[ editar artigo]

O efeito da dieta na Mortalidade por Todas as Causas (MTC)

O efeito da dieta na Mortalidade por Todas as Causas (MTC)

Todos nós já sabemos que a dieta e a atividade física são importantes fatores que influenciam na saúde e no bem-estar de todos nós. Recentemente até mesmo foi descrito o papel das dietas low carb e de elevados níveis glicêmicos na mortalidade dos pacientes, bem como possíveis distúrbios neuropsiquiátricos relacionados ao seu estilo de dieta. E para melhor avaliar o papel das dietas na mortalidade por todas as causas (MTC) das pessoas por qualquer causa, um grupo de pesquisadores realizou uma recente revisão sistemática para tentar quantificar o quanto essa variável sozinha pode influenciar nos desfechos fatais dos pacientes.

E o que eles encontraram?

Apesar das diferentes abordagens, desenhos de estudo, métodos de avaliação dietética, regiões geográficas e padrões alimentares,

as evidências demonstraram que os padrões dietéticos associados com menor risco de MTC foram caracterizados consistentemente por maior ingesta de vegetais; leguminosas; frutas; nozes; grãos inteiros ou não refinados, cereais; peixes; e óleos vegetais insaturados.

Esses padrões também foram caracterizados por menor ou nenhum consumo de produtos de origem animal (carne vermelha e processada, carnes e derivados, e laticínios com alto teor de gordura), grãos refinados e doces (ou seja, alimentos com elevados níveis de açúcar). Os "nomes" atribuídos aos padrões dietéticos variaram amplamente (por exemplo, dieta Mediterrânea, prudente, Índice de Alimentação Saudável, e à base de plantas), destacando que as dietas de alta qualidade com alimentos densos em nutrientes estão associadas a uma melhor saúde, independentemente do tipo de dieta. Também foi avaliado que o consumo leve ou moderado também estão associados há uma redução da MTC.

Metodologia

O estudo "Evaluation of Dietary Patterns and All-Cause Mortality A Systematic Review" utilizado nesse material analisou um total de 152 estudos observacionais e apenas um ensaio clínico randomizado. Os estudos envolveram adultos e idosos (com idade entre 17-84 anos no início do estudo) de 28 países com Índice de Desenvolvimento Humano alto ou muito alto; 53 estudos originaram-se dos EUA. A maioria dos estudos foi bem desenhada, usou métodos rigorosos e tinha riscos baixos ou moderados de viés. Precisão, objetividade e generalização foram demonstradas em todo o corpo de evidências. Os resultados dos estudos foram altamente consistentes. No entanto, devemos ressaltar que apenas um ensaio clínico randomizado foi incluído neste estudo (o que reduz um pouco o nível de evidência dessa revisão sistemática) e que os países subdesenvolvidos não foram incluídos.

A importância desse estudo reside no fato de que levando em consideração um cenário onde o paciente tenha a opção de se alimentar com uma dieta mais equilibrada, independentemente do "nome" que ela tenha, teremos um fator que pode diminuir a mortalidade total, e não somente isso como também previnir diversas morbidades e aumentar a qualidade de vida.

Conteúdo relacionado


Quer escrever?
Publique seu artigo na Academia Médica e faça parte de uma comunidade crescente de mais de 215 mil médicos, acadêmicos, pesquisadores e profissionais da saúde. Clique no botão "NOVO POST" no alto da página!


Referências

English LK, Ard JD, Bailey RL, Bates M, Bazzano LA, Boushey CJ, et al. Evaluation of Dietary Patterns and All-Cause Mortality. JAMA Network Open [Internet]. 2021 Aug 31 [cited 2021 Sep 20];4(8):e2122277. Available from: https://jamanetwork.com/journals/jamanetworkopen/fullarticle/2783625 ‌

Conteúdo elaborado por Diego Arthur Castro Cabral

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você