[ editar artigo]

Novos mecanismos fisiopatológicos são estudados para Alzheimer e Parkinson

Novos mecanismos fisiopatológicos são estudados para Alzheimer e Parkinson

 

De modo a desenvolver os pilares  das bases para o tratamento de doenças neurodegenerativas, cientistas da Universidade de Viena, com pesquisadores da Universidade da Pensilvânia, da Universidade Monash, do Instituto Max Planck de Biofísica em Frankfurt e da UC Berkeley – investigam o processo de autofagia, que se relaciona com a fisiopatologia de doenças como Alzheimer e Parkinson.

A autofagia é um processo que origina a degradação de componentes da própria célula utilizando os lisossomos, tendo como objetivo  manter um equilíbrio entre a síntese, a degradação e a reciclagem dos produtos celulares. As organelas celulares envelhecidas são envoltas pelo retículo endoplasmático liso e são transformadas em autofagossomo, o qual segue para o retículo endoplasmático de Golgi e degradado por enzimas hidrolíticas. 

Um dos desejos celulares pode ser causado pela proteína tau, molécula fortemente suspeita em causar demências comuns como o Alzheimer, ela forma agregações alongadas nas células neurais, as quais são detectados e degradados pela maquinaria de autofagia. 

Além do Alzheimer, no Parkinson também ocorre a autofagia. Porém, por ser uma patologia, no Parkinson ocorre um erro no descarte de mitocôndrias danificadas em uma parte específica do cérebro responsável pela liberação do mensageiro químico dopamina. A longo prazo, isso causa os sintomas típicos do Parkinson, como: impossibilidade de controlar movimentos, enrijecimento de músculos e o aparecimento de tremores também em repouso.

Várias proteínas estão envolvidas no processo de autofagia. Em mais de 10 anos de pesquisa, os cientistas conseguiram isolar dezenas componentes e conseguiram recapitular os primeiros passos na formação do autofagossomo. Seguindo o princípio modular, eles agora querem decifrar os próximos passos centrais desse mecanismo de autofagia. 

Artigos relacionados 

A avançada tecnologia para edição de Genoma como potencial tratamento para Doença de Alzheimer Familiar

A tal "cura do Alzheimer"

A resposta à Levodopa é um indicador válido na doença de Parkinson?

Referência 

  1. HOLLENSTEIN, David M. et al. Spatial control of avidity regulates initiation and progression of selective autophagy. Nature communications, v. 12, n. 1, p. 1-18, 2021.Disponível em: https://www.nature.com/articles/s41467-021-27420-3. Acesso em 14 de abril de 2022.

 

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você