[ editar artigo]

Vamos falar sobre Câncer de Próstata?

Vamos falar sobre Câncer de Próstata?

Olá, amig@ leitor@, hoje a nossa conversa vai ser, em especial, com eles. Sim, como é de se esperar, adentramos em um mês propício (o famoso novembro azul) para debater a saúde masculina e hoje o tema da nossa conversa não poderia ser outro: Câncer de Próstata. 

Esta publicação é direcionada àqueles que desejam obter informações úteis e que os ajude a ficar bem informados sobre essa doença que tem afetado a saúde dos homens por toda parte. Mas antes, vamos a alguns números.

Estatísticas do câncer de próstata 

A nível de Brasil, o câncer de próstata é a segunda causa de câncer que mais afeta a saúde masculina, perdendo apenas para o câncer de pele não melanoma. É uma doença que, em geral, afeta homens com mais de 65 anos no mundo todo, sendo que esta faixa etária soma 75% de todos os casos.

Segundo o Atlas de Mortalidade por Câncer (SIM-SUS), em 2018 foram perdidas 15.576 vidas para a doença. Uma estimativa do Instituto Nacional do Câncer para o ano de 2020 chega a conclusão de 65.840 possíveis novos casos de câncer de próstata no nosso país.

Mas quais são os sinais e sintomas da doença?

O grande problema referente a vários tipos de câncer (e esse não é diferente) é que, no início, o câncer de próstata pode não apresentar sintomas e, quando apresentar, os sintomas são similares quando há um caso de crescimento benigno da próstata, são eles: necessidade de ir várias vezes ao banheiro e a dificuldade em urinar.

Entretanto, em fases mais avançadas, notamos sintomas como a dor óssea, algum tipo de alteração urinária como a presença de sangue e, em casos mais avançados, quadros como a insuficiência renal e a infecção generalizada também podem ocorrer. Por isso, é importante procurar ajuda médica desde o início e ficar alerta para fatores que aumentam o risco de desenvolver a doença.

Quais são esses fatores de risco para o câncer de próstata?

  • Peso corporal elevado;
  • A idade, em especial, homens acima dos 50 anos;
  • Casos da doença em pai ou irmão antes dos 60 anos;
  • Hábitos de vida como tabagismo, etilismo, má alimentação;
  • Fatores relacionados ao stress e má qualidade de vida.

Esses são alguns dos principais fatores. Por isso, é importante ficar ligado e buscar ajuda médica quando necessário para uma detecção precoce. Falando nisso, não apenas o câncer de próstata, mas um número enorme de outros tipos de câncer podem ser eficazmente tratados se detectados em sua fase inicial. Quando a doença é diagnosticada em seu início, o caminho para se chegar a uma resolução do problema se torna muito mais fácil.

Então, como funciona a detecção precoce?

Os dois exames mais executados para investigar a doença são o PSA (do inglês - Prostate Specific Antigen) e o toque retal. O PSA é um exame de sangue para verificar a atividade da próstata e sua interpretação isolada não é suficiente para diagnosticar a doença, ou seja, mais exames são necessários. Além desse exame de sangue, o toque retal tem um importante papel diagnóstico, pois auxilia o médico a verificar se houve um aumento de tamanho e se esse aumento indica algum tipo de malignidade, sendo necessária alguma intervenção nesse caso.

Apesar da eficiência desses dois exames, apenas a biópsia é que vai, com segurança, afirmar ou não a existência do câncer de próstata. Esse procedimento nada mais é que coletar um pouco do material que compõe a massa que irá ser investigada e levar para análise de um médico patologista de confiança para se estabelecer um diagnóstico.

Por fim, vamos falar brevemente sobre o tratamento

Quando a doença ainda se mantém localizada, ou seja, não chegou a se espalhar, a cirurgia, a radioterapia e até a observação (em casos mais específicos) podem ser adotados como forma de tratamento.

Quando o câncer se encontra localmente avançado (avançou na região, mas não chegou a se disseminar) tanto a radioterapia quanto a cirurgia combinada com tratamentos hormonais podem ser indicados.

Agora, quando há a disseminação pelo corpo, chamada de metástase, a indicação envolve um tratamento mais direcionado à terapia hormonal. Sendo sempre necessário destacar que o tratamento é escolhido após uma detalhada discussão entre médico e paciente.

 

Meu caro, não esqueça: busque regularmente o seu médico. Não se envergonhe, pois buscar pela saúde é fundamental para evitar problemas futuros. 
Este é o meu toque para você.

 

Até breve!


BIBLIOGRAFIA

INCA - Instituto Nacional do Câncer, disponível em duas versões:

Para a comunidade:

https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-prostata

Acesso: 03/11/2020

Para profissionais da saúde:
https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-prostata/profissional-de-saude
Acesso: 03/11/2020

Academia Médica
Gabriel Couto
Gabriel Couto Seguir

Aluno do Curso de Medicina da Universidade Federal do Paraná. Gosta de ouvir em primeiro lugar e de ser ouvido e, quem sabe, futuro oncologista.

Ler conteúdo completo
Indicados para você