[ editar artigo]

[PARTE 2]The Check Up with Google Health 2022: projetos inovadores para profissionais da saúde e comunidade

[PARTE 2]The Check Up with Google Health   2022: projetos inovadores para profissionais da saúde e comunidade

Dando continuidade ao resumo dos principais destaques no evento The Check Up with  Google Health, vou apresentar  as soluções divulgadas para profissionais da saúde e para a comunidade. 

⚠️Não esquece de ler a primeira parte do texto, viu? Clique aqui e confira!


Wearables e Inteligência Artificial: melhorando os defechos de cirurgias ortopédicas

Pesquisadores da Universidade de Califórnia, localizada em Los Angeles juntamente com o time de projetos e tecnologia avançada do Google se uniram para melhorar os resultados de procedimentos cirúrgicos ortopédicos como a substituição de joelho  por meio da Inteligência Artificial (IA) e do desenvolvimento de eletrônicos acessíveis.

Com isso, a solução tem como objetivo criar  um futuro em que a recuperação da cirurgia possa ser medida de forma contínua e precisa fora dos consultórios médicos.

De acordo com os pesquisadores, nos Estados Unidos, há aproximadamente um milhão de procedimentos de cirurgia de substituição do joelho realizados a cada ano. Prevê-se que 50% dos adultos terão artrite avançada do joelho (e precisarão de  artroplastia em algum momento de sua vida) e que o número de substituições totais de articulações realizadas crescerá para quase 3 e 1/2 milhões na próxima década.

Apesar de ser um procedimento bem estabelecido na prática ortopédica, estima-se que  10% e 20% dos pacientes ainda têm problemas após a cirurgia. Entretanto, os médicos e pesquisadores possuem dificuldade para medir esses resultados.

Para tentar solucionar esse problema, as equipes da Universidade e do Google utilizaram marcadores em áreas específicas do corpo das pessoas para rastrear o movimento desses sensores (com o uso de câmera), enquanto os pacientes caminham e criar um modelo 3D para indicar onde exatamente as articulações neste momento.

Os testes são realizados em laboratório. Portanto, os pesquisadores destacaram que para ter um resultado mais fidedigno, é necessário monitorar as pessoas no seu dia a dia.

Essa demanda já está inclusa no projeto: os profissionais envolvidos estão trabalhando para coletar dados, durante a fase de recuperação do paciente, em tempo real. Ou seja, 24 horas por dia, 7 dias por semana. A ideia é usar as informações para melhorar o processo de recuperação. 

Abaixo, assista o trecho do evento na íntegra sobre esta solução:

Interoperabilidade entre prontuários — parceria com a MEDITECH 

A maioria dos sistemas de prontuários hoje são fragmentados e desconectados entre si. Com isso, profissionais de saúde acabam perdendo informações importantes entre um atendimento e outro.  Logo,  melhorar o fluxo de dados entre os sistemas de saúde, conhecido como "interoperabilidade", é fundamental para garantir a experiência e os resultados ideais do paciente.

Com esse objetivo, O Google uniu os recursos de harmonização, pesquisa e resumo de dados do conjunto de produtos Care Studio do Google Health com o sistema de registro médico eletrônico MEDITECH Expanse.

De acordo com Mike Cordeiro, Diretor de interoperabilidade e estratégia na  MEDITECH, as informações estão, muitas vezes, espalhadas por muitos ambientes de atendimento e armazenadas de várias formas: estruturadas, semiestruturadas, não estruturadas.

Esse cenário dificulta a revisão de todos os formatos de dados de maneira rápida e eficaz por parte dos provedores e atrapalha as consultas, já que os médicos precisam das informações mais relevantes na ponta dos dedos para identificar necessidades de seus pacientes e fornecer cuidados direcionados e oportunos.

Portanto, aproveitar as ferramentas de sumarização de pesquisa no Expanse trará as informações de que o provedor precisa para um resumo limpo, sem precisar procurá-las e construí-las.

Além disso, a solução foi desenvolvida em nuvem,  simplificando a infraestrutura de Tecnologia da Informação (TI) para organizações de saúde. A nuvem oferece muito mais facilidade de escalabilidade, segurança aprimorada e é especialmente importante no cenário de tecnologia em rápida mudança de hoje.

Abaixo, assista o trecho do evento na íntegra sobre esse assunto:

Democratização do acesso a cuidados de alta qualidade por meio de dispositivos móveis

Os agentes comunitários de saúde  formam a base dos cuidados de saúde nos países de baixa renda — onde cerca de metade da população não tem acesso a recursos vitais de saúde.  Esses trabalhadores, da linha de frente e, portanto, inseridos nas comunidades são a pedra angular para conectar os pacientes aos cuidados essenciais.

Ao longo dos últimos anos, smartphones e aplicativos móveis tornaram-se ferramentas de cuidado inestimáveis ​​para agentes comunitários de saúde. Os aparelhos auxiliam os serviços comunitários e de saúde domiciliar com atividades como:

• Triagem de pacientes;

• Registros de imunização;

• Realização de exames;

• Distribuição de medicamentos.

Dada a importância desses recursos, problemas como incompatibilidade de dados e falta de interoperabilidade levam a situações problemáticas nas quais as decisões para os pacientes são tomadas com informações incompletas.

Para solucionar essa situação, o Google em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS) estão  aplicando desenvolvendo aplicativos de saúde que sejam perfeitamente interoperáveis.

Com o uso de código aberto e ferramentas de suporte que garantem a troca de dados de alta qualidade, os desenvolvedores podem concentrar recursos na criação de aplicativos para atender às necessidades de suas comunidades locais sem ter que se preocupar com o gerenciamento de conteúdo clínico e requisitos de dados para cuidados baseados em evidências.

 Para avançar na missão, o Google está colaborando com a OMS e um ecossistema de provedores de tecnologia para criar um SDK (Kit de desenvolvimento de Software, sigla em inglês) de código aberto.

Este SDK ajudará os desenvolvedores a criar soluções móveis seguras usando um padrão de dados global centrado no paciente chamado "FHIR", também conhecido como "Recursos de interoperabilidade de assistência médica rápida". Isso, por sua vez, torna mais fácil para os profissionais de saúde fornecer cuidados orientados por dados. 

Alguns profissionais de saúde geralmente precisam prestar atendimento em áreas com conectividade não confiável. Dessa maneira, o SDK foi projetado para permitir que aplicativos Android sejam executados offline, sem conectividade, armazenando e processando dados localmente.

A seguir, assista o trecho do evento na íntegra sobre esse tema:

Dispositivos e inteligência artificial para minimizar a mortalidade materna

No mundo inteiro, mulheres ainda morrem durante o parto e em grande número. Estima-se a ocorrência de 300.000 mortes maternas e 2,5 milhões de mortes perinatais ocorrem a cada ano, com surpreendentes 94% acontecendo em países de baixa e média renda.

Os motivos são diversos e, de forma geral, uma das recomendações da OMS para avaliar a saúde do bebê e da mãe, com a finalidade de monitorar riscos e complicações precoces e planejar uma jornada segura de gravidez é a realização da avaliação ultrassonográfica antes das 24 semanas de gestação.

A ação é simples. No entanto, problemas como barreiras no acesso ao exame durante o pré-natal e a falta de conhecimento na leitura de ultrassons são muito comuns. 

Para simplificar as barreiras à aquisição e interpretação de ultrassons, o Google fez uma parceria com a Northwestern Medicine para minimizar o índice de morte materna. O resultado é promissor: com um smartphone e um pequeno transdutor portátil é possível que qualquer pessoa consiga  realizar um ultrassom.

Entretanto, a limitação está na interpretação do exame, que é operador-dependente. Assim, os pesquisadores da Google e da Northwestern estão trabalhando em uma Inteligência Artificial ​​para auxiliar no diagnóstico da saúde fetal e materna. Além disso, as instituições visam desenvolver e testar modelos para serem mais generalizáveis ​​em diferentes níveis de experiência e tecnologias.

 Confira abaixo o trecho do evento na íntegra sobre a solução:

Gostou das iniciativas apresentadas no post? Deixe seu comentário!

 

Artigos relacionados

Referência

  1. Youtube. The Check Up with Google Health 2022.  Março 2022. Disponível em:  www.yputube.com//watch?v=2XQZQR477fg&t=2837s. Acesso em: 12 de abril de 2022.

 

Academia Médica
Isadora Mesadri
Isadora Mesadri Seguir

Estudante de Medicina e estagiária na Academia Médica. Adoro aprender com outras áreas além da Medicina.

Ler conteúdo completo
Indicados para você