[ editar artigo]

Dia Mundial de Luta contra a AIDS - 2021

Dia Mundial de Luta contra a AIDS - 2021

 

Todos os anos, desde 1988, celebra-se em 1º de dezembro o Dia Mundial de Luta contra a AIDS. Esta data constitui uma oportunidade para apoiar as pessoas envolvidas na luta contra o HIV e melhorar a compreensão do vírus como um problema de saúde pública global. O tema da campanha deste ano é "Acabe com as desigualdades. Acabe com a AIDS. Acabe com as pandemias.". 

Este ano marca 40 anos desde que os primeiros casos de AIDS foram registrados. Desde então, em locais nos quais os investimentos atingiram as metas, houve um enorme progresso, particularmente na expansão do acesso ao tratamento. Em junho de 2021, 28,2 milhões de pessoas tinham acesso ao tratamento do HIV, em comparação a 7,8 milhões em 2010, embora o progresso tenha diminuído consideravelmente. No entanto, o HIV continua sendo um grande problema de saúde pública que afeta milhões de pessoas em todo o mundo. 

Divisão, disparidade e desrespeito pelos direitos humanos estão entre as falhas que permitiram que o HIV se tornasse e continuasse a ser uma crise de saúde global. Agora, a pandemia de COVID-19 está exacerbando as desigualdades e interrupções nos serviços, tornando a vida de muitas pessoas que vivem com HIV mais desafiadora.

O UNAIDS (Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS) emitiu um alerta no Relatório deste ano, intitulado "Desiguais. Despreparados. Ameaçados: por que são necessárias ações ousadas para acabar com a AIDS, interromper a COVID-19 e preparar respostas a futuras pandemias": se os líderes não conseguirem enfrentar as desigualdades, o mundo poderá enfrentar 7,7 milhões de mortes relacionadas à AIDS nos próximos 10 anos*. O UNAIDS adverte ainda que, se as medidas transformadoras necessárias para acabar com a AIDS não forem tomadas, o mundo também ficará preso na crise do COVID-19 e ficará perigosamente despreparado para as pandemias que virão.

A organização divulgou alguns dados atuais sobre a situação da AIDS/HIV no mundo:

  • 37.700.000: número estimado de pessoas vivendo com HIV em 2020

  • 680.000 pessoas morreram de causas relacionadas ao HIV em 2020

  • 1.500.000 pessoas foram infectadas em 2020

  • 73% das pessoas que vivem com HIV receberam terapia antirretroviral (TARV) vitalícia em 2020

Alguns países, incluindo alguns com as taxas mais altas de HIV, fizeram um progresso notável contra a AIDS, ilustrando o que é viável. No entanto, as novas infecções por HIV não estão caindo rápido o suficiente em todo o mundo para interromper a pandemia, com 1,5 milhão de novas infecções por HIV em 2020 e taxas crescentes de infecção por HIV em alguns países. As infecções também seguem linhas de desigualdade. Seis a cada sete novas infecções por HIV entre adolescentes na África Subsaariana estão ocorrendo em meninas. Homens gays e homens que fazem sexo com homens, profissionais do sexo e pessoas que usam drogas correm um risco 25-35 vezes maior de adquirir o HIV em todo o mundo.

A pandemia de COVID-19 está minando a resposta à AIDS em muitos lugares. O ritmo das testagens para HIV diminuiu e menos pessoas vivendo com HIV iniciaram o tratamento em 2020 em 40 dos 50 países que relataram ao UNAIDS. Os serviços de prevenção do HIV foram afetados - em 2020, os serviços de redução de danos para pessoas que usam drogas foram interrompidos em 65% dos 130 países pesquisados.

Este novo relatório do UNAIDS aborda cinco elementos críticos do plano acordado pelos Estados-Membros na Reunião de Alto Nível da Assembleia Geral das Nações Unidas sobre AIDS, que devem ser implementados urgentemente para deter a pandemia de AIDS e que são críticos, mas subfinanciados e subpriorizados para a prevenção, preparação e resposta à pandemia:

  • Infraestrutura liderada pela comunidade e baseada na comunidade;
  • Acesso equitativo a medicamentos, vacinas e tecnologias de saúde;
  • Apoio a profissionais na linha de frente da pandemia;
  • Os direitos humanos no centro das respostas a pandemias;
  • Sistemas de dados centrados nas pessoas que destacam as desigualdades.

Países com leis e políticas alinhadas a evidências, forte envolvimento e participação da comunidade e sistemas de saúde robustos e inclusivos tiveram, de acordo com o documento, os melhores resultados, enquanto as regiões com maiores lacunas de recursos e países com leis punitivas e que não adotaram uma abordagem baseada em direitos para a saúde passou pelo pior.

* A estimativa de 7,7 milhões de mortes relacionadas à AIDS entre 2021 e 2030 é o que os modelos do UNAIDS preveem se a cobertura dos serviços de HIV for mantida constante nos níveis de 2019. Se a Estratégia Global de AIDS 2021–2026: Acabar com as Desigualdades, Acabar com a AIDS for executada e as metas para 2025 forem alcançadas, o UNAIDS estima que pelo menos 4,6 milhões dessas mortes podem ser evitadas ao longo da década.

 

Confira abaixo a mensagem do Diretor-Geral da OMS, Dr Tedros Adhanom Ghebreyesus, sobre o Dia Mundial da AIDS:

 

Referências:

World AIDS Day 2021. Disponível em https://www.who.int/campaigns/world-aids-day/world-aids-day-2021

2021 World AIDS Day report — Unequal, unprepared, under threat: why bold action against inequalities is needed to end AIDS, stop COVID-19 and prepare for future pandemics. Disponível em https://www.unaids.org/en/resources/documents/2021/2021-World-AIDS-Day-report

 

Artigos relacionados:

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você