[ editar artigo]

Uma conversa inesquecível

Uma conversa inesquecível

Quinta-feira. Um momento único marcou meu terceiro dia na faculdade. Promovida pelo Centro Acadêmico fomos levados para uma visita ao Hospital Pequeno Príncipe (HPP). Dezesseis anos depois de haver entrado no HPP desenganado pelos médicos, voltava a percorrer os corredores do hospital. Dessa vez como aluno de medicina. Mas, o momento mais emocionante estava reservado para o final.

Após conhecermos o hospital, criado em 1919 e que mais tarde seria o primeiro tripé do Complexo Pequeno Príncipe (composto pelo hospital, Faculdades Pequeno Príncipe e Instituto de Pesquisa Pequeno Príncipe), e termos uma conversa com os diretores do hospital, participamos de um trote solidário. Para isso ganhamos copinhos com água e lápis aquareláveis e fomos ao encontro das crianças que aguardavam atendimento médico.

Tive a chance de conversar com algumas crianças. E uma delas marcou de forma muito especial minha vida.

Lucas tinha nove anos e estava em tratamento médico. Morava no interior e vestia, nesse dia, calça jeans e camisa social. Tímido, aos poucos fui conquistando sua confiança. Conversamos sobre brincadeiras, escola, comidas favoritas. Aos poucos ele pintava minhas bochechas, meu nariz, minha testa. Fiz então a pergunta que adultos sempre insistem em fazer às crianças:

-E você já sabe o que vai ser quando crescer?

-Médico.

Naquele momento voltei à infância e me vi refletido em Lucas. Um filme passou por minha mente. O livro que ganhei quando pequeno, o kit de médico de brinquedo, as horas gastas consultando bichos de pelúcia e as bonecas de minha irmã, os anos no cursinho, a entrada na faculdade, a roupa que Lucas usava naquele dia...

Ele terminou a pintura em meu rosto. Estava acompanhado da mãe. Pedi se poderia tirar uma foto com ele para guardar como recordação daquele momento. Com toda gentileza ela tirou a fotografia que guardo com carinho.

O médico o chamou para ser consultado. Desejei boa sorte em sua caminhada e torci para que algum dia pudesse revê-lo.

Academia Médica
Leonardo Cardoso
Leonardo Cardoso Seguir

Um jovem quase médico que sonha com uma Saúde mais humanizada, equitativa e de qualidade. Amo ler e escrever. Seja Bem Vindo!

Ler matéria completa
Indicados para você