[ editar artigo]

11 Passos para o seu resumo ser aceito em congressos – dicas para pesquisadores iniciantes e experts

11 Passos para o seu resumo ser aceito em congressos – dicas para pesquisadores iniciantes e experts

A apresentação de trabalhos em congressos, muitas vezes é o primeiro passo para um aluno se interessar pela pesquisa científica. Os resultados de uma pesquisa apresentados dessa forma, são uma forma de divulgação do estudo e a porta de entrada para o estudo ser reconhecido como relvante cientificamente .

É a oportunidade do pesquisador entrar em contato com pares e profissionais da mesma área, e que podem sugerir os próximos passos da pesquisa, agregar mais conhecimento, fornecer feedback e ter o seu trabalho publicado nos anais do congresso, com a possibilidade de ser citado em outras pesquisas. Além, é claro, de que o pesquisador começa a ser conhecido na comunidade científica e isso permite a criação de uma rede de network para trabalhos e contatos futuros.

As apresentações em congresso podem ser do tipo pôster, e-poster ou apresentações orais. As apresentações orais possuem um peso acadêmico maior, uma vez que o pesquisador consegue a atenção de um grupo maior de espectadores e de avaliadores da pesquisa. As apresentações de pôsteres e e-posters são as mais comuns, geralmente possuem uma data e hora fixa para serem expostas, e o pesquisador principal ou autor da pesquisa vai estar à disposição por um período pré-fixado para tirar dúvidas e apresentar seu projeto aos que forem visitar a exposição.  

Um ponto chave para o seu resumo ser aceito em um congresso é a relevância da sua pesquisa para o público. Temas inéditos, são sempre bem-vindos, porém resultados conflitantes a estudos prévios também possuem sua importância na discussão científica. Escrever um bom resumo é importante pois muitas conferências nacionais e internacionais utilizam esses resumos para montar o programa do evento, além de serve de bases para as apresentações orais.

Portanto, afim de orientar pesquisadores, alunos, mentores e todos que tenham interesse em levar seus trabalhos a congressos ou estimular aqueles que ainda não começaram de fato uma pesquisa, mas gostariam de se familiarizar com essa linguagem, deixo a seguir 11 dicas “de ouro” para o sucesso de um resumo.

 

1. Preste atenção nas datas de submissão e adeque o seu trabalho a elas 

Se a sua pesquisa já está finalizada é importante uma revisão geral antes da submissão, caso ainda esteja em andamento preste atenção nos deadlines de submissão. Uma boa dica é, ao final de cada ano, listar quais congressos são relevantes para a sua apresentação e já se programar com antecedência.

 

2. Observe as regras para a submissão

Tamanho da fonte, número de palavras, estilo da fonte e idioma oficial do congresso. Em geral congressos internacionais aceitam submissões em inglês independente do país da sua realização. Os resumos seguem o formato de – introdução, objetivos, materiais e métodos, resultados e conclusão –, mas isso pode variar dependendo do congresso. No site do EQUATOR (www.equator-network.org), uma iniciativa internacional para melhoria de qualidade nas publicações científicas, você pode consultar diversas diretrizes para a submissão e publicação de trabalhos científicos.

 

3. Atenção à linguagem   

Seja objetivo sem dispensar os termos adequados! Não utilize termos muito extensos. Caso precise, pode citar a abreviação na primeira aparição do termo e seguir com a respectiva abreviação, porém evite abreviações demais, o que pode deixar o leitor confuso. Preste atenção na ortografia, lembre-se que o resumo será publicado nos anais do congresso e erros ortográficos não caem bem. Outro ponto importante é, se você estivá redigindo um resumo em língua estrangeira e não domina muito bem ou tem dúvidas no idioma, é interessante pedir para um profissional da área ou alguém mais experiente revisar, muitas vezes termos que utilizamos na língua portuguesa não existem em outas línguas.

 

4. Gaste um tempo pensando no título 

O título do resumo é a porta de entrada pela qual o avaliador vai ler ou não o seu projeto. Além disso, se ele for conciso e relevante, vai chamar a atenção dos congressistas para a sua apresentação. Existe uma tendência em utilizar perguntas, por exemplo: "Qual o melhor tratamento para as pneumonias da comunidade?". Esse estilo é interessante porque, em poucas palavras, atinge a atenção do leitor. Porém títulos que apresentam os resultados da pesquisa também criam curiosidade, como "Novas classes de antibióticos reduzem a mortalidade na pneumonia da comunidade".

 

5. Atenção à ordem dos autores

Esse item é responsável por algumas brigas e desavenças no meio científico. De preferência o nome de todos os autores deve vir por extenso, evitando abreviaturas, pois assim é fácil o reconhecimento pelo leitor de que o trabalho é seu. Porém, antes de submeter um resumo, converse com todos os envolvidos na pesquisa, exponha o que cada um contribuiu e escreva o nome dos participantes por ordem de contribuição do maior para o menor. O pesquisador principal, o qual realiza o estudo em regras gerais, é o primeiro autor, e seu orientador geralmente o último. Essa ordem pode variar conforme a situação de trabalho de cada um na pesquisa. O que é acordado antes não sai caro no futuro! Evite conflitos!

 

6. Dê atenção à introdução, mas não a deixe extensa demais

A introdução tem a finalidade de mostrar ao público a relevância do seu estudo, utilizar frases de estudos já publicados que corroboram dados preexistentes, enfatizar a importância e impacto da sua pesquisa para a comunidade e deixar claro o objetivo. O objetivo é a sua pergunta do estudo e deve estar alinhada com os resultados e a conclusão, preferencialmente o objetivo é único, mas alguns estudos podem ter mais de um objetivo, só não se perca neles! O objetivo vai delinear os resultados da pesquisa.  Introduções de resumos geralmente utilizam 3-4 linhas e são suficiente para situar o leitor e fazê-lo entender do que se trata o estudo.

 

7. Materiais e métodos

A metodologia deve ser clara e descritiva, citar a instituição ou instituições onde foi realizada a pesquisa, o tipo de estudo, critérios de inclusão e exclusão, variáveis estudadas, desfechos primários e secundários e breve abordagem da análise estatística (por exemplo, utilizamos o método Teste T para comparar as variáveis). Guarde a descrição metodológica mais detalhada para quando for publicar o seu artigo.

 

8. Resultados

Essa é uma das partes mais importantes. É através dos resultados que surgirá a conclusão do estudo. Os resultados devem ser descritos de forma clara e específica, não tente enrolar o avaliador mostrando dados que não são importantes para a conclusão do estudo! Descreva exclusivamente os dados que respondem a pergunta do estudo. Cite o número de participantes, quantos foram incluídos e quantos excluídos. No resumo, você não precisa detalhar as causas da exclusão. Deixe isso para o pôster ou artigo. Quanto mais preciso na sua análise estatística, mais robusto fica o seu resultado, portanto não atenha-se somente a descrever um valor de p, cite também um dp ou IC95%. Alguns congressos aceitam na submissão de resumos tabelas ou gráficos, porém classicamente tabelas e gráficos são reservados para o pôster ou apresentação oral. Nesse ponto, descrever os resultados através de tabelas, gráficos ou algoritmos torna-os de fácil visualização para o espectador e avaliador. Não utilize gráficos rebuscados demais com múltiplas cores que possam confundir o leitor. Optar por gráficos de colunas, barras ou linhas, quando comparamos valores, e gráficos do tipo pizza, área, funil, quando mostramos a composição de algo, são regras simples, mas que garantem o sucesso de uma apresentação. Ao descrever os gráficos durante a apresentação seja claro e objetivo. Observe que em submissão de resumos não há espaço para discussões do trabalho, prepare a discussão para quando estiver apresentando seu pôster ou sua apresentação oral.

 

9. Seja realista na sua conclusão

A conclusão muitas vezes é a única parte que vai ser lida por avaliadores e por leitores. Portanto ela precisa ser objetiva e impactante. Uma ou duas linhas são ideais para justificar o resultado do estudo e o objetivo alcançado. Um dos erros mais comuns das conclusões é extrapolar dados do trabalho, isso pode resultar na recusa do mesmo. Lembre-se que na maioria dos congressos não há espaço para nova submissão. Você pode mencionar expectativas futuras, mas evite o chavão “mais estudos são necessários”. Em vez disso, você pode descrever: "em breve teremos mais dados que corroboram o uso de novos antibióticos para a pneumonia comunitária". Isso mostra que você está atualizado no tema e engajado para que mais resultados positivos sejam expostos.

 

10. Referências bibliográficas 

Durante a confecção do resumo as referências podem ser omitidas, visto que existe um número de limitado de palavras. No pôster ou apresentação não caia no erro de colocar mais de 5 referências, pois não há espaço e fica complicado para o leitor entender. Selecione as referências mais importantes e as mais atualizadas.

 

10. Solicite feedback  

Peça a seus pares, mentores e orientadores opiniões sobre a pesquisa, sugestões de novas referências. É interessante que o feedback venha de pessoas que não compõem o seu grupo de pesquisa, pois é uma opinião mais clara e sem vieses. Peça para verificarem a escrita, se os resultados estão alinhados com os objetivos, se as informações estão claras ou faltantes, além de garantir que o seu estudo possui relevância para comunidade científica em geral.

 

A submissão e apresentação de resumos em congressos é um passo importante para o pesquisador, seja ele inciante ou expert, consequentemente uma importante contribuição para a evolução científica. E deve ser encorajado desde o ingresso na universidade. Saber redigir um bom resumo, claro, conciso e relevante é passo fundamental para a aprovação do mesmo em congressos e conferências.

Referências

  1. How to prepare and submit abstracts for scientific meetings - Rev Bras Terapia Intensiva 2013; 25(2)77-80

Leia também os outros artigos da série sobre Ensino Médico, publicado pela Dra. Roberta Fittipaldi.

 

Academia Médica
Roberta Fittipaldi Palazzo
Roberta Fittipaldi Palazzo Seguir

Medica pneumologista e intensivista. Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE). Professora da Pós graduação em Terapia Intensiva HIAE. Cursando doutorado em Pneumologia FMUSP. Médica Assistente UTI Respiratória FMUSP.

Ler matéria completa
Indicados para você