[ editar artigo]

Fiocruz anuncia distribuição do Dolutegravir para HIV - um dos mais eficazes do mundo

Fiocruz anuncia distribuição do Dolutegravir para HIV - um dos mais eficazes do mundo

 

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) começou a distribuir o antirretroviral Dolutegravir para HIV. Pacientes atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS) serão beneficiados com o acesso gratuito ao remédio que é considerado um dos mais eficazes e modernos do mundo. 

Somente em fevereiro, a instituição fez uma entrega de 16, 5 milhões de comprimidos e a previsão é de que mais de 64,5 milhões sejam encaminhados às farmácias do SUS. Hoje, o Brasil é referência global no acesso e distribuição de antirretrovirais para pessoas que vivem  com HIV e a Farmanguinhos lidera a produção desses medicamentos.

Por enquanto, os comprimidos de Dolutegravir são importados da farmacêutica GSK e VIIV Healthcare. No entanto, a internalização dos processos de fabricação e transferência da tecnologia do remédio está sendo realizada, de modo reverso para o Farmaguinhos/Fiocruz. Depois disso,  a produção será 100% nacional e a instituição assumirá a produção, o controle de qualidade, a embalagem e outros procedimentos relacionados. 

Consequentemente, os custos na aquisição do Dolutegravir serão reduzidos e os pacientes que vivem com HIV serão impactados positivamente, com a ampliação da oferta desse tratamento.  Outro antirretroviral que será incorporado à produção nacional é o Lamivudina.

Benefícios da ampliação de tratamentos para HIV

Desde 2016, o Dolutegravir é incorporado ao SUS, por importação. Já foram mais de 300 mil pacientes beneficiados, segundo informações da Agência Brasil. Com o  Farmaguinhos na liderança, a expectativa é ampliar ainda mais o acesso ao tratamento de HIV, tanto para pacientes que vão iniciar o tratamento quanto para os que apresentaram algum tipo de reação e/ou resistência a soluções anteriores.

Ampliar a oferta de terapia antirretroviral é essencial para a saúde do paciente e, também, diminui a carga viral presente no sangue, podendo até mesmo deixá-la como indetectável com o tempo. Ou seja,  quando a carga viral é indetectável, as pessoas que vivem com HIV vivem com muito mais saúde e podem não transmitir o vírus. Alguns estudos indicam que, nestes casos, a chance de transmissão é de quase 0%

Em declaração à imprensa, o diretor de Farmaguinhos, Jorge Mendonça, afirmou que assumir a fabricação dos antirretrovirais é muito estratégico para o país e para a saúde pública.

“Farmanguinhos sempre busca o que tem de melhor em termos de tecnologia e adesão ao tratamento. Com essa aliança estratégica, passamos a fornecer os dois principais medicamentos para o tratamento do HIV, o Dolutegravir, e mais a combinação de Tenofovir com Lamivudina”.

*Créditos da foto: Geovana Albuquerque/ Agência Saúde

Gostou da boa notícia? Deixe seu comentário!

Artigos relacionados

Dose de esperança: OMS reúne cientistas de 8 países para desenvolver guia sobre o cabotegravir injetável

• HIV: Mulheres africanas querem poder de escolha e acesso à saúde

• Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) e Pós-Exposição (PEP): métodos de prevenção à infecção pelo HIV

Referências

  1. PORTAL FIOCRUZ.  Farmanguinhos obtém registro de mais um antirretroviral. Disponível em: https://portal.fiocruz.br/noticia/farmanguinhos-obtem-registro-de-mais-um-antirretroviral. Acesso em 10/03/2022
  2.  AGÊNCIA BRASIL. Fiocruz inicia distribuição do antirretroviral Dolutegravir. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2022-03/fiocruz-inicia-distribuicao-do-antirretroviral-dolutegravir.  Acesso em 10/03/202

 

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você