[ editar artigo]

Mesmo sem ter apneia do sono, quem ronca com frequência pode ser menos ativo fisicamente

Mesmo sem ter apneia do sono, quem ronca com frequência pode ser menos ativo fisicamente

A pesquisa realizada por Michael Grandner, diretor do Programa de Pesquisa de Sono e Saúde da Faculdade de Medicina da Universidade do Arizona, em Tucson, mostrou que pessoas que roncam, mesmo sem apneia do sono, podem ter sua saúde e bem-estar alterados. 

Os pesquisadores avaliaram a relação entre a frequência do ronco e a quantidade, em minutos, de inatividade física. Os autores usaram dados de pacientes do National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES) ao longo de 3 anos. Como resultado, os adultos que roncavam frequentemente (mais de 5 noites por semana) passavam cerca de 36 minutos a mais por dia inativos em comparação com outros pacientes que relataram nunca roncar. Além disso, os participantes considerados com maior risco de ter apneia do sono tiveram cerca de 54 minutos a mais por dia de tempo sedentário.

Consoante Grandner, quem ronca não é afetado somente durante a noite, esses indivíduos acabam tendo mais cansaço e menos energia, impactando no humor e no nível de estresse de cada um. Também, esse cansaço e falta de energia é o que leva esses indivíduos a ficarem menos ativos e sedentários. 

Artigos relacionados 

Perdendo o sono? Entenda a relação entre os distúrbios e a saúde e saiba como se cuidar

ACORDA PEDRINHO! - A importância do sono de qualidade para a nossa saúde

Dormir mais pode te fazer ingerir menos calorias!

Referência

Megan Brooks. Snoring Can Lead to a Sedentary Lifestyle - Medscape - Jun 15, 2022.

 

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você