[ editar artigo]

Pesquisa demonstra que uso de máscara não afeta a respiração nem resposta cardiovascular durante exercício

Pesquisa demonstra que uso de máscara não afeta a respiração nem resposta cardiovascular durante exercício

 

Uma pesquisa realizada por profissionais da Faculdade de Medicina da USP com homens e mulheres concluiu que o uso de máscaras de tecido não interfere significativamente nos padrões de respiração e fisiologia cardiovascular durante a prática de exercício físico em intensidades moderadas a vigorosas, embora possa causar certo desconforto em algumas pessoas. O estudo, ainda sem revisão por pares, foi divulgado na plataforma MedRxiv, ainda sem revisão por pares.

No estudo,  17 homens e 18 mulheres saudáveis realizaram testes ergoespirométricos em esteira – que avaliam as respostas cardiopulmonares por meio da troca de gases expirados e inspirados durante o exercício – em diferentes intensidades de esforço físico. Os participantes do estudo correram com máscara de tecido de três camadas e, em outra sessão, sem ela, para que a comparação fosse feita.

Foram avaliadas diferentes intensidades de exercícios e analisados muitos parâmetros fisiológicos, tais como capacidade respiratória e consumo de oxigênio, frequências cardíaca e respiratória, tempo até exaustão, acidose e saturação de oxigênio, entre outros. Em intensidades moderadas os pesquisadores não encontraram mudanças estatisticamente significativas nos parâmetros avaliados.

Já nas altas intensidades de exercício físico, foi possível perceber pequenas alterações respiratórias. No entanto, o organismo consegue, por meio de respostas fisiológicas compensatórias, manejar essas mudanças. Ademais, os pesquisadores observaram que não houve diferenças entre homens e mulheres. Parâmetros subjetivos, como calor, desconforto e fadiga, foram percebidos pelos voluntários, mas, segundo os autores, estes obstáculos não devem ser usados para postergar a volta à prática de exercícios físicos em detrimento da pandemia.

O estudo concluiu que os mitos de que o uso de máscara durante o exercício físico seria prejudicial não se sustentam. As perturbações provocadas pela máscara foram muito pequenas, especialmente nas intensidades abaixo do esforço máximo, que já fornecem inúmeros benefícios à saúde.

 

Referências:

Guardieiro NM, Barreto G, Marticorena FM, et al. A Cloth Facemask Causes No Major Respiratory or Cardiovascular Perturbations during Moderate to Heavy Exercise. medRxiv; 2021. DOI: 10.1101/2021.12.14.21267800.

 

Artigos relacionados:

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você