[ editar artigo]

Pacientes com gota são mais propensos a apresentar evento cardiovascular após surto

Pacientes com gota são mais propensos a apresentar evento cardiovascular após surto

 

Pesquisadores da Universidade de Nottingham, em colaboração com especialistas da Universidade de Keele, relatam, na revista científica JAMA, que o risco de infartos e derrames aumenta temporariamente nos quatro meses após um surto de gota.

Os autores do estudo se basearam em registros do sistema britânico Clinical Practice Research Datalink, que utiliza dados anônimos de pacientes tratados no Serviço Nacional de Saúde do país. Eles identificaram 10.475 pacientes com gota que sofreram derrames ou infartos após o diagnóstico, comparando-os por sexo, idade, IMC, duração da gota e outros parâmetros com outros 52.099 pacientes com gota sem tais eventos.

A pesquisa mostrou que os pacientes que sofreram um infarto ou acidente vascular cerebral eram duas vezes mais propensos a ter tido um surto de gota nos 60 dias anteriores ao evento e uma vez e meia mais propensos a ter tido surto entre 2 e 4 meses antes.

Tais achados fortalecem, segundo os autores, a descoberta de que as crises de gota estão associadas a um aumento transitório de eventos cardiovasculares após as crises. As chances e taxas aumentadas também foram observadas quando pessoas com doença cardíaca pré-existente ou acidente vascular cerebral prévio foram excluídas da análise e quando períodos de exposição mais curto (como 0-15 e 16-30 dias antes do evento cardiovascular) foram considerados.

Pacientes com gota que faleceram por infarto ou acidente vascular cerebral tiveram mais de quatro vezes as chances de sofrer um surto de gota nos 0-60 dias anteriores e mais do dobro das chances de surto de gota nos 61-120 dias anteriores.

De acordo com os pesquisadores, pacientes com crises recorrentes de gota devem ter opção de tratamento de longo prazo com redução de urato, como pelo uso de alopurinol. Além disso, as pessoas com gota devem ser incentivadas a adotar um estilo de vida saudável, com tratamento adequado de condições como hipertensão, dislipidemia, obesidade e diabetes para minimizar o risco de eventos cardiovasculares.

As limitações do estudo, conforme os autores, incluem a utilização de dados extraídos retrospectivamente de um banco de dados prospectivo e o fato de os resultados mostrarem associação, mas não causa

 

Artigos relacionados:

Referências:

Cipolletta E, Tata LJ, Nakafero G, Avery AJ, Mamas MA, Abhishek A. Association Between Gout Flare and Subsequent Cardiovascular Events Among Patients With Gout. JAMA. 2022 Aug 2;328(5):440-450. doi: 10.1001/jama.2022.11390. PMID: 35916846. Disponível em https://jamanetwork.com/journals/jama/article-abstract/2794763?utm_source=substack&utm_medium=email

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você