[ editar artigo]

A covid-19 causou a maior redução na expectativa de vida desde a Segunda Guerra Mundial

A covid-19 causou a maior redução na expectativa de vida desde a Segunda Guerra Mundial

Pesquisadores da Universidade de Oxford publicaram um artigo no International Journal of Epidemiology no dia 26 de setembro de 2021 intitulado "Quantifying impacts of the covid-19 pandemic through life-expectancy losses: a population-level study of 29 countries". A equipe reuniu um conjunto de dados sem precedentes sobre a mortalidade de 29 países, abrangendo a maior parte da Europa, Estados Unidos e Chile - países para os quais os registros oficiais de óbito para 2020 foram publicados. Eles descobriram que 27 dos 29 países viram reduções na expectativa de vida em 2020, e em uma escala que eliminou anos de progresso na mortalidade.

Mulheres em 15 países e homens em 10 países tiveram uma expectativa de vida ao nascer menor em 2020 do que em 2015, ano em que a expectativa de vida já havia sido afetada negativamente por uma temporada de gripe significativa. Para países da Europa Ocidental, como Espanha, Inglaterra e País de Gales, Itália, Bélgica, entre outros, a última vez que essas grandes magnitudes de declínios na expectativa de vida ao nascer foram observadas em um único ano foi durante a Segunda Guerra Mundial.

Na maioria dos 29 países, os homens viram quedas maiores na expectativa de vida do que as mulheres. Os maiores declínios na expectativa de vida foram observados entre os homens nos EUA, que viram um declínio de 2,2 anos em relação aos níveis de 2019, seguidos pelos homens lituanos (1,7 anos).

Contributions (in years) to changes in life expectancy at birth from 2019 to 2020 attributable to official COVID-19 deaths and remaining causes of death. Countries are sorted from largest to smallest losses. The sum of both components adds to the total change from 2019 to 2020 in a given country. All data points are provided in a table in Supplementary File 3, available as Supplementary data at IJE online .

Contribuições (em anos) para mudanças na expectativa de vida no nascimento de 2019 a 2020 atribuíveis às mortes oficiais do covid-19 e às demais causas de morte. Os países são classificados das maiores às menores perdas. A soma de ambos os componentes soma-se à mudança total de 2019 a 2020 em um determinado país. Fonte: Aburto et al, 2021.

Este é o primeiro estudo a reunir um conjunto de dados de alta qualidade de estimativas de mortalidade harmonizadas, tabelas de vida e idade por decomposição de causa para 29 países que representam a maior parte da Europa, Chile e os EUA para fornecer novas evidências dos impactos cumulativos e comparativos da pandemia na saúde da população. As perdas na expectativa de vida foram em grande parte atribuídas ao aumento da mortalidade acima dos 60 anos e relacionadas às mortes oficiais da Covid-19.

Artigos relacionados:

Referências:

José Manuel Aburto, Jonas Schöley, Ilya Kashnitsky, Luyin Zhang, Charles Rahal, Trifon I Missov, Melinda C Mills, Jennifer B Dowd, Ridhi Kashyap, Quantifying impacts of the COVID-19 pandemic through life-expectancy losses: a population-level study of 29 countries, International Journal of Epidemiology, 2021;, dyab207, https://doi.org/10.1093/ije/dyab207


Publique na Academia Médica! Acesse aqui e saiba como



 

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você