[ editar artigo]

A vacinação contra o HPV reduziu em 87% as taxas de câncer cervical na Inglaterra

A vacinação contra o HPV reduziu em 87% as taxas de câncer cervical na Inglaterra

A imunização contra o papilomavírus humano (HPV) com uma vacina bivalente (Cervarix) foi introduzida na Inglaterra, Reino Unido, em 1 de setembro de 2008: a vacinação de rotina foi oferecida a meninas de 12 a 13 anos com um programa de recuperação para mulheres de 14 a 18 anos em 2008–10. Pesquisadores quantificaram o efeito inicial deste programa de imunização no câncer cervical e no carcinoma cervical in situ, ou seja, registros de neoplasia intraepitelial cervical de grau 3 (NIC3) e publicaram os resultados no dia 3 de novembro de 2021 no periódico The Lancet.

Neste estudo observacional, foi utilizada uma extensão do modelo de Poisson idade-período-coorte para estimar o risco relativo de câncer cervical em três coortes vacinadas em comparação com coortes anteriores que não eram elegíveis para a vacinação contra o HPV. Os dados de uma base populacional de registros de câncer foram extraídos em 26 de janeiro de 2021 e avaliados para diagnósticos de câncer cervical e NIC3 de 1º de janeiro de 2006 a 30 de junho de 2019 em mulheres com idade entre 20 e 64 anos residentes na Inglaterra .

Foram utilizadas três coortes vacinadas para explicar as  diferenças no ano escolar em que a vacina foi oferecida e sua cobertura nacional. O ajuste para confusão foi feito usando informações sobre mudanças na política de rastreamento do colo do útero e eventos históricos que afetaram a incidência do câncer do colo do útero. Os resultados foram comparados entre modelos com diferentes ajustes para fatores de confusão.

A redução relativa estimada nas taxas de câncer cervical por idade na oferta da vacina foi de 34% (IC 95% 25-41) para a idade de 16-18 anos (ano escolar de 12-13), 62% (52-71) para a idade de 14-16 anos (ano escolar 10-11), e 87% (72-94) para a idade 12-13 anos (ano escolar 8), em comparação com a coorte de referência não vacinada.

As reduções de risco correspondentes para NIC3 foram de 39% (IC de 95% 36-41) para aquelas pacientes para as quais a vacina havia sido ofertada na idade de 16-18 anos, 75% (72-77) para a idade de 14-16 anos e 97% (96-98) para idade 12–13 anos. Esses resultados permaneceram semelhantes entre os modelos. Os autores estimam que em 30 de junho de 2019 havia 448 (339–556) menos cânceres cervicais do que o esperado e 17 235 (15 919–18 552) menos casos de CIN3 do que o esperado em coortes vacinadas na Inglaterra.

Desta forma, os pesquisadores observaram uma redução substancial no câncer cervical e na incidência de NIC3 em mulheres jovens após a introdução do programa de imunização contra HPV na Inglaterra, especialmente em pacientes que receberam a vacina entre 12 e 13 anos. O programa de imunização contra HPV quase eliminou com sucesso o câncer cervical em mulheres nascidas desde 1º de setembro de 1995.

 

Referências:

Milena Falcaro, Alejandra Castañon, Busani Ndlela, Marta Checchi, Kate Soldan, Jamie Lopez-Bernal, Lucy Elliss-Brookes, Peter Sasieni. The effects of the national HPV vaccination programme in England, UK, on cervical cancer and grade 3 cervical intraepithelial neoplasia incidence: a register-based observational study. The Lancet, November 03, 2021 DOI:https://doi.org/10.1016/S0140-6736(21)02178-4

 

Artigos relacionados:


Publique na Academia Médica. Clique em NOVO POST e compartilhe conhecimento


  

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você