[ editar artigo]

A pílula da Pfizer permanece 89% eficaz contra a COVID-19 na análise final, diz a empresa

A pílula da Pfizer permanece 89% eficaz contra a COVID-19 na análise final, diz a empresa

A farmacêutica Pfizer disse na terça-feira (14 de dezembro) que sua pílula experimental para tratar COVID-19 parece ser eficaz contra a variante Ômicron.

Os resultados finais da análise de todos os 2.246 adultos inscritos no estudo de fase 2/3 EPIC-RH (Evaluation of Protease Inhibition for COVID-19 in High-Risk Patients) de seu novo candidato a antiviral oral para a COVID-19, o PAXLOVID nirmatrelvir e ritonavir foram consistentes com a análise provisória anunciada em novembro de 2021, mostrando que o PAXLOVID reduziu significativamente o risco de hospitalização ou morte por qualquer causa em 89% em comparação com o placebo em pacientes adultos de alto risco não hospitalizados com COVID-19 tratados em três dias de início dos sintomas. 

Em um desfecho secundário, o PAXLOVID reduziu o risco de hospitalização ou morte por qualquer causa em 88% em comparação com o placebo em pacientes tratados dentro de cinco dias do início dos sintomas, um aumento em relação aos 85% observados na análise intermediária. 

Os dados do EPIC-HR foram compartilhados com a Food and Drug Administration (FDA) dos EUA como parte de uma submissão contínua para a Autorização de Uso de Emergência (EUA).

Testes laboratoriais separados mostram que a droga mantém sua potência contra a variante Ômicron, anunciou a empresa, como muitos especialistas previram. A Pfizer testou o medicamento antiviral contra uma versão artificial de uma proteína chave que a variante usa para se reproduzir.

O presidente dos EUA, Joe Biden, chamou o medicamento da Pfizer de “outra ferramenta potencialmente poderosa em nossa luta contra o vírus”, em um comunicado na terça-feira. O governo dos EUA concordou em comprar medicamento da Pfizer suficiente para tratar 10 milhões de pessoas. Mas os executivos da empresa indicaram que os suprimentos iniciais serão limitados, com apenas o suficiente para tratar dezenas de milhares de pessoas antes do final do ano. Em março, a Pfizer espera aumentar a produção para fornecer milhões de cursos de tratamento.

A Pfizer também está estudando seu medicamento em adultos de baixo risco - incluindo um subgrupo vacinado - mas divulgou dados mistos para esse grupo na terça-feira.

Em resultados provisórios, a Pfizer disse que seu medicamento não atingiu o objetivo principal do estudo: alívio sustentado do COVID-19 por quatro dias durante ou após o tratamento, conforme relatado pelos pacientes. 

Mas o medicamento atingiu uma segunda meta ao reduzir as hospitalizações em cerca de 70% entre aquele grupo, que incluía adultos saudáveis ​​não vacinados e adultos vacinados com um ou mais problemas de saúde. 

Menos de 1% dos pacientes que receberam o medicamento foram hospitalizados, em comparação com 2,4% dos pacientes que receberam uma pílula falsa.

 

Referências:

Pfizer Announces Additional Phase 2/3 Study Results Confirming Robust Efficacy of Novel COVID-19 Oral Antiviral Treatment Candidate in Reducing Risk of Hospitalization or Death. Disponível em https://www.pfizer.com/news/press-release/press-release-detail/pfizer-announces-additional-phase-23-study-results

Artigos relacionados:

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você