[ editar artigo]

Celebração em dose dupla em favor da mulher!

Celebração em dose dupla em favor da mulher!

 

Por Yan Kubiak Canquerino - Colaborador da Academia Médica

No dia 28 de maio é uma data de celebração dupla em favor da mulher, é o dia internacional pela saúde da mulher e também o dia nacional de redução da mortalidade materna.

 

De onde surgiu a data?

O dia internacional de luta pela saúde da mulher foi definido em 1984, na Holanda, no IV encontro internacional mulher e saúde. Depois disso, o tema só foi crescendo. No V Encontro Internacional Mulher Saúde, realizado em São José da Costa Rica, em 1987, a Rede de Saúde das Mulheres Latino Americanas e do Caribe - RSMLAC, propôs que ano após ano, no vigésimo oitavo dia do mês de maio fosse escolhida uma temática em prol de diminuir as mortes maternas que fossem evitáveis.

 

Qual o objetivo da data?

Chamar a atenção e conscientizar a sociedade sobre problemas de saúde e distúrbios que acometem as mulheres, as quais, segundo dados de 2019 do IBGE, correspondem a 51,8% da população.

Dentre os acometimentos que ocorrem nas mulheres estão: câncer de mama, endometriose, infecção urinária, câncer no colo do útero, fibromialgia, depressão e obesidade. Esse quadro multifatorial pode estar ligado em parte à dupla jornada de trabalho e atenção à família, fazendo com que as mulheres em algumas situações deixem de fazer os exames preventivos.

Ainda há a questão da mortalidade materna que é um ponto de alerta importante. Dados do Ministério da Saúde mostram que de 1990 a 2015 houve uma queda de 58%, o número anterior era de 143 para cada 100 mil, e em 2015 esse número decresceu para 60 óbitos.

Segundo Dr. Cesar Fernandes, um dos grandes objetivos da Febrasgo e 

“Um dos grandes desafios da saúde pública é reduzir as ainda inaceitáveis taxas de mortalidade materna no Brasil”.

 

Qual a relação da mortalidade materna?

Trata-se de um indicador de qualidade da saúde que está sendo disponibilizada para a população, é um indicador fortemente influenciado pelas condições socioeconômicas da população. Até 50% das causas de mortalidade materna poderiam ser evitadas.

Figuram entre as principais causas da mortalidade materna os atrasos no reconhecimento de condições modificáveis, no tempo de chegada ao serviço de saúde e no atraso para oferecer tratamento adequado, o tempo, portanto, está entre o principal fator causador das altas taxas de mortalidade materna, ainda, infelizmente, presente fortemente na nossa sociedade.

O objetivo principal da atenção pré-natal é garantir o bem-estar da mãe e do bebê. 

Visto isso, as equipes de APS têm como missão acolher a mulher desde o início da gravidez ou até mesmo antes dela, além de acolher também reconhecer, acompanhar e tratar as principais causas de morbimortalidade materna e fetal. Além de ser suporte para a mãe assim que ela precisar.

Segundo o Instituto de pesquisa econômica aplicada (Ipea), mesmo tendo registrado avanços, ainda temos indicadores de mortalidade elevados no Brasil, sendo que o período no qual há mais mortalidade infantil se encontra no período neonatal. Dentre as causas de morte, muitas delas poderiam ser evitadas caso o serviço e o sistema de saúde melhorasse na atenção pré-natal e na atenção ao recém-nascido.

O Brasil busca bater as metas estabelecidas no Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 3 da ONU referente à saúde e bem-estar, quando se refere à mortalidade materna. A meta seria de até 30 mortes para 100 mil nascidos vivos, já em 2010 essa meta havia sido superada, no entanto ainda não é um motivo para relaxamento, pois mesmo assim os números estão elevados, havendo 64,4 óbitos para cada 100 mil nascidos vivos.

 

O que achou do texto? tem algo a acrescentar?

 

Comente no espaço apropriado para isso abaixo!

 

Artigos de assuntos relacionados:

Maus tratos contra gestantes em trabalho de parto - Novos dados publicados no Lancet 

Parto domiciliar: quando 1% é igual a 100%

A necessidade de uma tomada de consciência para uma nova Ginecologia e Obstetrícia


Referências

Hoje é o Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher e o Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna (febrasgo.org.br). Acesso em: 26/05/2021

Saúde da mulher: 28/05 é dia de conscientização das doenças que afetam as mulheres - ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar. Acesso em: 26/05/2021

https://www.febrasgo.org.br/pt/noticias/item/806-hoje-e-o-dia-internacional-de-luta-pela-saude-da-mulher-e-o-dia-nacional-de-reducao-da-mortalidade-materna. Acesso em: 26/05/2021

https://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/190829_cadernos_ODS_objetivo_3.pdf. Acesso em: 26/05/2021

http://proqualis.net/noticias/no-dia-internacional-de-luta-pela-sa%C3%BAde-da-mulher-proqualis-lan%C3%A7a-p%C3%A1gina-voltada-para. Acesso em: 26/05/2021

A Saúde da Mulher AINDA importa! 28/5 é Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher e Dia Nacional de Redução da Mortalidade Materna (saude.gov.br). Acesso em: 26/05/2021

http://www.may28.org/wp-content/uploads/2020/05/callforaction-v2-1-1.pdf. Acesso em: 26/05/2021




 

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você