[ editar artigo]

A associação entre violência doméstica e depressão pós parto

A associação entre violência doméstica e depressão pós parto

Segundo a OMS, a violência doméstica afeta uma em cada três mulheres durante a vida. Essa violência está negativamente associada a vários desfechos obstétricos, incluindo parto prematuro, baixo peso ao nascer e aborto espontâneo. Além disso, essa agressão também pode ter um efeito negativo no desenvolvimento da criança, por exemplo, atraso no desenvolvimento cognitivo e de linguagem, problemas de apego emocional e problemas de comportamento.

Uma revisão sistemática publicada no  British Medical Journal analisou 33 estudos sobre o tema e concluiu que foi encontrada uma forte associação entre qualquer tipo de violência doméstica e depressão pós parto(DPP). Esse achado está de acordo com estudos anteriores de revisão sistemática e de meta-análise que concluíram que a exposição a qualquer agressão doméstica aumentou o risco de depressão pós parto em 1,5 a 2,0 vezes.

Ao analisar os tipos específicos de violência os cientistas concluíram que a física estava significativamente associada à DPP, a violência emocional também apresar de ser menos pronunciada, por ser mais difícil de mensurar e pelo fato de que mulheres expostas à violência emocional podem não se perceber como vítimas de abuso. Do ponto de vista dessas vítimas, atos como gritar ou ameaçar são muitas vezes considerados o resultado de um 'temperamento quente', podendo perder seu senso de auto-estima e independência e, portanto, correm maior risco de desenvolver depressão. 

Por fim, também foi encontrada uma forte associação entre violência sexual e DPP. Alguns pesquisadores notaram que mulheres grávidas com histórico de abuso sexual podem reviver memórias de seu abuso durante procedimentos de cuidados de rotina na gravidez, podendo desencadear o desenvolvimento de pré-parto e DPP.

Artigos relacionados

O que o médico deve fazer em casos de violência contra a mulher?

O ataque ao feminino à luz da Psicanálise

Violência e Maus Tratos com a Pessoa Idosa

Referência 

Ankerstjerne LBS, Laizer SN, Andreasen K, et alLandscaping the evidence of intimate partner violence and postpartum depression: a systematic reviewBMJ Open 2022;12:e051426. doi: 10.1136/bmjopen-2021-051426

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você