Academia Médica
Academia Médica
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
VOLTAR

Poluição oriunda de incêndios e agricultura impulsiona casos de demência

Poluição oriunda de incêndios e agricultura impulsiona casos de demência
Academia Médica
ago. 14 - 3 min de leitura
000


Os efeitos devastadores dos incêndios florestais e da poluição do ar oriunda de atividades agrícolas têm sido amplamente discutidos, especialmente no que diz respeito à qualidade do ar e aos problemas respiratórios. Entretanto, uma recente pesquisa da Universidade de Michigan aponta para outra preocupação emergente: o impacto dessas fontes de poluição na saúde cognitiva.

A pesquisa, conduzida por Boya Zhang e Sara Adar da Escola de Saúde Pública da Universidade de Michigan, revela que a exposição prolongada à poluição do ar pode tornar o cérebro mais suscetível à demência. Interessantemente, as emissões provenientes da agricultura e incêndios florestais demonstraram ser particularmente tóxicas.

O estudo, intitulado "Comparison of Particulate Air Pollution From Different Emission Sources and Incident Dementia in the U.S.", foi publicado no JAMA Internal Medicine em 14 de agosto de 2023 e aprofundou-se nas consequências da exposição a partículas finas (PM2.5). Estas partículas, com menos de 2,5 microns de tamanho (menor que a largura de um cabelo humano), podem entrar diretamente no cérebro através do nariz ou ultrapassar a barreira hematoencefálica, afetando não apenas os pulmões e o coração, mas também a função cognitiva.

A pesquisa foi realizada com quase 30.000 adultos nos EUA, seguindo-os por 18 anos. Os dados obtidos mostraram que níveis mais altos de poluição por matéria particulada, especialmente da agricultura e incêndios, estavam associados a maiores riscos de demência. Essas descobertas se mantiveram consistentes mesmo após ajustar para fatores como status socioeconômico, ocupação e localização geográfica.

A notoriedade deste estudo é ainda mais significativa quando consideramos as mudanças climáticas e seus efeitos na frequência e intensidade dos incêndios florestais. Com o aumento de temperaturas e condições mais secas, eventos de incêndios estão se tornando mais frequentes, resultando em períodos mais longos de exposição à poluição.

Para nós profissionais de saúde, esses resultados ressaltam a importância de entender os múltiplos impactos da poluição do ar na saúde dos individuos. Dado que a demência é atualmente a sétima causa principal de morte e uma das principais causas de incapacidade em idosos, conforme a Organização Mundial de Saúde, torna-se vital aprofundar nossos conhecimentos sobre os fatores ambientais que podem agravar essa condição.

Por fim, à medida que enfrentamos um futuro com desafios ambientais crescentes, a pesquisa destaca a necessidade de políticas mais rigorosas de controle da poluição e de estratégias de intervenção eficazes a fim de proteger a saúde pública.


Leia também: 




Referências: 

  • Zhang B, Weuve J, Langa KM, et al. Comparison of Particulate Air Pollution From Different Emission Sources and Incident Dementia in the US. JAMA Intern Med. Published online August 14, 2023. doi:10.1001/jamainternmed.2023.3300

Denunciar publicação
    000

    Indicados para você