Academia Médica
Academia Médica
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
VOLTAR

Estilo de vida e saúde mental: Conexão com o trabalho em turnos

Estilo de vida e saúde mental: Conexão com o trabalho em turnos
Academia Médica
ago. 15 - 4 min de leitura
000


A saúde e a felicidade são objetivos contínuos da humanidade. Contudo, com a crescente competição na sociedade moderna, observamos um aumento drástico no número de pessoas que sofrem de distúrbios mentais.  Especificamente, a depressão e ansiedade, condições que afetam milhões globalmente, impactando significativamente na qualidade de vida das pessoas.

Em meio a essa realidade, uma mudança significativa no mundo do trabalho é notável: a crescente prevalência do trabalho por turnos. Devido ao avanço das culturas de serviço, cada vez mais pessoas estão trabalhando fora do horário comercial tradicional. Embora essa forma de trabalho ofereça flexibilidade, também vem com seu conjunto de desafios. Pesquisas anteriores já mostraram que o trabalho por turnos pode levar ao desenvolvimento de algumas doenças, incluindo distúrbios cardiovasculares. Mas, o que dizer sobre sua associação com a saúde mental?

Um estudo publicado no JAMA Netw Open em 14 de agosto de 2023, investigou essa questão utilizando dados do United Kingdom Biobank, um grande projeto de pesquisa biomédica e de saúde no Reino Unido. A pesquisa analisou 175.543 adultos, com uma média de idade de 52,6 anos, e encontrou uma forte associação entre o trabalho por turnos e o risco de depressão e ansiedade, ou seja, aqueles que trabalham em turnos rotativos são mais propensos a desenvolver ambos os distúrbios.  A pesquisa também observou que a frequência do trabalho por turnos desempenha um papel significativo no risco associado, com aqueles que trabalham mais frequentemente em turnos sendo mais propensos a apresentar problemas.

No estudo, observou-se que aqueles envolvidos em trabalho por turnos por mais tempo apresentaram menor associação entre depressão e ansiedade, indicando uma possível adaptação ao estilo de trabalho ao longo dos anos.  Talvez, inicialmente, o desafio de ajustar-se ao trabalho por turnos possa causar estresse e fadiga, levando a problemas de saúde mental. No entanto, com o passar dos anos, a familiaridade e a adaptação podem ajudar a reduzir esses riscos.

Outro aspecto notável do estudo foi sua exploração dos fatores de estilo de vida como mediadores entre o trabalho por turnos e os distúrbios mentais. Foi descoberto que comportamentos como fumar, duração do sono, tempo sedentário e índice de massa corporal (IMC) desempenham um papel significativo na associação. Estes fatores de estilo de vida poderiam explicar parcialmente o motivo pelo qual o trabalho por turnos está relacionado a um aumento no risco de depressão e ansiedade.

Portanto, este estudo traz à tona uma questão crucial: embora o trabalho por turnos seja frequentemente associado a um aumento do risco de depressão e ansiedade, não é um veredito definitivo sobre a saúde mental dos trabalhadores. Ao invés disso, a pesquisa destaca a importância dos hábitos de vida. Adaptar-se ao ritmo do trabalho por turnos e incorporar práticas saudáveis pode ser essencial para garantir que esses profissionais não apenas desempenhem suas funções adequadamente, mas também cultivem e preservem uma saúde mental estável e forte.

Esta descoberta destaca a necessidade de conscientização e reforço por parte dos trabalhadores sobre a importância desses hábitos. Paralelamente, ressalta o potencial dos programas de saúde mental e qualidade de vida nos ambientes de trabalho. Estes podem ser ferramentas valiosas para apoiar e incentivar práticas saudáveis, tanto nos postos de trabalho quanto na vida cotidiana.

Leia também: 


Referência:

Xu M, Yin X, Gong Y. Lifestyle Factors in the Association of Shift Work and Depression and Anxiety. JAMA Netw Open. 2023;6(8):e2328798. doi:10.1001/jamanetworkopen.2023.28798



Denunciar publicação
    000

    Indicados para você