[ editar artigo]

Risco de câncer colorretal é associado ao excesso de peso ao longo da vida

Risco de câncer colorretal é associado ao excesso de peso ao longo da vida

O número de anos de vida em que uma pessoa está acima do peso é mais significativo para o risco de câncer colorretal do que uma única medição do peso corporal. A descoberta é de cientistas do Centro Alemão de Pesquisa do Câncer (DKFZ). Os resultados da pesquisa foram publicados no periódico JAMA Oncology

Sabe-se que inúmeros tipos de câncer ocorrem com mais frequência em pessoas com sobrepeso ou obesidade em comparação com pessoas com peso normal. Estes incluem câncer de mama, câncer de útero, rim ou esôfago — e também câncer colorretal.

Na maioria dos estudos o peso corporal dos participantes foi determinado apenas uma vez. No entanto, os pesquisadores alemães consideraram que o principal fator para o desenvolvimento de câncer colorretal não é o excesso de peso em si, mas sim por quanto tempo o paciente pessoa carrega os quilos em excesso. 

Os cientistas supõem que a obesidade é um condutor do câncer colorretal porque o tecido adiposo libera constantemente fatores de crescimento, hormônios ou substâncias pró-inflamatórias. Portanto, deve fazer diferença se o corpo é exposto a essa influência apenas por um período relativamente curto de tempo ou se a obesidade persiste por décadas, possivelmente até mesmo desde a adolescência.

Para testar essa hipótese, os pesquisadores utilizaram dados do estudo DACHS"Darmkrebs: Chancen der Verhütung durch Screening" (Colorectal cancer: chances for prevention through screening). Desde 2003, os pesquisadores do DKFZ acompanharam e entrevistaram pacientes com câncer colorretal e participantes de controle selecionados aleatoriamente sem diagnóstico de câncer colorretal para este estudo de caso-controle.

Os participantes do estudo DACHS foram questionados sobre seu peso em diferentes idades desde os 20 anos. Usando essas informações, os epidemiologistas do DKFZ calcularam o número de anos de vida com obesidade para cada um dos 5.635 pacientes e 4.515 participantes de controle recrutados para o estudo entre 2003 e 2017. Além disso, os pesquisadores também consideraram a extensão do excesso de quilos.

Como resultado, eles observaram que, em comparação com participantes com peso normal permanente, as pessoas com excesso de peso têm um risco maior de desenvolver câncer colorretal.

O risco aumenta com o número de anos de vida com excesso de peso e a extensão do excesso de peso: os participantes que carregavam muitos quilos a longo prazo eram duas vezes e meia mais propensos a desenvolver câncer colorretal do que aqueles com doença permanente e peso normal. Assim, esse valor tem um poder preditivo maior e se correlaciona muito melhor com o risco real de câncer colorretal do que uma determinação única de excesso de peso.

Os autores do estudo acreditam que a obesidade tem um impacto ainda maior no risco de câncer colorretal do que se pensava anteriormente. Pode-se supor que isso também seja verdade para muitas outras doenças para as quais a obesidade é um fator de risco conhecido. Dessa forma, torna-se ainda mais crucial evitar que a obesidade ocorra na infância e adolescência.


Artigos relacionados


Referência

  1. LI, XIANGWEI et al. Risk of colorectal cancer associated with lifetime excess weight. JAMA oncology, 2022. Disponível em: Doi:10.1001/jamaoncol.2022.0064. Acesso em: 03 de maio de 2022.

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você