[ editar artigo]

Medicina e Animes: NARUTO e os traumas e cuidados psicológicos

Medicina e Animes: NARUTO e os traumas e cuidados psicológicos

“O Naruto pode ser um pouco duro às vezes, talvez você não saiba disso, mas o Naruto também cresceu sem pai. Na verdade ele nunca conheceu nenhum de seus pais, e nunca teve nenhum amigo em nossa aldeia...” 

Pesado, né?! Essa é a realidade de vida de inúmeros personagens do famoso anime e mangá “Naruto”, de Masashi Kishimoto. Seguindo a mesma linha dos artigos de Medicina e os Animes, neste texto trago uma reflexão de como os traumas sofridos, definiram a personalidade e a vida das figuras do anime.

⚠️ O texto a seguir pode conter spoilers, cuidado! ⚠️

Em um mundo em que nações ninjas vivem guerreando entre si, conhecemos Naruto Uzumaki, uma criança órfã que possui selada no interior de seu corpo um espírito demoníaco destruidor: Kyuubi, a raposa de nove caudas.

Naruto cresceu sem família, sem saber sobre a história de seus pais e quem foram, desconhecia o sentimento de “ser amado”. Sempre foi rejeitado e temido por todas as pessoas da vila, ele não sabia o porquê, mas todos tinham medo da besta que ele carregava sem saber. Teve uma infância difícil e sem amigos, logo desenvolveu uma necessidade de chamar atenção, queria ser aceito e reconhecido por todos que o desprezavam então começou a ser uma criança problemática que fazia “brincadeiras de mau gosto” pela cidade. Seu sonho sempre foi ser o Hokage - ninja mais forte e líder da aldeia, reconhecido e respeitado por todos.

Quando criança, era o pior aluno da escola, sempre com um comportamento agitado, eufórico, conduta infantil e ingênua, além da dificuldade de concentração, fatores que poderiam diagnosticá-lo como portador de TDAH (Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade). O personagem também apresenta sintomas de complexo de inferioridade, os quais, na maioria das vezes, têm origem na infância, pois quando não encontrou na família fatores para se desenvolver emocionalmente, apresentando dificuldades para tomar decisões e o constante desejo de agradar os outros.

No decorrer da história, Naruto faz amizades, forma laços e aprende a lidar de uma maneira boa com seus traumas e problemas e os supera com muita confiança e determinação, inclusive, utiliza suas próprias experiências para convencer e “salvar” outras pessoas da escuridão.

Os outros personagens do anime, contudo, não tiveram o mesmo “destino colorido” que Naruto teve. Quem acompanhou o anime sabe das inúmeras pessoas que tiveram uma infância dolorosa e traumática: Haku, Nagato, Obito, Jūgo, Karin, Kimimaru, Sasori e tantos outros mais que me garantiriam até fazer uma coluna exclusiva sobre cada um destes personagens (você gostaria? Comente abaixo). O sofrimento intenso que estas crianças passaram, levou-os a construir suas personalidades e as importantes decisões e convicções de suas crenças. 

 

Gaara 

Gaara, por exemplo, é um os personagens que teve uma infância bem semelhante à de Naruto: desde seu nascimento ele foi tratado como vilão, como um monstro, sua mãe morreu em seu parto, seu pai, além de culpá-lo pela morte da esposa, também prendeu uma besta em seu interior (Shukaku, o demônio da areia) a fim de utilizá-lo como uma arma para seu país, era sempre tratado como uma ameaça, rejeitado e temido por todos de sua vila. 

Depois de uma experiência traumática envolvendo a única pessoa em quem confiava, Gaara virou uma criança fria, sem sentimentos e que não se importava com a dor que poderia causar aos outros. Chegou à conclusão de que podia preservar e confirmar sua própria existência, matando todos e qualquer um que o desafiar. Foi salvo por Naruto e, notando a semelhança entre suas histórias, descobriu um caminho onde ele poderia proteger as pessoas, a fim de, finalmente, ser visto como um ser humano, e não como a Besta dentro dele. 

Itachi Uchiha

Aos 4 anos, Itachi Uchiha presenciou muitas mortes durante a 3ª Guerra Ninja, o que influenciou para a formação de sua personalidade, uma criança introspectiva, reflexiva e madura para a sua idade. Com a morte de um amigo, Itachi despertou uma poderosa habilidade, seu Sharingan, o que deixou seu pai orgulhoso - curiosamente (ou não), no clã Uchiha era comum este sentimento de não se importar com mortes de amigos, somente com o despertar do Sharingan. 

Teve um forte apego emocional ao seu irmão mais novo Sasuke, jurando protege-lo para sempre, não queria que outras pessoas passassem pelo terror da guerra que ele vivenciou, e com este sentimento de proteção ele foi motivado a fazer o Massacre do clã Uchiha, visando evitar um golpe de estado e um caos maior.

Sasuke Uchiha

Quando pequeno, Sasuke Uchiha vivia à sombra de seu irmão, lidava com o complexo de inferioridade em relação à Itachi, na academia foi o melhor da classe na esperança de se tornar como ele e chamar a atenção de seu pai (necessidade de provar para os outros e a si mesmo o quanto ele é bom). 

Após o assassinato de seu clã por seu irmão que tanto admirava, perdeu a alegria em sua vida e assim começou a sua “queda na escuridão”, com um Transtorno de Estresse Pós-Traumático (TEPT) a motivação de sua vida passa a ser a vingança, ele passa a ter dificuldade de se relacionar e de confiar nas pessoas, uma personalidade introvertida e fria. Alguns sentimentos que Sasuke tinha em relação à seu irmão são transferidos para Naruto, como a necessidade de se tornar mais forte que ele, aumentando a rivalidade entre ambos. A obsessão em ganhar força e ter sua vingança pode ser comparada ao Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC).

 

Traumas na proporção que estes personagens sofreram, sem acompanhamento psicológico ou de algum profissional da saúde, deixam marcas para o resto da vida, fazendo a pessoa ficar presa ao passado e trilhar sua vida por um mau caminho. Somente após os acontecimentos da 4ª Grande Guerra Ninja, Sakura e Ino (ninjas médicas) fundam uma clínica para avaliar e tratar da saúde mental de crianças, com o intuito de ajudá-las a lidar com o estresse pós-traumático, também foram abertos orfanatos para garantir o cuidado adequados dos órfãos (estes fatos ocorrem no light novel Sakura Hiden).

Sabemos que é apenas ficção, mas, assim como na vida real, se cuidados como estes tivessem sido levados em conta no passado, muitas das guerras e conflitos do anime não teriam acontecido e muito sofrimento teria sido evitado. Um país com um bom projeto para cuidar da saúde mental de seus cidadãos garantiria a melhor qualidade de vida e bem-estar de todos.

Artigos Relacionados 


Você sabia que pode escrever na Academia Médica?

Clique aqui e faça parte da maior comunidade para médicos falantes de português do mundo!


Referências: 

ABDH. O QUE É TDAH. [S. l.], 2020. Disponível em: https://tdah.org.br/sobre-tdah/o-que-e-tdah/. Acesso em: 16 set. 2021.

SBARDELLOTO, Gabriela et al. Transtorno de estresse pós-traumático: evolução dos critérios diagnósticos e prevalência. Psico-USF [online]. 2011, v. 16, n. 1 , pp. 67-73. Disponível em: <https://doi.org/10.1590/S1413-82712011000100008>. Acesso em: 16 set. 2021.

TEIXEIRA, Napoleão L. Alguns Aspectos da Problemática Médico-Social do Complexo de Inferioridade. Revista da Faculdade de Direito UFPR, v. 8, 1960.

Academia Médica
Gideão Calebe
Gideão Calebe Seguir

Customer Success na Academia Médica. Bacharel em Ciências Biológicas pela UFPR. Aliado na revolução do conhecimento na saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você