana com PDE5 programada após prostatectomia radical.

O painel de especialista termina o documento reforçando que a avaliação de um paciente com disfunção erétil requer uma anamnese detalhada, mas focada, e um exame físico para estabelecer um diagnóstico etiológico. Os fatores reversíveis que contribuem para a DE devem ser identificados e corrigidos, incluindo a promoção de mudanças positivas no estilo de vida que otimizem a saúde geral. Em pacientes que solicitam tratamento, é razoável iniciar com terapias conservadoras e menos invasivas e introduzir medidas terapêuticas adicionais quando necessário, por meio de um processo de tomada de decisão compartilhado com o paciente e sua parceira.

Se interessou mais no assunto? Clique aqui e faça o download da versão completa.

Artigos relacionados

 


Quer escrever? Publique seu artigo na Academia Médica. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!


Referências

Brasil.  Ministério da Saúde.  Secretaria de  Atenção à Saúde.  Departamento de  Ações Programáticas Estratégicas.       Saúde Sexual e Saúde Reprodutiva :  os homens como sujeitos de cuidado / Ministério da Saúde,  Secretaria de Atenção à Saúde,  Departamento de  Ações Programáticas Estratégicas.  – Brasília :  Ministério da Saúde,  2018.       56 p.  :  il.  ISBN 978-85-334-2604-7

Domes, T. ., Najafabadi, B. T. ., Roberts, M. ., Campbell, J. ., Flannigan, R. ., Bach, P. ., Patel, P. ., Langille, G. ., Krakowsky, Y. ., & Violette, P. D. . (2021). Canadian Urological Association guideline: Erectile dysfunction. Canadian Urological Association Journal, 15(10), 310–22. https://doi.org/10.5489/cuaj.7572

Conteúdo traduzido e adaptado por Diego Arthur Castro Cabral

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você