[ editar artigo]

Mudanças rápidas nos dados antropométricos durante a infância antecipam a puberdade, diz estudo

Mudanças rápidas nos dados antropométricos durante a infância antecipam a puberdade, diz estudo

 A puberdade é um processo distinto entre meninas e meninos, mas é um marco fisiológico caracterizado pela maturação do sistema reprodutor, musculoesquelético, cardiovascular e de neurodesenvolvimento. Nos Estados Unidos e em outros países, observou-se que as crianças entraram na puberdade mais cedo nas últimas décadas(1). Além do impacto desse fato nas crianças e em suas famílias, a puberdade precoce pode levar a consequências sócio psicológicas negativas, ao dismetabolismo e pode aumentar os riscos de doenças crônicas de longa duração. 

Estudos anteriores mostram que padrões de crescimento alterados e IMC mais alto na infância estão associados ao início mais precoce da puberdade (1). Apesar dos mecanismos biológicos não terem sido totalmente explicados, o crescimento mais rápido pode alterar o meio hormonal precocemente, podendo programar a idade de início e a taxa de progressão até a puberdade (1). A causa do crescimento precoce pode estar relacionada a exposições crescentes de produtos químicos ambientais ou ao excesso de nutrição, que também estão associados ao início precoce da puberdade. 

Um estudo de multi coorte dos Estados Unidos observou a associação específica entre sexo e o crescimento precoce com o início da puberdade. Os meninos com rápido crescimento de peso, comprimento ou altura e IMC desde o nascimento e/ou até 5 anos de idade exibiram início púbere mais precoce evidenciado por uma Idade no Pico de Velocidade de Altura (APHV) mais jovem. 

Nas meninas, os períodos de idade entre 3 a 5 anos com ganhos mais rápidos de peso e comprimento ou altura tiveram apenas APHV mais jovem. Enquanto aquelas com ganhos mais rápidos de peso e IMC entre 18 meses e 3 anos tiveram menarca mais cedo, meninas com 3 a 5 anos apresentaram estágio de pelos pubianos mais avançados precocemente. As implicações clínicas da menarca precoce são bem conhecidas; demonstrou-se que aumenta os riscos de câncer de mama e doença cardíaca coronária na idade adulta. 

Estudos anteriores relataram que uma diferença de 1 ano no APHV está associada a alterações hormonais relacionadas ao risco de câncer e mortalidade por doenças cardiovasculares na idade adulta. Os resultados do estudo norte-americano sugerem que o crescimento mais rápido durante os primeiros 5 anos de vida pode ser um indicador potencial para identificar crianças que provavelmente apresentarão início da puberdade mais precoce.

Muitos mecanismos inter-relacionados podem estar presentes. Estudos prévios mostraram que o rápido ganho de peso no início da vida tem sido associado a concentrações elevadas de fator de crescimento semelhante à insulina tipo 1,resistência à insulina, adipocinas e concentrações de andrógenos adrenais. Todos esses fatores e hormônios  podem promover a atividade de pulso do hormônio liberador de gonadotrofinas e, consequentemente, alterar o momento da puberdade.

Os andrógenos e as adipocinas em meninas podem ser fatores relacionados no estadiamento dos pelos pubianos e menarca, respectivamente. Tais mecanismos biológicos, no entanto, ainda não foram totalmente explicados. Além disso, a genética também pode contribuir para as associações observadas, pois algumas crianças podem ter uma predisposição subjacente para crescer rapidamente e atingir a maturidade sexual rapidamente. 

 

Artigos relacionados 

Proteína MC3R liga o estado nutricional ao crescimento na infância e ao momento da puberdade

O risco de dietas veganas em idade pediátrica

Uma breve história da Pediatria

Referências 

  1. Aris IM, Perng W, Dabelea D, et al. Analysis of Early-Life Growth and Age at Pubertal Onset in US Children. JAMA Netw Open. 2022;5(2):e2146873. doi:10.1001/jamanetworkopen.2021.46873

 

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você