[ editar artigo]

Sociedade Europeia de Cardiologia alerta contra potenciais perigos de suplementos nutricionais em atletas

Sociedade Europeia de Cardiologia alerta contra potenciais perigos de suplementos nutricionais em atletas

 

Suplementos nutricionais consumidos para aumentar o desempenho atlético podem representar riscos para o coração, de acordo com uma declaração da Sociedade Europeia de Cardiologia (ESC) publicada em janeiro no European Journal of Preventive Cardiology.

Os suplementos nutricionais são comumente vistos como substâncias isentas de riscos que podem melhorar o desempenho, afirma o artigo. Alguns suplementos nutricionais, incluindo vários extratos vegetais e 'naturais', podem representar um sério risco à saúde e os atletas podem até arriscar violar as regras antidoping.

“Atletas que usam suplementos muitas vezes não têm conhecimento sobre seus efeitos no desempenho esportivo e na saúde geral”, continua o documento. “Relata-se que a maioria dos atletas recebe aconselhamento nutricional de treinadores, colegas atletas, familiares e amigos, sugerindo que intervenções educacionais de maior alcance, em idade precoce, são necessárias.”

    O artigo descreve os efeitos cardiovasculares de substâncias dopantes, medicamentos prescritos e de venda livre, suplementos legais para melhorar o desempenho e drogas experimentais. Doping refere-se ao uso de uma substância ou método potencialmente perigoso para a saúde do atleta ou capaz de melhorar seu desempenho. Como exemplo, a morte entre atletas dopados com esteroides anabólicos androgênicos é estimada em 6 a 20 vezes maior do que em atletas limpos, e cerca de 30% dessas mortes podem ser atribuídas a causas cardiovasculares.

    A Agência Mundial Antidoping (WADA) mantém uma lista de drogas proibidas, mas as substâncias nutricionais não estão incluídas, pois muitas não são regulamentadas e não são licenciadas. O uso de suplementos legais por atletas varia entre 40% e 100% dependendo do esporte e nível de competição. Destinados a melhorar o desempenho e dar uma vantagem competitiva, os suplementos legais incluem cafeína, creatina, bebidas/géis/barras energéticas, suco de beterraba e proteínas.

    A cafeína é um excelente exemplo de uma substância natural que é considerada segura. Embora a cafeína melhore o desempenho, particularmente a capacidade aeróbica em atletas de resistência, seu abuso pode levar a batimentos cardíacos acelerados (taquicardia), distúrbios do ritmo cardíaco (arritmias), pressão alta e, em alguns casos, morte cardíaca súbita. A filosofia 'mais é melhor', quando aplicada ao uso de cafeína nos esportes, pode resultar em efeitos colaterais que superam os benefícios de desempenho, afirma o artigo.

    Muitos atletas de elite consomem diariamente uma combinação de suplementos e o documento afirma: “Infelizmente, é prática comum que os atletas ignorem as recomendações de dosagem e usem vários medicamentos simultaneamente”. Os esportistas devem estar cientes de que o uso de suplementos os expõe ao risco de ingestão de substâncias proibidas, pois são regulamentadas como ingredientes alimentícios e não estão sujeitas às rigorosas normas de segurança dos produtos farmacêuticos.

    O documento alerta que o desejo e consentimento dos atletas em usar drogas experimentais que não foram comprovadamente seguras em humanos é potencialmente ainda mais arriscado do que usar esteróides ou outras drogas proibidas. O uso contínuo de moduladores ou peptídeos seletivos de receptores androgênicos “traz um risco substancial de consequências prejudiciais à saúde a longo prazo, que geralmente são subestimadas por seus promotores”, afirma o artigo. 

    Os autores ainda reiteram que pacientes com doença cardiovascular estabelecida devem consultar um médico esportivo ou cardiologista esportivo  sempre antes de usar qualquer auxiliar de desempenho ou suplemento.

     

    Artigos relacionados:

     

    Referência

    1.Paolo Emilio Adami, Nikolaos Koutlianos, Aaron Baggish, Stéphane Bermon, Elena Cavarretta, Asterios Deligiannis, Francesco Furlanello, Evangelia Kouidi, Pedro Marques-Vidal, Josef Niebauer, Antonio Pelliccia, Sanjay Sharma, Erik Ekker Solberg, Mark Stuart, Michael Papadakis, Cardiovascular effects of doping substances, commonly prescribed medications and ergogenic aids in relation to sports: a position statement of the sport cardiology and exercise nucleus of the European Association of Preventive Cardiology, European Journal of Preventive Cardiology, 2022;, zwab198, https://doi.org/10.1093/eurjpc/zwab198. Disponível em https://academic.oup.com/eurjpc/advance-article/doi/10.1093/eurjpc/zwab198/6515474?login=true

    Academia Médica
    O que a faculdade esquece de falar!
    O que a faculdade esquece de falar! Seguir

    Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

    Ler conteúdo completo
    Indicados para você