[ editar artigo]

Perda de peso alcançada com cirurgia bariátrica foi associada a melhores desfechos na infecção por COVID-19

Perda de peso alcançada com cirurgia bariátrica foi associada a melhores desfechos na infecção por COVID-19

 

A obesidade foi reconhecida como um importante fator de risco para resultados clínicos adversos da infecção por SARS-CoV-2, estando associada à inflamação sistêmica, disfunção imune e um estado de hipercoagulabilidade. A mecânica respiratória prejudicada, juntamente com distúrbios pulmonares, cardíacos e metabólicos coexistentes, também podem desempenhar um papel na gravidade da infecção por COVID-19 em pacientes com obesidade.

Embora a associação entre obesidade e maus resultados clínicos do COVID-19 tenha sido estabelecida, uma questão fundamental permanece sem resposta. Não se sabe se a perda de peso pode melhorar os resultados da infecção por COVID-19 em pacientes com obesidade. Se a obesidade for identificada como um fator de risco modificável, a ênfase na perda de peso como estratégia de saúde pública pode ser benéfica durante a pandemia de COVID-19 e em futuros surtos dessa ou de outras doenças infecciosas.

Neste sentido, pesquisadores da Cleveland Clinic buscaram examinar a associação entre uma intervenção bem-sucedida para perda de peso por cirurgia e menor risco e gravidade da infecção por COVID-19 em pacientes com obesidade e publicaram seus resultados no jornal JAMA Surgery, em 29 de dezembro de 2021.

Este estudo de coorte envolveu pacientes adultos com índice de massa corporal de 35 ou mais (calculado como peso em quilogramas dividido pela altura em metros ao quadrado) que haviam sido submetidos à cirurgia para perda de peso, incluindo bypass gástrico em Y de Roux ou gastrectomia vertical, entre 1º de janeiro de 2004 e 31 de dezembro de 2017 , no Cleveland Clinic Health System (CCHS). Os pacientes do grupo cirúrgico foram pareados 1:3 com os pacientes que não tiveram intervenção cirúrgica para sua obesidade (grupo controle). A fonte dos dados foi o prontuário eletrônico do CCHS. O acompanhamento foi realizado até 1º de março de 2021.

Quatro resultados relacionados ao COVID-19 foram analisados ​​em pacientes com diagnóstico de COVID-19 entre 1º de março de 2020 e 1º de março de 2021: resultado positivo do teste SARS-CoV-2, hospitalização, necessidade de oxigênio suplementar e infecção grave por COVID-19 (um composto de admissão na unidade de terapia intensiva, necessidade para ventilação mecânica ou morte).

Um total de 20.212 pacientes (idade média de 46 [35-57] anos; 77,6% indivíduos do sexo feminino [15.690]) com um índice de massa corporal mediana (IQR) de 45 (41-51) foram inscritos. A duração média geral do acompanhamento (IQR) foi de 6,1 (3,8-9,0) anos. Antes do surto de COVID-19, os pacientes do grupo cirúrgico em comparação com os pacientes de controle perderam mais peso (diferença média em 10 anos da linha de base: 18,6 [IC 95%, 18,4-18,7] pontos percentuais; P  < 0,001) e tiveram 53 % menor incidência cumulativa de 10 anos de mortalidade não-COVID-19 por todas as causas. Dos 20.212 pacientes inscritos, 11.809 estavam disponíveis em 1º de março de 2020 para uma avaliação dos resultados relacionados ao COVID-19. As taxas de resultados positivos do teste SARS-CoV-2 foram comparáveis ​​nos grupos cirúrgico e controle (9,1% e 8,7% respectivamente). No entanto, a cirurgia anterior para perda de peso foi significativamente associada a um risco 49% menor de hospitalização, risco 63% menor de necessidade de oxigênio suplementar e risco 60% menor de doença grave durante um período de 12 meses após contrair a infecção por COVID-19.

Este estudo de coorte descobriu que, entre os pacientes com obesidade, a perda de peso substancial alcançada com a cirurgia foi associada a melhores resultados da infecção por COVID-19. Os resultados sugerem que a obesidade pode ser um fator de risco modificável para a gravidade da infecção por COVID-19.

 

Referências:

Aminian A, Tu C, Milinovich A, Wolski KE, Kattan MW, Nissen SE. Association of Weight Loss Achieved Through Metabolic Surgery With Risk and Severity of COVID-19 Infection. JAMA Surg. Published online December 29, 2021. doi:10.1001/jamasurg.2021.6496

Artigos Relacionados:

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você