[ editar artigo]

Molnupiravir é eficaz contra variantes da covid-19

Molnupiravir é eficaz contra variantes da covid-19

Em um estudo publicado na plataforma MedRxiv em junho deste ano, pesquisadores sugerem que o antiviral oral experimental da MSD (Merck Sharp & Dohme), molnupiravir, é o primeiro antiviral oral de ação direta que demonstrou ser altamente eficaz na redução do vírus infeccioso da SARS-CoV-2 nasofaríngeo e do RNA viral e com perfil favorável de segurança e tolerabilidade.

O estudo envolveu pacientes com covid-19 não hospitalizados que apresentaram sintomas por não mais do que cinco dias e estão em risco de doença grave. Os participantes elegíveis incluíram pacientes ambulatoriais com infecção confirmada por SARS-CoV-2 e início dos sintomas em 7 dias. Os participantes foram randomizados para 1: 1 a 200 mg de molnupiravir ou placebo, ou 3: 1 para molnupiravir (400 ou 800 mg) ou placebo, duas vezes ao dia por 5 dias. A atividade antiviral foi avaliada como o tempo até os níveis indetectáveis ​​de RNA viral pela reação em cadeia da polimerase da transcriptase reversa e o tempo para a eliminação do isolamento do vírus infeccioso dos esfregaços nasofaríngeos.

Entre 202 participantes tratados, o isolamento do vírus foi significativamente menor nos participantes que receberam 800 mg de molnupiravir (1,9%) versus placebo (16,7%) no Dia 3 (p = 0,02). No Dia 5, o vírus não foi isolado de nenhum participante que recebeu 400 ou 800 mg de molnupiravir, contra 11,1% daqueles que receberam placebo (p = 0,03). O tempo para a depuração do RNA viral diminuiu e uma proporção maior atingiu a depuração geral em participantes que receberam 800 mg de molnupiravir versus placebo (p = 0,01). O molnupiravir foi geralmente bem tolerado, com números semelhantes de eventos adversos em todos os grupos.

Como o molnupiravir não tem como alvo a proteína spike do vírus - o alvo de todas as vacinas covid-19 atuais - que define as diferenças entre as variantes, o medicamento deve ser igualmente eficaz à medida que o vírus continua a evoluir. Em vez disso, o molnupiravir tem como alvo a polimerase viral, uma enzima necessária para que o vírus faça cópias de si mesmo. Ele foi projetado para funcionar introduzindo erros no genoma viral. De acordo com a pesquisa, a droga seria mais eficaz caso fosse prescrita já no início da doença.

A farmacêutica está atualmente conduzindo dois testes de Fase III do antiviral que está desenvolvendo com Ridgeback Biotherapeutics - um com o intuito de verificar a eficácia do medicamento no tratamento de covid-19 e outro como preventivo.

O estudo MOVe-OUT (MK-4482-002) (NCT04575597) consistiu num estudo global de Fase 3, randomizado, controlado por placebo, duplo-cego, com pacientes adultos com covid-19 confirmado em laboratório, com doença leve a moderada e não hospitalizados. Os pacientes precisavam ter pelo menos um fator de risco para evolução desfavorável da doença e início dos sintomas até cinco dias antes da randomização. O objetivo primário do MOVe-OUT foi avaliar a eficácia do molnupiravir em comparação com o placebo, tendo como desfecho o percentual de hospitalização e / ou morte desde o momento da randomização até o 29º dia.

A Fase 3 do MOVe-OUT foi conduzida globalmente em mais de 170 países como Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Egito, França, Alemanha, Guatemala, Israel, Itália, Japão, México, Filipinas, Polônia, Rússia, Sul África, Espanha, Suécia, Taiwan, Ucrânia, Reino Unido e Estados Unidos.

No dia 1º de outubro de 2021 a empresa divulgou resultados provisórios deste estudo que demonstram que o molnupiravir reduziu em cerca de 50% a chance de hospitalização ou morte para os pacientes. A Merck planeja, agora, buscar a autorização de uso emergencial nos Estados Unidos para a pílula mais rápido possível e enviar solicitações às agências regulatórias em todo o mundo.

Devido aos resultados positivos, o ensaio de fase 3 está sendo interrompido precocemente por recomendação de monitores externos. A Merck disse que o sequenciamento viral feito até agora mostra que o molnupiravir é eficaz contra todas as variantes do novo coronavírus, incluindo a altamente transmissível variante Delta.

No Brasil, a MSD está em negociações com órgãos técnicos governamentais competentes para colaboração tecnológica com o objetivo de definir a melhor forma de acesso à população – ainda dependendo de aprovação regulatória. A submissão à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deverá ser solicitada em breve.

"Mais estratégias e tratamentos são urgentemente necessários para combater a pandemia de covid-19, que se tornou uma das principais causas de morte e continua a afetar profundamente pacientes, famílias e sociedades além de sobrecarregar os sistemas de saúde em todo o mundo. Com estes resultados, estamos otimistas de que molnupiravir pode se tornar um medicamento importante como parte do esforço global para combater a pandemia e irá adicionar ao legado único da MSD de trazer avanços em doenças infecciosas quando eles forem necessários", consta no press-release divulgado pela empresa.

Consistente com o compromisso inabalável da MSD de salvar e melhorar vidas, continuaremos a trabalhar com as agências reguladoras e fazer tudo o que pudermos para levar molnupiravir aos pacientes o mais rápido possível", disse Robert M. Davis, CEO e presidente da MSD. "Em nome de todos nós, agradeço nossa rede de pesquisadores clínicos e pacientes por suas contribuições essenciais para o desenvolvimento do molnupiravir."

 

Referências:

William Fischer, Joseph J. Eron Jr, Wayne Holman, Myron S. Cohen, Lei Fang, Laura J. Szewczyk, Timothy P Sheahan, Ralph Baric, Katie R. Mollan, Cameron R. Wolfe, Elizabeth R. Duke, Masoud M. Azizad, Katyna Borroto-Esoda, David A. Wohl, Amy James Loftis, Paul Alabanza, Felicia Lipansky, Wendy P. Painter. Molnupiravir, an Oral Antiviral Treatment for COVID-19. MedRxiv 2021.06.17.21258639; doi: https://doi.org/10.1101/2021.06.17.21258639

Merck says research shows its COVID-19 pill works against variants. Disponível em: https://www.reuters.com/business/healthcare-pharmaceuticals/merck-says-research-shows-its-covid-19-pill-works-against-variants-2021-09-29/

 

Artigos relacionados:


Publique na Academia Médica. Clique aqui e saiba como.


 

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você