[ editar artigo]

Entenda como o estresse em nível baixo pode fazer bem ao cérebro

Entenda como o estresse em nível baixo pode fazer bem ao cérebro

Sabe-se que o estresse gera uma série de malefícios à saúde física e mental. Porém, uma pesquisa desenvolvida pelo Instituto de Desenvolvimento da Juventude da Universidade da Geórgia e publicada pela Psychiatry Research revela que, em algumas situações, em níveis baixos a moderados, ele também pode trazer benefícios às funções cerebrais dos indivíduos. É capaz de ajudar no desenvolvimento da resiliência e reduzir riscos de depressão e comportamentos antissociais.

Como exemplos benéficos, o estudo cita o estresse de estudar para uma prova ou de se preparar para uma reunião de trabalho, que podem levar uma pessoa a desenvolver crescimento pessoal. Da mesma forma, a experiência de ser rejeitado para uma vaga de emprego ou ser demitido pode fazer com que a pessoa vá em busca de algo novo e acabe encontrando um sentido diferente para a vida. São experiências capazes de tornar um ser humano mais forte, evoluir e desenvolver novas habilidades.

“Se você está em um ambiente onde tem algum nível de estresse, pode desenvolver mecanismos de enfrentamento que permitirão que você se torne um trabalhador mais eficiente e se organize de forma a ter um melhor desempenho”, diz o autor principal da pesquisa, Assaf Oshri, que é professor na College of Family and Consumer Sciences.

O estresse em nível baixo a moderado também pode atuar como uma vacina contra o efeito de adversidades enfrentadas no futuro. Para chegar à conclusão, os pesquisadores analisaram dados de 1200 adultos jovens que responderam a um questionário relatando a percepção de seus níveis de estresse. Eles tiveram avaliadas suas habilidades neurocognitivas, capacidade de se alternância na execução de diferentes tarefas, memória de sequência de imagens e de trabalho e velocidade de processamento de informações.

O estudo também considera que a capacidade de tolerância do estresse varia de um indivíduo a outro, podendo apresentar variações conforme a idade, predisposições genéticas e existência ou não de uma rede de apoio em momentos desafiadores. Em níveis elevados e quando é percebido de maneira crônica, o estresse é bastante tóxico e prejudicial, afetando negativamente a saúde em diversos níveis, desde a regulação emocional até o sistema imunológico.

Com informações de Psychiatry Research/Medical Xpress.

Leia também: 

Consumo de chocolate amargo pode ter efeitos benéficos ao cérebro 

Mulheres, abracem seus(suas) parceiros(as)! 

Como a pandemia de COVID-19 nos envelheceu mais rapidamente 

Burnout passa a ser doença do trabalho em 2022 

Médicos: coloquem a máscara de oxigênio em vocês por primeiro! 

Como combater o estresse e viver melhor 

Vontade constante de açúcar e gordura? Ouça o que seu cérebro pode estar lhe dizendo

 

Academia Médica
O que a faculdade esquece de falar!
O que a faculdade esquece de falar! Seguir

Página da redação da Academia Médica para divulgar atualizações pertinentes aos médicos, acadêmicos de medicina e profissionais de saúde.

Ler conteúdo completo
Indicados para você