Academia Médica
Academia Médica
Você procura por
  • em Publicações
  • em Grupos
  • em Usuários
VOLTAR

Restrição ao aborto associado a maiores riscos de suicídio entre mulheres nos EUA

Restrição ao aborto associado a maiores riscos de suicídio entre mulheres nos EUA
Academia Médica
jan. 20 - 2 min de leitura
000

Restringir o acesso ao aborto está ligado a aumento do risco de suicídio para mulheres em idade reprodutiva nos Estados Unidos, segundo pesquisa publicada no JAMA Psychiatry. O trabalho foi desenvolvido por integrantes da Perelman School of Medicine e do Penn's Department of Psychology na School of Arts & Sciences.

O suicídio é a terceira principal causa de morte entre pessoas de 25 a 44 anos nos país. Para saber como as restrições ao aborto poderiam estar relacionadas ao problema, os cientistas utilizaram dados estaduais de 1974 a 2016, cobrindo toda a população de mulheres adultas durante o período.

Foram construídos índices de medição de acesso a cuidados reprodutivos com base na observação da aplicação de legislações estaduais relativas ao assunto. Entre as mulheres em idade reprodutiva, foram analisadas taxas de suicídio antes e depois que determinadas leis entraram em vigor, havendo comparação entre lugares com e sem restrições à realização de aborto. Foi então concluído que as mulheres que experimentaram legislações restritivas tiveram aumento significativo na taxa de suicídio.

Segundo os autores do estudo, o mesmo tem algumas limitações, como o fato de a saúde mental das mulheres não ter sido avaliada previamente de forma individual. Porém, eles afirmam que a constatação da pesquisa não deve ser ignorada, podendo ter implicações clínicas, políticas e éticas.

De acordo com a pesquisa, reconhecer o vínculo entre acesso restrito ao aborto e suicídio pode contribuir no tratamento dado às mulheres em idade reprodutiva por parte dos profissionais de saúde. Além disso, pode influenciar no planejamento futuro de restrições parciais, restrições de pleno direito e mesmo na criminalização do aborto não apenas nos EUA, mas em todo o mundo.

Referência:

Association Between State-Level Access to Reproductive Care and Suicide Rates Among Women of Reproductive Age in the United States, JAMA Psychiatry (2022). DOI: 10.1001/jamapsychiatry.2022.4394

Leia também:

Estudo sugere revisão sobre intervalo de gravidez após aborto

Aborto seguro x clandestinidade: OMS lança diretrizes sobre o assunto!

Precisamos falar sobre aborto

Uso de ácido fólico como estratégia de prevenção ao suicídio



Denunciar publicação
    000

    Indicados para você