[ editar artigo]

Trabalho noturno e em turnos está ligado a diminuição de desempenho cognitivo

Trabalho noturno e em turnos está ligado a diminuição de desempenho cognitivo

 

O trabalho noturno e em turnos está associado a vários tipos de diminuição do desempenho cognitivo, de acordo com uma meta-análise publicada on-line em 8 de março na revista Occupational & Environmental Medicine.

Esse modelo de trabalho é associado a sérios problemas de saúde ligados a fatores como: resultado do relógio interno do corpo (ritmo circadiano)e estar fora de sintonia com o ciclo normal de luz-escuridão.  Consequentemente, as pessoas que estão nesta condição sofrem mais com distúrbios do sono, doenças cardiovasculares, obesidade, diabetes, distúrbios do humor e abuso de substâncias. No entanto, a pesquisa destaca que o impacto potencial na função cerebral superior, como velocidade de processamento mental e memória de trabalho, não é claro.

Em uma tentativa de resolver essas incertezas, os pesquisadores vasculharam bancos de dados de pesquisa em busca de estudos que analisassem o impacto do trabalho por turnos no desempenho cognitivo em adultos que trabalham.

Pesquisadores da Sigmund Freud Private University Linz, na Áustria, realizaram uma pesquisa sistemática na literatura e realizaram uma meta-análise de dados de estudos observacionais avaliando a associação entre a exposição ao trabalho por turnos e as funções cognitivas.

Com base em 18 estudos publicados entre 2005 e 2020 (totalizando 18.802 participantes), os autores observaram desempenho significativamente pior em trabalhadores por turnos versus trabalhadores sem turnos para as seguintes funções cognitivas: velocidade de processamento, memória de trabalho, vigilância psicomotora, controle cognitivo e atenção visual.

Cinco dos estudos compararam trabalhadores em turnos fixos com aqueles que trabalham em horário normal de expediente, enquanto 11 compararam trabalhadores em turnos rotativos com aqueles que trabalham em horário normal de expediente. Dois estudos não especificaram o tipo de turno.

Metade dos estudos incluiu profissionais de saúde, enquanto a outra metade se concentrou em diferentes profissões, como policiais, pessoal de TI, etc.

Os resultados dos estudos foram agrupados, indicando desempenho significativamente pior em trabalhadores por turnos do que outros tipos de trabalhadores para cinco dos seis resultados avaliados.

Um grande efeito significativo foi observado para controle de impulsos e resposta situacional, enquanto o efeito para velocidade de processamento, memória de trabalho, estado de alerta e capacidade de filtrar pistas visuais sem importância foi significativo, mas pequeno. Nenhum efeito foi observado para a troca de tarefas.

Trabalhar fora do ciclo normal dia-noite interfere no ritmo circadiano e na expressão dos hormônios que o governam – cortisol e melatonina – que por sua vez interrompe o ciclo sono-vigília, explicam os pesquisadores:

"Desempenho neurocomportamental reduzido em trabalhadores por turnos pode desempenhar um papel importante em relação a lesões e erros relacionados ao trabalho", escrevem os autores. “As políticas de saúde ocupacional devem se concentrar na promoção de contramedidas de proteção (por exemplo, cochilos, monitoramento cognitivo, planos de recuperação) para evitar resultados adversos à saúde dos trabalhadores e consequências negativas para terceiros envolvidos”.

 Gostou do artigo? Compartilhe e, se possível, deixe seu comentário!

Artigos relacionados

Referência

1. Vlasak T, Dujlovic T, Barth A. Neurocognitive impairment in night and shift workers: a meta-analysis of observational studies Occupational and Environmental Medicine Published. Online First: 08 March 2022. doi: 10.1136/oemed-2021-107847. Disponível em https://oem.bmj.com/content/early/2022/01/19/oemed-2021-107847. Acesso em 17 de março de 2022.

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você